Abstract - Open Access.

Idioma principal

Qualidade Microbiológica Nas Etapas de Presunto Cru de Suíno Adicionado de Lactulose.

Qualidade Microbiológica Nas Etapas de Presunto Cru de Suíno Adicionado de Lactulose.

LIma, Ítalo Abreu; Gomes, Hewerton Barbosa; Silva, Douglas Roberto Guimarães da; Martins, Aline Pereira; Ramos, Eduardo Mendes; Piccoli, Roberta Hilsdorf; Ramos, Alcinéia de Lemos Souza;

Abstract:

Os microrganismos indicadores quando presentes em alimentos podem fornecer informações sobre a ocorrência de contaminação fecal, sobre a provável presença de patógenos ou sobre a deterioração potencial do alimento, além de poderem indicar condições sanitárias inadequadas durante o processamento, produção ou armazenamento. Objetivou-se com o trabalho, analisar a presença de microrganismos indicadores como mesófilos e psicrotróficos nas etapas de processamento do presunto cru. Os presuntos foram processados através do método de salga a seco, utilizando pernil desossado dianteiro de suínos. Foram elaborados os Tratamentos (T1) sem adição de lactulose e (T2) com adição de lactulose. Os pedaços cárneos foram acomodadas em formas plásticas e mantidos sob refrigeração (4°C) por 48 horas. Foram então removidos das formas, e levados para BOD (4,0°C), por 4 dias. Depois, as peças ficaram sob condições de temperatura (16°C) e umidade relativa (75-80%UR) controladas, para a maturação/secagem. As análises foram realizadas no tempo 0 (preparação da matéria prima), tempo 1 e 2 (20% e 30% de perda de peso respectivamente) e no produto final considerado como tempo 3, quando o presunto atingiu 40% perda de peso). Para a realização das análises, inicialmente foram preparadas diluições seriadas (até 10 -6) a partir de 25g de amostra e 225 ml de água peptonada. A seguir, procedeu-se às determinações de bactérias aeróbias mesófilas e psicrotróficas conforme metodologia oficial. As amostras do Tratamento 1 apresentaram contagens de bactérias aeróbias mesófilas de 3,05 x 104 UFC/g ; 1,03 x 105 UFC/g; 2,58 x 106 UFC/g e 2,78 x 106 UFC/g ao longo dos 4 tempos de processamento enquanto as contagens de psicrotróficos variou de 7,09 x 104 UFC/g até 6,10 x 107 UFC/g. No Tratamento 2 os resultados encontrados estiveram entre 1,05 x 104 UFC/g e 2,73 x 106 UFC/g para contagem de bactérias mesófilas e de 2,80 x 105 UFC/g a 6,60 x 107 UFC/g para psicrotróficos. A legislação não estabelece padrões para bactérias aeróbias mesófilas e psicrotróficas. A presença de aeróbios mesófilos é comum em alimentos crus, o que justifica os valores encontrados nesse trabalho, uma vez que é um produto cru, apesar de passar pelo processo de cura e maturação. Sendo assim, é possível a obtenção de um produto curado e dessecado microbiologicamente estável.

Abstract:

Palavras-chave: Microrganismos indicadores, Secagem, Lactulose, Presunto cru,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/foodsci-microal-174

Referências bibliográficas
Como citar:

LIma, Ítalo Abreu; Gomes, Hewerton Barbosa; Silva, Douglas Roberto Guimarães da; Martins, Aline Pereira; Ramos, Eduardo Mendes; Piccoli, Roberta Hilsdorf; Ramos, Alcinéia de Lemos Souza; "Qualidade Microbiológica Nas Etapas de Presunto Cru de Suíno Adicionado de Lactulose.", p. 347-348 . In: Proceedings of the XII Latin American Congress on Food Microbiology and Hygiene [=Blucher Food Science Proceedings, v.1, n.1]. São Paulo: Blucher, 2014.
ISSN 2359-201X, DOI 10.5151/foodsci-microal-174

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações