• 27 a 29 de Novembro, 2019 

    Escola Politécnica - Universidade de São Paulo - São Paulo/SP

  • 27 a 29 de Novembro, 2019 

    Escola Politécnica - Universidade de São Paulo - São Paulo/SP

Site do evento

Comissão organizadora

  • Karin Regina de Castro Marins
  • Alessandra Rodrigues Prata Shimomura
  • Alex Kenya Abiko
  • André Delfino Azevedo
  • Elisa Morande Sales
  • Fabio Mariz Gonçalves
  • Patricia Cesário Silva
  • Sergio Leal Ferreira
  • Ros Mari Zenha
  • Silvana Maria Zioni
  • Silvia A. Mikami Goncalves Pina

Você participou do Comitê Organizador desse evento?
Clique aqui.

novembro 2019 vol. 6 num. 2

Idioma principal | Segundo idioma

II Simpósio Nacional de Gestão e Engenharia Urbana

II Simpósio Nacional de Gestão e Engenharia Urbana

1. Governança urbana e participação

1. Governança urbana e participação

2. Morfologia urbana

2. Morfologia urbana

3. Habitação social

3. Habitação social

4. Meio ambiente urbano

4. Meio ambiente urbano

5. Mobilidade e acessibilidade urbanas

5. Mobilidade e acessibilidade urbanas

1.    Apresentação

 

O II Simpósio Nacional de Gestão e Engenharia Urbana – SINGEURB 2019 é o quarto evento bianual realizado pelo Grupode Trabalho Engenharia Urbana e Política Habitacional (GT URBANO), da Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído – ANTAC. Anteriormente, foram realizados o ENURB 2013 e ENURB 2015 - Encontros Nacionais de Tecnologia Urbana (ENURB), respectivamente na Universidade Federal do Rio de Janeiro e na Universidade de Passo Fundo e o SINGEURB2017, na Universidade Federal de São Carlos. Esses eventos, por sua vez, foram precedidos de três edições do Simpósio de Pós-Graduação em Engenharia Urbana (SIMPGEU), realizado em 2006 na UFSCar, e em 2010 e 2012, na Universidade Estadual de Maringá.

 

Fundada em 1987, a ANTAC é uma associação técnico-científica, de caráter multidisciplinar, que reúne pesquisadores e técnicos envolvidos com a produção e transferência de conhecimentos na área de tecnologia do ambiente construído. Esta área integra profissionais das mais diversas especialidades, tais como Engenheiros, Arquitetos, Físicos, Químicos e Sociólogos, dentre outros, que atuam em Construção Civil, Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo, além de Habitação. Embora constituída majoritariamente por pesquisadores e docentes vinculados a universidades e institutos de pesquisa, a Associação conta também com inúmeros associados vinculados a órgãos públicos e empresas privadas, o que vem incentivando uma crescente integração entre os diversos segmentos da sociedade.

 

A criação do GT URBANO foi aprovada durante a Assembleia Geral da ANTAC, realizada em 30 de outubro de 2012, a partir do reconhecimento da necessidade de congregar os pesquisadores que vêm se dedicando a estudos referentes à tecnologia e gestão aplicadas ao ambiente urbano há várias décadas,  tratando desde a inserção urbana dos edifícios até aspectos tecnológicos, ambientais, de gestão e de inovação relacionados às cidades.

 

O tema do SINGEURB 2019 é ABORDAGEM SISTÊMICA, ESCALAS E INTERSETORIALIDADE: DESAFIOS E POTENCIAIS DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL. Com esse tema, são discutidos trabalhos científicos e experiências que tratam de problemáticas e soluções de forma abrangente e transversal, valorizando-se, dessa forma, pesquisas com cunho transdisciplinar na temática de áreas urbanas, desde a escala da inserção urbana de empreendimentos até a escala regional.

 

O SINGEURB 2019 tem como objetivos:

●       Aprofundar a discussão e a abordagem sistêmica e intersetorial no planejamento e gestão urbanos, como estratégias facilitadoras no diagnóstico dos desafios urbanos e identificação de estratégias e soluções para o desenvolvimento urbano sustentável;

       Promover abordagens abrangentes envolvendo temas como morfologia urbana, governança urbana, infraestrutura, serviços, meio ambiente e habitação, que valorizem aspectos interdisciplinares, inter-escalares e multi-agentes;

       Integrar os estudos dos espaços e territórios urbanos com recursos tecnológicos, quer seja pela inserção da tecnologia em soluções de impacto na escala urbana, quer seja pela aplicação tecnológica como suporte ao planejamento e gestão de cidades, por meio de ferramentas e modelos de análise e simulação;

       Aproximar ambientes de análise e proposição presentes no ensino, pesquisa e prática em planejamento urbano e regional, gestão urbana e regional, desenho e projeto urbano e na engenharia urbana.

       Promover discussões inter e transdisciplinares em planejamento urbano e regional, gestão urbana, projeto urbano e engenharia urbana, e suas interações com recursos e elementos tecnológicos, envolvendo estudantes, docentes, pesquisadores e profissionais ligados aos temas.

 

 O evento conta com cinco subtemas principais, cada qual com tópicos principais:

1.      Governança urbana e participação - análises e proposições de modelos e sistemas decisórios participativos; discussões sobre institucionalizações em governança urbana e iniciativas multiagentes; impactos em planejamento e gestão de cidades, inclusive aspectos das cidades inteligentes; estudos relativos à integração de políticas urbanas e metropolitanas;

2.      Morfologia urbana estudos dos efeitos da densidade urbana sobre o planejamento, a gestão e a estruturação urbana; métodos e estudos envolvendo a aplicação do urbanismo paramétricoanálises relativas aos efeitos do uso e ocupação do solo sobre a qualidade, desempenho e eficiência na cidade; métodos e estudos de avaliação de sistemas de espaços livres; avaliações de políticas e projetos urbanos;

3.      Habitação social estudos da oferta de habitação; análises de processos de planejamento e gestão de programas e projetos habitacionais; análises do efeito da demanda habitacional sobre a ocupação do território, desafios ambientais e informalidade; planejamento urbane gestão de riscos;

4.      Meio ambiente urbano estudos de planejamento e gestão da infraestrutura e dos serviços ecossistêmicos; análises urbanas com relação a aspectos bioclimáticos e ergonômicos; avaliações de conforto ambiental nos espaços livres urbanos; estudos da geraçãoe uso de energia na escala urbana; análises dos impactos dos materiais na escala urbana; estudos de políticas ambientais para o desenvolvimento urbano;

5.      Mobilidade e acessibilidade urbanas - análises integradas de transporte e uso e ocupação do solo; estudos de políticas e avaliações envolvendo o tema do transporte ativo (caminhada e cicloviário), análises dos efeitos de políticas de estacionamento sobre o planejamento e gestão de cidades; estudos envolvendo a análise associada da logística e do planejamento urbano e regional.

 

O SINGEURB 2019 recebeu 179 trabalhos compactos, submetidos à avaliação por pares, realizada por especialistas nos cinco subtemas e diversos tópicos compreendidos pelo evento. Foram selecionados 120 trabalhos técnicos para apresentação oral e publicação em anais, dos quais 117 estão incluídos na presente publicação. Os trabalhos publicados são uma relevante amostra da produção brasileira no âmbito da gestão e da engenharia urbanas, sendo seus autores vinculados a instituições localizadas em 13 Estados Federativosno Brasil, além do Distrito Federal.

 

O evento conta, em caráter inédito, com duas conferências internacionais, três painéis de discussão, duas mesas redondas, dez minicursos/ oficinas e cinco visitas técnicas, além das próprias sessões técnicas de apresentação e discussão de trabalhos.

 

O SINGEURB 2019 recebeu suporte financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), da Escola Politécnica da USP e do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal do Ceará, bem como apoio da ANTAC e do Poli-Integra.

 

Busca-se, da realização desse evento e da disponibilização online e gratuita de seus anais, ofertar à comunidade técnica e científica, assim como a todos os interessados no tema, um conjunto de experiências e produções qualificadas em abordagens sistêmicas e integradas de desafios e potenciais das áreas urbanas, as quais são fundamentais para se buscar caminhos mais efetivos para o desenvolvimento urbano sustentável.

 

Karin Regina de Castro Marins

Prof. Dra., Escola Politécnica da USP

Departamento de Engenharia de Construção Civil

Coordenadora geral e coordenadora científica do SINGEURB 2019

 

Silvia Aparecida Mikami Goncalves Pina

Prof. Dra., Universidade Estadual de Campinas

Coordenadora científica do SINGEURB 2019

 

2.    As instituições organizadoras

 

O SINGEURB 2019 é um evento organizado pela Escola Politécnica (POLI USP) e a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP (FAU USP), a Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo da Unicamp (FEC), o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo - IPT e o Centro de Engenharia, Modelageme Ciências Sociais Aplicadas (CECS) da Universidade Federal do ABC (CECS).

 

 A Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (POLI USP) é uma instituição pública de ensino superior localizada no Campus da USP da Capital. Foi fundada em 1893 e conta com 17 departamentos, 425 professores e cerca de 5 mil alunos de graduação e 1.500 alunos de pós-graduação. A Escola oferece 17 cursos de graduação, agrupados em quatro grandes áreas da engenharia: civil, elétrica, mecânica e química, além de dez programas de mestrado, nove de doutorado e um de mestrado profissionalizante. O Departamento de Engenharia de Construção Civil é um dos quinze departamentos da Escola Politécnica da USP e tem por missão contribuir de forma participativa, flexível e proativa na formação de recursos humanos, na geração e divulgação do conhecimento e na promoção do setor da construção civil e do bem-estar da sociedade. O Grupo de Ensino e Pesquisa em Engenharia e Planejamento Urbanos da Escola Politécnica da USP, parte da grande área em engenharia civil, desenvolve suas atividades privilegiando o enfoque tecnológico na gestão e no planejamento de cidades, com relação metodologias de avaliação e modelagem urbana, governança, políticas e instrumentos relacionadosa gestão habitacional, sustentabilidade urbana, infraestrutura e serviços públicos urbanos, desenho urbano, dentre outras.

A Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidadede São Paulo (FAU USP) é uma instituição pública de ensino superior, fundada em 1948. Focando na integração das artes, humanidades e técnicas, a FAU USP absorve diferentes temas específicos, ao mesmo tempo em que oferece uma formação ampla e generalista e é pioneira na pós-graduação em arquitetura e urbanismo no país. Possui três departamentos - História da Arquitetura e Estética do Projeto, Departamento de Tecnologia da Arquitetura e Departamento de Projeto. São dois cursos de graduação e de pós-graduação oferecidos, 121 docentes doutores ou com titulação superior, cerca de 1.300 alunos de graduação e 850 alunos de pós-graduação. A FAU USP desenvolve diversas atividades de pesquisas relacionadas a desenvolvimento, planejamento e projeto urbanos, tratando de aspectos que envolvem a forma da cidade, meio ambiente urbano, equipamentos urbanos, políticas públicas e gestão urbana, dentre outras.

 

A Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), fundada em 1966, é uma instituição pública de ensino superior localizada em Campinas, no Estado de São Paulo. Possui 24 unidades de ensino e pesquisa, distribuídos entre10 institutos e 14 faculdades. Atualmente, conta com 34 mil alunos matriculados em 66 cursos de graduação e 153 programas de pós-graduação. A Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo oferece dois cursos de graduação - Arquitetura e Urbanismo e Engenharia Civil -, possuindo também dois programas de pós-graduação, em Arquitetura Tecnologia e Cidade e em Engenharia Civil. A Unidade desenvolve diversas pesquisas relacionadas à história, direito à cidade, evolução urbana, cultura urbana, habitação social, uso da terra, saneamento ambiental, paisagem e morfologia urbana, mobilidade, metropolização, sustentabilidade urbana, dentre outras.

 

A Universidade Federal do ABC (UFABC) foi criada em 2005 e está estruturada em dois campi e três centros interdisciplinares de ensino - Centro de Ciências Naturais e Humanas, Centro de Matemática, Computação e Cognição e Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas. Tem cerca de 14 mil alunos matriculados nos 26 cursos de Graduação; e quase 1.500 alunos matriculados nos cursos de Pós-Graduação. Estudos urbanos são enfatizados nos cursos de graduação em Engenharia Ambiental e Urbana, Bacharelado em Planejamento Territorial e Bacharelado em Políticas Públicas e nos cursos de pós-graduação em Planejamento e Gestão do Território, Ciência e Tecnologia Ambiental e Políticas Públicas.

 

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT) é um instituto público de pesquisa com mais de 100 anos de atuação em quatro grandes áreas - inovação, pesquisa & desenvolvimento; serviços tecnológicos; desenvolvimento & apoio metrológico, e informação & educação em tecnologia. Por meio de doze centros tecnológicos, atua de forma multidisciplinar, contemplando os mais diversos segmentos, como energia, transportes, petróleo & gás, meio ambiente, construção civil, cidades, saúde e segurança.

1.    Apresentação

 

II Simpósio Nacional de Gestão e Engenharia Urbana – SINGEURB 2019 é o quarto evento bianual realizado pelo Grupode Trabalho Engenharia Urbana e Política Habitacional (GT URBANO), da Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído – ANTAC. Anteriormente, foram realizados o ENURB 2013 e ENURB 2015 - Encontros Nacionais de Tecnologia Urbana (ENURB), respectivamente na Universidade Federal do Rio de Janeiro e na Universidade de Passo Fundo e o SINGEURB2017, na Universidade Federal de São Carlos. Esses eventos, por sua vez, foram precedidos de três edições do Simpósio de Pós-Graduação em Engenharia Urbana (SIMPGEU), realizado em 2006 na UFSCar, e em 2010 e 2012, na Universidade Estadual de Maringá.

 

Fundada em 1987, a ANTAC é uma associação técnico-científica, de caráter multidisciplinar, que reúne pesquisadores e técnicos envolvidos com a produção e transferência de conhecimentos na área de tecnologia do ambiente construído. Esta área integra profissionais das mais diversas especialidades, tais como Engenheiros, Arquitetos, Físicos, Químicos e Sociólogos, dentre outros, que atuam em Construção Civil, Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo, além de Habitação. Embora constituída majoritariamente por pesquisadores e docentes vinculados a universidades e institutos de pesquisa, a Associação conta também com inúmeros associados vinculados a órgãos públicos e empresas privadas, o que vem incentivando uma crescente integração entre os diversos segmentos da sociedade.

 

A criação do GT URBANO foi aprovada durante a Assembleia Geral da ANTAC, realizada em 30 de outubro de 2012, a partir do reconhecimento da necessidade de congregar os pesquisadores que vêm se dedicando a estudos referentes à tecnologia e gestão aplicadas ao ambiente urbano há várias décadas,  tratando desde a inserção urbana dos edifícios até aspectos tecnológicos, ambientais, de gestão e de inovação relacionados às cidades.

 

O tema do SINGEURB 2019 é ABORDAGEM SISTÊMICA, ESCALAS E INTERSETORIALIDADE: DESAFIOS E POTENCIAIS DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL. Com esse tema, são discutidos trabalhos científicos e experiências que tratam de problemáticas e soluções de forma abrangente e transversal, valorizando-se, dessa forma, pesquisas com cunho transdisciplinar na temática de áreas urbanas, desde a escala da inserção urbana de empreendimentos até a escala regional.

 

O SINGEURB 2019 tem como objetivos:

●       Aprofundar a discussão e a abordagem sistêmica e intersetorial no planejamento e gestão urbanos, como estratégias facilitadoras no diagnóstico dos desafios urbanos e identificação de estratégias e soluções para o desenvolvimento urbano sustentável;

       Promover abordagens abrangentes envolvendo temas como morfologia urbana, governança urbana, infraestrutura, serviços, meio ambiente e habitação, que valorizem aspectos interdisciplinares, inter-escalares e multi-agentes;

       Integrar os estudos dos espaços e territórios urbanos com recursos tecnológicos, quer seja pela inserção da tecnologia em soluções de impacto na escala urbana, quer seja pela aplicação tecnológica como suporte ao planejamento e gestão de cidades, por meio de ferramentas e modelos de análise e simulação;

       Aproximar ambientes de análise e proposição presentes no ensino, pesquisa e prática em planejamento urbano e regional, gestão urbana e regional, desenho e projeto urbano e na engenharia urbana.

       Promover discussões inter e transdisciplinares em planejamento urbano e regional, gestão urbana, projeto urbano e engenharia urbana, e suas interações com recursos e elementos tecnológicos, envolvendo estudantes, docentes, pesquisadores e profissionais ligados aos temas.

 

 O evento conta com cinco subtemas principais, cada qual com tópicos principais:

1.      Governança urbana e participação - análises e proposições de modelos e sistemas decisórios participativos; discussões sobre institucionalizações em governança urbana e iniciativas multiagentes; impactos em planejamento e gestão de cidades, inclusive aspectos das cidades inteligentes; estudos relativos à integração de políticas urbanas e metropolitanas;

2.      Morfologia urbana - estudos dos efeitos da densidade urbana sobre o planejamento, a gestão e a estruturação urbana; métodos e estudos envolvendo a aplicação do urbanismo paramétricoanálises relativas aos efeitos do uso e ocupação do solo sobre a qualidade, desempenho e eficiência na cidade; métodos e estudos de avaliação de sistemas de espaços livres; avaliações de políticas e projetos urbanos;

3.      Habitação social estudos da oferta de habitação; análises de processos de planejamento e gestão de programas e projetos habitacionais; análises do efeito da demanda habitacional sobre a ocupação do território, desafios ambientais e informalidade; planejamento urbane gestão de riscos;

4.      Meio ambiente urbano estudos de planejamento e gestão da infraestrutura e dos serviços ecossistêmicos; análises urbanas com relação a aspectos bioclimáticos e ergonômicos; avaliações de conforto ambiental nos espaços livres urbanos; estudos da geraçãoe uso de energia na escala urbana; análises dos impactos dos materiais na escala urbana; estudos de políticas ambientais para o desenvolvimento urbano;

5.      Mobilidade e acessibilidade urbanas - análises integradas de transporte e uso e ocupação do solo; estudos de políticas e avaliações envolvendo o tema do transporte ativo (caminhada e cicloviário), análises dos efeitos de políticas de estacionamento sobre o planejamento e gestão de cidades; estudos envolvendo a análise associada da logística e do planejamento urbano e regional.

 

O SINGEURB 2019 recebeu 179 trabalhos compactos, submetidos à avaliação por pares, realizada por especialistas nos cinco subtemas e diversos tópicos compreendidos pelo evento. Foram selecionados 120 trabalhos técnicos para apresentação oral e publicação em anais, dos quais 117 estão incluídos na presente publicação. Os trabalhos publicados são uma relevante amostra da produção brasileira no âmbito da gestão e da engenharia urbanas, sendo seus autores vinculados a instituições localizadas em 13 Estados Federativosno Brasil, além do Distrito Federal.

 

O evento conta, em caráter inédito, com duas conferências internacionais, três painéis de discussão, duas mesas redondas, dez minicursos/ oficinas e cinco visitas técnicas, além das próprias sessões técnicas de apresentação e discussão de trabalhos.

 

O SINGEURB 2019 recebeu suporte financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), da Escola Politécnica da USP e do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal do Ceará, bem como apoio da ANTAC e do Poli-Integra.

 

Busca-se, da realização desse evento e da disponibilização online e gratuita de seus anais, ofertar à comunidade técnica e científica, assim como a todos os interessados no tema, um conjunto de experiências e produções qualificadas em abordagens sistêmicas e integradas de desafios e potenciais das áreas urbanas, as quais são fundamentais para se buscar caminhos mais efetivos para o desenvolvimento urbano sustentável.

 

Karin Regina de Castro Marins

Prof. Dra., Escola Politécnica da USP

Departamento de Engenharia de Construção Civil

Coordenadora geral e coordenadora científica do SINGEURB 2019

 

Silvia Aparecida Mikami Goncalves Pina

Prof. Dra., Universidade Estadual de Campinas

Coordenadora científica do SINGEURB 2019

 

2.    As instituições organizadoras

 

O SINGEURB 2019 é um evento organizado pela Escola Politécnica (POLI USP) e a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP (FAU USP), a Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo da Unicamp (FEC), o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo - IPT e o Centro de Engenharia, Modelageme Ciências Sociais Aplicadas (CECS) da Universidade Federal do ABC (CECS).

 

 A Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (POLI USP) é uma instituição pública de ensino superior localizada no Campus da USP da Capital. Foi fundada em 1893 e conta com 17 departamentos, 425 professores e cerca de 5 mil alunos de graduação e 1.500 alunos de pós-graduação. A Escola oferece 17 cursos de graduação, agrupados em quatro grandes áreas da engenharia: civil, elétrica, mecânica e química, além de dez programas de mestrado, nove de doutorado e um de mestrado profissionalizante. O Departamento de Engenharia de Construção Civil é um dos quinze departamentos da Escola Politécnica da USP e tem por missão contribuir de forma participativa, flexível e proativa na formação de recursos humanos, na geração e divulgação do conhecimento e na promoção do setor da construção civil e do bem-estar da sociedade. O Grupo de Ensino e Pesquisa em Engenharia e Planejamento Urbanos da Escola Politécnica da USP, parte da grande área em engenharia civil, desenvolve suas atividades privilegiando o enfoque tecnológico na gestão e no planejamento de cidades, com relação metodologias de avaliação e modelagem urbana, governança, políticas e instrumentos relacionadosa gestão habitacional, sustentabilidade urbana, infraestrutura e serviços públicos urbanos, desenho urbano, dentre outras.

A Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidadede São Paulo (FAU USP) é uma instituição pública de ensino superior, fundada em 1948. Focando na integração das artes, humanidades e técnicas, a FAU USP absorve diferentes temas específicos, ao mesmo tempo em que oferece uma formação ampla e generalista e é pioneira na pós-graduação em arquitetura e urbanismo no país. Possui três departamentos - História da Arquitetura e Estética do Projeto, Departamento de Tecnologia da Arquitetura e Departamento de Projeto. São dois cursos de graduação e de pós-graduação oferecidos, 121 docentes doutores ou com titulação superior, cerca de 1.300 alunos de graduação e 850 alunos de pós-graduação. A FAU USP desenvolve diversas atividades de pesquisas relacionadas a desenvolvimento, planejamento e projeto urbanos, tratando de aspectos que envolvem a forma da cidade, meio ambiente urbano, equipamentos urbanos, políticas públicas e gestão urbana, dentre outras.

 

A Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), fundada em 1966, é uma instituição pública de ensino superior localizada em Campinas, no Estado de São Paulo. Possui 24 unidades de ensino e pesquisa, distribuídos entre10 institutos e 14 faculdades. Atualmente, conta com 34 mil alunos matriculados em 66 cursos de graduação e 153 programas de pós-graduação. A Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo oferece dois cursos de graduação - Arquitetura e Urbanismo e Engenharia Civil -, possuindo também dois programas de pós-graduação, em Arquitetura Tecnologia e Cidade e em Engenharia Civil. A Unidade desenvolve diversas pesquisas relacionadas à história, direito à cidade, evolução urbana, cultura urbana, habitação social, uso da terra, saneamento ambiental, paisagem e morfologia urbana, mobilidade, metropolização, sustentabilidade urbana, dentre outras.

 

A Universidade Federal do ABC (UFABC) foi criada em 2005 e está estruturada em dois campi e três centros interdisciplinares de ensino - Centro de Ciências Naturais e Humanas, Centro de Matemática, Computação e Cognição e Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas. Tem cerca de 14 mil alunos matriculados nos 26 cursos de Graduação; e quase 1.500 alunos matriculados nos cursos de Pós-Graduação. Estudos urbanos são enfatizados nos cursos de graduação em Engenharia Ambiental e Urbana, Bacharelado em Planejamento Territorial e Bacharelado em Políticas Públicas e nos cursos de pós-graduação em Planejamento e Gestão do Território, Ciência e Tecnologia Ambiental e Políticas Públicas.

 

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT) é um instituto público de pesquisa com mais de 100 anos de atuação em quatro grandes áreas - inovação, pesquisa & desenvolvimento; serviços tecnológicos; desenvolvimento & apoio metrológico, e informação & educação em tecnologia. Por meio de doze centros tecnológicos, atua de forma multidisciplinar, contemplando os mais diversos segmentos, como energia, transportes, petróleo & gás, meio ambiente, construção civil, cidades, saúde e segurança.

-

-

1.    Comissão Organizadora

Coordenação e organização geral: Prof. Dr. Karin Regina de Castro Marins (POLI USP)

Prof. Dra. Alessandra Rodrigues Prata Shimomura (FAUUSP)

Prof. Dr. Alex Kenya Abiko (POLI USP)

MSc. André Delfino Azevedo (IPT)

Dr. Elisa Morande Sales (IPT)

Prof. Dr. Fabio Mariz Gonçalves (FAU USP)

Prof. Dra. Patricia Cesário Silva (CECS-UFABC)

Prof. Dr. Sergio Leal Ferreira (POLI USP)

MSc. Ros Mari Zenha (IPT)

Prof. Dra. Silvana Maria Zioni (CECS-UFABC)

Prof. Dra. Silvia A. Mikami Goncalves Pina (FEC-Unicamp)

 

Colaboradores:

MSc. Carolina Girotti (POLI USP)

MSc. Thiago Canhos Montmorency Silva (Prefeitura de Santo André)

Dr. Rafael Castelo Barreto da Cruz (POLI USP)

Eng. Tazio Guilherme Leme Cavalheiro Viadana (mestrando POLI USP)

Secretaria do evento: MSc. Carolina Girotti (POLI USP)


2.    Comitê científico

Coordenação científica: Profª Drª Karin Regina de Castro Marins (POLI USP) e Profª Dª. Silvia A. Mikami Gonçalves Pina (FEC-Unicamp)

 

Comitê científico:

Prof. Dr. Alex Kenya Abiko (POLI USP)

Prof. Dr. Evandro Ziggiatti Monteiro (FEC Unicamp)

Prof. Dr. Fabio Mariz Gonçalves (FAU USP)

Prof. Dra. Karin Regina de Castro Marins (POLI USP)

Prof. Dr. Leonardo Marques Monteiro (FAU USP)

Prof. Dra. Patricia Cezario Silva (CECS-UFABC)

Prof. Dr. Paulo Renato Mesquita Pellegrino (FAU USP)

Prof. Dra. Silvana Maria Zioni (CECS-UFABC)

Prof. Dra. Silvia A. Mikami Goncalves Pina (FEC-Unicamp)

 

3.    Avaliadores dos trabalhos técnicos

Adalberto da Silva Retto Júnior

Adauto Lucio Cardoso

Adriana Afonso Sandre

Alessandra Prata-Shimomura

Amarilis Lucia Casteli Figueiredo Gallardo

Ana Gabriela Godinho Lima

Ana Maria R Goes Monteiro

Ana Paula Francalanza

Angela M. Gabriella Rossi

António Baptista Coelho

Antonio Nélson Rodrigues da Silva

Antônio Reis

Arthur Magon Whitacker

Barbara Bezerra

Beatriz Miotto

Carlos Eugênio Pereira

Carlos Mello Garcias

Carolina Alves

Carolina Carvalho Leme

Carolina Girotti

Cláudia Maria de Almeida

Débora Costa

Débora de Camargo Cavalheiro

Denio Munia Benfatti 

Denise Morado Nascimento

Douglas Barreto

Eduardo Kruger

Eduardo Marandola Jr.

Eduardo Pizarro

Eduardo Vasconcelos

Elaine Garrido Vazquez

Eleusina Freita

Elisa Morandé Sales

Emilia Wanda Rutkowski

Enilson Santos

Erico Masiero

Eunice Helena Sguizzardi Abascal

Evandro Ziggiatti Monteiro

Fabio Mariz Gonçalves

Frederico Yuri Hanai

Gisela Cunha Viana Leonelli

Gustavo Scarpinella

Helena Cristina Padovani Zanlorenzi

Henrique Sala Benites

Hugo Rogério de Barros

Humberto Paiva

Iara Negreiros

Igor Borges

Ilce Marília Pinto

João Meyer

João Roberto Gomes de Faria

Jonathas Magalhaes Pereira da Silva

Jose Ap. Sorratini

José Roberto Merlin

Karin Regina de Castro Marins

Karolyne Ferreira

Lea Souza

Leandro Luiz Giatti

Leonardo Monteiro

Luciana Alves de Oliveira

Luciana de Oliveira Royer

Luciana Miron

Luciana Nicolau Ferrara

Luciana Schenk

Luiz Reynaldo de Azevedo Cardoso

Lygia Niemeyer

Marcos Antonio Leite Frandoloso

Maria Carolina Maziviero

Maria Ermelina Malatesta

Mário Angelo Nunes de Azevedo Filho

Marta Romero

Martina Pacifici

Miguel Sattler 

Milena Kanashiro 

Moacir Kripka 

Monica Dolce 

Monica Marcondes 

Nayara Amorim 

Newton Moura 

Nirce Saffer Medvedovski 

Nivaldo Gerôncio da Silva Filho 

Norma Regina Truppel Constantino 

Odair Moraes 

Orlando Strambi 

Pablo Brilhante de Sousa 

Patricia Cezario Silva

Patricia Rodrigues Samora 

Paulo Renato Mesquita Pellegrino

Paulo Roberto Masseran 

Quentin Lamour 

Rafael Barreto Castelo da Cruz 

Ramon Bonzi 

Ranny Michalski 

Rayssa Cortez 

Renata Cardoso Magagnin 

Renata Ferraz de Toledo 

Roberta Consentino Kronka Mülfarth 

Roberto Machado Corrêa 

Rodolfo Scarati 

Rodrigo Bonicenha 

Ronny Marcelo Aliaga Medrano 

Rosa Maria Locatelli Kalil 

Samir Hernandes Tenório Gomes 

Sandra Oda 

Sergio Leal Ferreira 

Sidney Piochi Bernardini 

Silvana Zioni

Silvia A. Mikami Pina

Sofia Bessa 

Suely Sanches 

Thiago Canhos Montmorency Silva 

Tomas Moreira 

Victor Figueiredo Roriz 

 

 

Logotipo do evento: criação e arte por Fabio Mariz Gonçalves e Carolina Girotti.

 

1.    Comissão Organizadora

Coordenação e organização geral: Prof. Dr. Karin Regina de Castro Marins (POLI USP)

Prof. Dra. Alessandra Rodrigues Prata Shimomura (FAUUSP)

Prof. Dr. Alex Kenya Abiko (POLI USP)

MSc. André Delfino Azevedo (IPT)

Dr. Elisa Morande Sales (IPT)

Prof. Dr. Fabio Mariz Gonçalves (FAU USP)

Prof. Dra. Patricia Cesário Silva (CECS-UFABC)

Prof. Dr. Sergio Leal Ferreira (POLI USP)

MSc. Ros Mari Zenha (IPT)

Prof. Dra. Silvana Maria Zioni (CECS-UFABC)

Prof. Dra. Silvia A. Mikami Goncalves Pina (FEC-Unicamp)

 

Colaboradores:

MSc. Carolina Girotti (POLI USP)

MSc. Thiago Canhos Montmorency Silva (Prefeitura de Santo André)

Dr. Rafael Castelo Barreto da Cruz (POLI USP)

Eng. Tazio Guilherme Leme Cavalheiro Viadana (mestrando POLI USP)

Secretaria do evento: MSc. Carolina Girotti (POLI USP)


2.    Comitê científico

Coordenação científica: Profª Drª Karin Regina de Castro Marins (POLI USP) e Profª Dª. Silvia A. Mikami Gonçalves Pina (FEC-Unicamp)

 

Comitê científico:

Prof. Dr. Alex Kenya Abiko (POLI USP)

Prof. Dr. Evandro Ziggiatti Monteiro (FEC Unicamp)

Prof. Dr. Fabio Mariz Gonçalves (FAU USP)

Prof. Dra. Karin Regina de Castro Marins (POLI USP)

Prof. Dr. Leonardo Marques Monteiro (FAU USP)

Prof. Dra. Patricia Cezario Silva (CECS-UFABC)

Prof. Dr. Paulo Renato Mesquita Pellegrino (FAU USP)

Prof. Dra. Silvana Maria Zioni (CECS-UFABC)

Prof. Dra. Silvia A. Mikami Goncalves Pina (FEC-Unicamp)

 

3.    Avaliadores dos trabalhos técnicos

Adalberto da Silva Retto Júnior

Adauto Lucio Cardoso

Adriana Afonso Sandre

Alessandra Prata-Shimomura

Amarilis Lucia Casteli Figueiredo Gallardo

Ana Gabriela Godinho Lima

Ana Maria R Goes Monteiro

Ana Paula Francalanza

Angela M. Gabriella Rossi

António Baptista Coelho

Antonio Nélson Rodrigues da Silva

Antônio Reis

Arthur Magon Whitacker

Barbara Bezerra

Beatriz Miotto

Carlos Eugênio Pereira

Carlos Mello Garcias

Carolina Alves

Carolina Carvalho Leme

Carolina Girotti

Cláudia Maria de Almeida

Débora Costa

Débora de Camargo Cavalheiro

Denio Munia Benfatti 

Denise Morado Nascimento

Douglas Barreto

Eduardo Kruger

Eduardo Marandola Jr.

Eduardo Pizarro

Eduardo Vasconcelos

Elaine Garrido Vazquez

Eleusina Freita

Elisa Morandé Sales

Emilia Wanda Rutkowski

Enilson Santos

Erico Masiero

Eunice Helena Sguizzardi Abascal

Evandro Ziggiatti Monteiro

Fabio Mariz Gonçalves

Frederico Yuri Hanai

Gisela Cunha Viana Leonelli

Gustavo Scarpinella

Helena Cristina Padovani Zanlorenzi

Henrique Sala Benites

Hugo Rogério de Barros

Humberto Paiva

Iara Negreiros

Igor Borges

Ilce Marília Pinto

João Meyer

João Roberto Gomes de Faria

Jonathas Magalhaes Pereira da Silva

Jose Ap. Sorratini

José Roberto Merlin

Karin Regina de Castro Marins

Karolyne Ferreira

Lea Souza

Leandro Luiz Giatti

Leonardo Monteiro

Luciana Alves de Oliveira

Luciana de Oliveira Royer

Luciana Miron

Luciana Nicolau Ferrara

Luciana Schenk

Luiz Reynaldo de Azevedo Cardoso

Lygia Niemeyer

Marcos Antonio Leite Frandoloso

Maria Carolina Maziviero

Maria Ermelina Malatesta

Mário Angelo Nunes de Azevedo Filho

Marta Romero

Martina Pacifici

Miguel Sattler 

Milena Kanashiro 

Moacir Kripka 

Monica Dolce 

Monica Marcondes 

Nayara Amorim 

Newton Moura 

Nirce Saffer Medvedovski 

Nivaldo Gerôncio da Silva Filho 

Norma Regina Truppel Constantino 

Odair Moraes 

Orlando Strambi 

Pablo Brilhante de Sousa 

Patricia Cezario Silva

Patricia Rodrigues Samora 

Paulo Renato Mesquita Pellegrino

Paulo Roberto Masseran 

Quentin Lamour 

Rafael Barreto Castelo da Cruz 

Ramon Bonzi 

Ranny Michalski 

Rayssa Cortez 

Renata Cardoso Magagnin 

Renata Ferraz de Toledo 

Roberta Consentino Kronka Mülfarth 

Roberto Machado Corrêa 

Rodolfo Scarati 

Rodrigo Bonicenha 

Ronny Marcelo Aliaga Medrano 

Rosa Maria Locatelli Kalil 

Samir Hernandes Tenório Gomes 

Sandra Oda 

Sergio Leal Ferreira 

Sidney Piochi Bernardini 

Silvana Zioni

Silvia A. Mikami Pina

Sofia Bessa 

Suely Sanches 

Thiago Canhos Montmorency Silva 

Tomas Moreira 

Victor Figueiredo Roriz 

 

 

Logotipo do evento: criação e arte por Fabio Mariz Gonçalves e Carolina Girotti.