dezembro 2014 vol. 1 num. 1 - X Congresso Brasileiro de Engenharia Química

Artigo - Open Access.

Idioma principal

SECAGEM DA CASCA DO ABACATE (PERSEA AMERICANA) E A AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DO TEOR COMPOSTOS BIOATIVOS

CUNHA, P. M. C.; PEIXOTO, Y. P.; ULLMANN, G.; SILVA, D. I. S.; BARROZO, M. A. S.;

Artigo:

O abacate (persea americana) é uma fruta originária do México e da América Central, sendo que a riqueza em proteínas, lipídios, vitaminas, minerais como ferro, cálcio, fósforo e antioxidantes faz deste fruto um importante fator no combate a desnutrição. A casca também é fonte nutricional, como por exemplo, de fitonutrientes que combatem os radicais livres e flavonoides que são antioxidantes que retardam o envelhecimento celular. Mas esta recebe pouca atenção ao consumo, sendo muitas vezes descartada produzindo um lixo úmido que proporciona a atividade microbiana, degradando os nutrientes da mesma. A secagem de alimentos é um método que retira umidade dos produtos dificultando o desenvolvimento de microrganismos e a atividade enzimática, fazendo com que o material demore mais tempo para se decompor, além de proporcionar menos custos em armazenamento e transporte, uma vez que volume e peso são reduzidos. Assim, o objetivo desse trabalho foi estudar o comportamento dos compostos bioativos, como acidez, vitamina C e flavonóides, na casca do abacate in natura e após secagem sob luz de infravermelho. Foram avaliadas as temperaturas: 70 80, e 90 ⁰C. Os resultados mostraram que a secagem por infravermelho é eficiente na conservação do teor dos compostos bioativos.

Artigo:

Palavras-chave: infravermelho, antioxidantes, cinética,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/chemeng-cobec-ic-02-ft-051

Referências bibliográficas
  • [1] AOAC International (1995). Official methods of analysis of AOAC International, vol. 2. Gaithersburg: AOAC International.
  • [2] BASU, T. K.; DICKERSON, J. W. (2006) Vitamins in Human Health and Disease. CAB International.
  • [3] BRAND-WILLIAMS, W.; CUVELIER, M. E.; BERSET, C. (1995) Use of a free radical method to evaluate antioxidant activity. Lebensmittel-Wissenschaft Technologie, London, v. 28, p. 25-30.
  • [4] DUZZIONI, A. G.; LENTON, V. M.; SILVA, D. I. S.; BARROZO, M. A. S. (2013) Effect of drying kinetics on main bioactive compounds and antioxidante activity of acerola (Malpighia emarginata D.C.) residue. International Journal of Food science and Technology, v. 48, p. 1041-1047.
  • [5] DORTA, E.; LOBO, M. G.; GONZÁLEZ, M., 2012. Using drying treatments to stabilize mango peel and seed: Effect on antioxidant activity. LWT- Food Science and Technology, 45, 261-268.
  • [6] G1 MG, Nutricionista destaca benefícios do abacate para o emagrecimento. Acessado em: 08 de outubro de 2013. Disponível em: Andlt;http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2013/03/nutricionista-destaca-beneficios-do-abacate-para-o-emagrecimento.htmlAndgt;.
  • [7] MARQUES, L. G. (2008) Liofilização de frutas tropicais. Tese de doutorado. UFSCar, São Carlos.
  • [8] MARQUES, L. G. e FREIRE, J. T. (2005) Analysis of freeze-drying of tropical fruits, Drying Technology, 24(4), p. 457-463.
  • [9] MINISTÉRIO DA SÚDE. (2002) Alimentos regionais brasileiros. Página 10 Secretaria de Políticas de Saúde, Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Brasília: Ministério da Saúde, 1ª ed.
  • [10] OVERHULTS, D. G.; WHITE, G. M.; HAMILTON, H. E.; ROSS, I. J.; (1973) Drying soybeans with heate dair, Transactions of the ASAE, 16 (1), 112-113.
  • [11] PACHECO, C. R. F. Capítulo 1 - Conceitos básicos de secagem. Curso de especialização em papel e celulose, 2012. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.
  • [12] PODSEDEK, A. (2007) Natural antioxidant and antioxidant capacity of Brassica vegetables: A review. LWT: Food Science and Technology, 40 (1), 1–11.
  • [13] PUHL, J.; NITZKE. J. A. Secagem de vegetais. Secagem por infravermelho. ICTA, UFRGS. Acessado em: 08 de outubro de 20 Disponível em: Andlt; http://www8.ufrgs.br/alimentus/objetos/veg_desidratados/c_infravermelho.htmlAndgt;
  • [14] SILVA, D. I. S.; NOGUEIRA, G. D. R.; DUZZIONI, A. G. (2013) Changes of antioxidante constituents in pineapple (Ananas comosus) residue during process. Industrial Crops and Products SD p. 557-562. Elsevier Journal. Disponível em: elsevier.com/locate/indcrop.
  • [15] SILVA, I. Q.; OLIVEIRA, B. C. F.; LOPES, A. S.; PENA, R. S. (2009) Obtenção de barra de cereais adicionada do resíduo industrial de maracujá. Faculdade de Engenharia de Alimentos, Instituto de tecnologia. UFPA, Belém, Pará. V. 20, n. 2, p. 321-329.
  • [16] ZHISHEN, J., MENGCHENG, T., JIANMING, W. (1999) The determination of flavonoidcontents in mulberry and their scavenging effects on superoxide radicals. FoodChemistry 64, 555–559.
Como citar:

CUNHA, P. M. C.; PEIXOTO, Y. P.; ULLMANN, G.; SILVA, D. I. S.; BARROZO, M. A. S.; "SECAGEM DA CASCA DO ABACATE (PERSEA AMERICANA) E A AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DO TEOR COMPOSTOS BIOATIVOS", p. 428-433 . In: . São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobec-ic-02-ft-051

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações