fevereiro 2015 vol. 1 num. 2 - XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química

Artigo - Open Access.

Idioma principal

CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIOXIDANTE DE FRUTAS SILVESTRES DA REGIÃO SUL DO BRASIL

FRITSCH, M.; BOHN, A.; KUHN, F.; SCAPINELLO, J.; MAGRO, J. DAL;

Artigo:

O presente trabalho teve por objetivo avaliar o potencial antioxidante de frutas silvestres da região Sul do Brasil através da capacidade de seqüestrar o radical DPPH, bem como quantificar o teor de polifenóis totais e antocianinas monoméricas. O extrato aquoso de sete frutas foi estudado: Morus nigra, Psidium cattleianum, Butia yatay, Myrcianthes edulis, Camponesia guaviroba, Eugenia uniflora e Allophylus edulis. Todas as frutas apresentaram atividade antioxidante, no entanto, a ação foi diferenciada entre elas, com destaque para a Camponesia guaviroba que apresentou a maior atividade antioxidante (EC50 6,02 ± 0,61mg/mL) e o maior teor de polifenóis totais (2235,72 ± 40,59 mg/100g), seguida pela Morus nigra (EC50 19,15 ± 0,37 mg/mL) com a maior quantidade de antocianinas monoméricas (317,40 ± 52,08 mg/100g). Frente aos dados obtidos, os frutos estudados podem ser apontados como potentes fontes de antioxidantes naturais, destacando-se a Camponesia guaviroba e a

Artigo:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/chemeng-cobeq2014-1509-18947-160607

Referências bibliográficas
  • [1] AMARAL, T. P. D.; ROMAN JUNIOR, W. A. Estudo dos compostos químicos e avaliação da atividade antioxidante in vitro para os extratos padronizados de Cuphea ingrata Cham. Sheld (Sete sangrias). 2005. 88 f.: Monografia (Conclusão do curso de Farmácia) -- Universidade Comunitária Regional de Chapecó, 2005.
  • [2] AMBRÓSIO, C. L. B; CAMPOS, F. C.S; FARO, Z. Carotenóides como alternativa contra a hipovitaminose A. Revista de Nutrição, vol 19, n°2, p. 233-243, 2006.
  • [3] BOBBIO, F. O.; BOBBIO, P. A. Pigmentos naturais. In:BOBBIO, Florinda Orsatti; BOBBIO, Paulo A.. Introdução à química de alimentos. ed. rev. e atual. São Paulo: Varela, 200
  • [4] CARVALHO, J. C. T.; GOSMANN, G.; SCHENKEL, E. P. Compostos fenólicos simples e heterosídicos. In: SIMÕES, Claudia Maria Oliveira et al. Farmacognosia: da planta ao medicamento. 3ªed rev.Porto Alegre/ Florianópolis: UFGS/UFSC, 2001. Cap. 20. P. 443-459.
  • [5] DELGADO,V.F.; PAREDES-LÓPEZ, O. Natural colorants for food and nutraceutical uses. CRC Press, 2003.
  • [6] GIUSTI, M.M.;WROLSTAD,R.E. Unit. F1.2.1-13. Anthocyanins. Characterization and measurement with UV-Visible spectroscopy. In: Current Protocols in Food Anal.Chem. Jonh Wiley Andamp; Sons: New York, 2001.
  • [7] KUSKOSKI, E.M., ASUERO, A.G., MORALES, M.T., FETT, R. Frutos tropicais e silvestres e polpa de frutas congeladas: atividade antioxidante, polifenóis e antocianinas. Ciência Rural. Santa Maria. v. 36, n. 4, 1283-1287, 2006.
  • [8] KUSKOSKI, M. E.; ASUERO, A.G.; TRONCOSO, A. M.; MANCINI-FILHO, J.; FETT, R. Aplicación de diversos métodos químicos para determinar actividad antioxidante em pulpa de frutos. Ciência e Tecnologia de Alimentos. Vol 25. N°4.
  • [9] Campinas, 2005.
  • [10] LIMA, V.L.A.G. De; MELO, E.A; LIMA, D.E. Fenólicos e carotenoides totais em pitanga. Scientia Agricola, v.59, n.3, p.447-450, jul./set. 2002 MENSOR, L.L.; MENEZES, F.S.; LEITÃO, G.G.; REIS, A.S.; DOS SANTOS, T.C.; COUBE, C.S. AND LEITÃO, S.G. Screening of Brazilian plant extracts for antioxidant activity by the use of DPPH free radical method. Phytother. Res. 15, pp. 127–130, 2001.
  • [11] MONTOYA, Ó. A.; VAILLANT, F.; COZZANO, S.; MERTZ, C., PÉREZ, A. M.; CASTRO, M. V. Phenolic content and antioxidant capacity of tropical highland blackberry (Rubus adenotrichus Schltdl.) during three edible maturity stages. Food Chemistry. Vol. 119. 4 ed. Pág. 1497-1501. 2010.
  • [12] NIERO, R. Aspectos químicos e biológicos de plantas medicinais e considerações sobre fitoterápicos. In Chechinel Filho V, Bresolin TMB. (org). Ciências químico-Área temática: Engenharia e Tecnologia de Alimentos 6farmacêuticas: Contribuição ao desenvolvimento de novos fármacos e medicamentos. 2003. Itajaí: Univalli. OETTERER, M.; REGINATO-D''ARCE, M. A. B.; SPOTO, M. H. F. Fundamentos de ciência e tecnologia de alimentos. Barueri: Manole 2006.
  • [13] POKORNÝ, J. In: Manual de conservación de los alimentos. Zaragoza: Acribia 2003.
  • [14] RIBEIRO, E. P.; SERAVALLI, E. A. G. Química de alimentos. 2. ed. rev. São Paulo: E. Blucher, 2007.
  • [15] SANTIAGO, M. C. P. A.; GOUVÊA, A. C. M. S.; GODOY, R. L. O.liveira; NETO, J. O.; PACHECO, S. Quantificação das antocianinas da amora-preta por CLAE e pH diferencial. Embrapa agroindústria de alimentos. SHAHIDI, F.; NACZK, M. Food phenolics: souces, chemistry, effects and applications. 1 ed. Lancaster: Technomic Publishing Co,Inc.,1995. 331p. YUNES, R. A; CALIXTO, J. B. Plantas medicinais sob a ótica da química medicinal moderna : métodos de estudo, fitoterápicos e fitofármacos, biotecnologia, patente. Chapecó: Argos, [2001]. ZONG, C. Y. In: Medicamentos naturais são privilégio de poucas espécies. Diário da Saúde. Disponível em: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=medicamentos-naturais-privilegio-poucas-especiesAndamp;id=6908. Acesso em: 14 Set. 2011.
Como citar:

FRITSCH, M.; BOHN, A.; KUHN, F.; SCAPINELLO, J.; MAGRO, J. DAL; "CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIOXIDANTE DE FRUTAS SILVESTRES DA REGIÃO SUL DO BRASIL", p. 4721-4727 . In: Anais do XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química - COBEQ 2014 [= Blucher Chemical Engineering Proceedings, v.1, n.2]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeq2014-1509-18947-160607

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações