fevereiro 2015 vol. 1 num. 2 - XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química

Artigo - Open Access.

Idioma principal

AVALIAÇÃO DOS COMPOSTOS BIOATIVOS PRESENTES NO RESÍDUO DE GOIABA VERMELHA (Psidium guajava L.) DESIDRATADA

MORAES, F. P.; SILVA, E. S. da; ROCHA, P. M.; SILVA, A. S. da; CORREIA, R. T. P.;

Artigo:

O Brasil possui grandes indústrias processadoras de goiaba (Psidium guajava L.), as quais geram volumes consideráveis de resíduos agroindustriais. Dessa forma, o objetivo desse trabalho foi avaliar o teor bioativo desse resíduo, através da determinação do teor de compostos fenólicos totais (método de Folin-Ciocalteu), ácido ascórbico (titulométrico), carotenoides (método espectrofotométrico) e atividade antioxidante (radical DPPH). A secagem foi conduzida em secador convectivo a temperatura de 70 º C e velocidade do ar 5 m/s. Foram observados valores expressivos de ácido ascórbico (47,58 mg/100 g) e carotenoides (262,01 µg/100 g) no resíduo seco. O material também apresentou quantidade relevante de compostos fenólicos (133,73 mg GAE/100 g) e boa atividade antioxidante (9,06 µmol TE/g). Os resultados mostram a presença de importantes fitoquímicos no resíduo desidratado da goiaba vermelha, sendo ele um potencial ingrediente para a indústria de

Artigo:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/chemeng-cobeq2014-2060-16058-170849

Referências bibliográficas
  • [1] ALMEIDA, M. M. B et al. Bioactive compounds and antioxidant activity of fresh exotic fruits from northeastern Brazil. Food Research International, v. 44, p. 2155-2159, 201
  • [2] BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Alimentos regionais brasileiros/ Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde, Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. – 1. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 200
  • [3] CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM ECONOMIA APLICADA – CEPEA. Valores do PIB do agronegócio brasileiro, 1994 a 2008. ESALQ-USP, 2010. Disponível em: Andlt;http://www.cepea.esalq.usp.br/pib/Andgt;. Acesso em: 20 abr. 2014.
  • [4] CORREIA, R. T. P. et al. Production of phenolic antioxidants by the solid-state bioconversion pineapple waste mixed with soy flour using Rhizopus oligosporus. Process Biochemistry, v.39, p.2167- 2172, 200
  • [5] CULTURA DA GOIABA. A Goiaba. Disponível em: Andlt;http://culturagoiaba.blogspot.com.br/2013/04/cultura-da-goiaba-fruticultura.html.Andgt;. Acesso em: 20 abr. 2014.
  • [6] DEMBITSKY, V. et al. The multiple nutrition properties of some exotic fruits: biological activity and active metabolites. Food Research International, v. 44, p. 1671-1701, 2011.
  • [7] DUARTE-ALMEIDA, J. M. et al. Avaliação da atividade antioxidante utilizando sistema b-caroteno/ácido linoléico e método de seqüestro de radicais DPPH. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v.26, n.2, p.446-452, 2006.
  • [8] FU, L. et al. Antioxidant capacities and total phenolic contents of 62 fruits. Food Chemistry, v.129, p. 345–350, 2011.
  • [9] GÜÇLÜ, K et al. Spectrophotometric determination of ascorbic acid using copper (II)-neocuproine reagent in beverages and pharmaceuticals, Talanta, v. 65, p.1226-1232,2005.
  • [10] KAYA, A. et al. Drying conditions on the vitamin C (ascorbic acid) content of Hayward kiwifruits (Actinidia deliciosa Planch). Food and Bioproducts Processing, v. 8, n. 2, p. 165-173, 20
  • [11] Área temática: Engenharia e Tecnologia de Alimentos 6 LICHTENTHALER, H. K.; BUSCHMANN, C. Chlorophylls and carotenoids: Measurement and characterization by UV-VIS spectroscopy. Current protocols in food analytical chemistry, F4.3.1-F4.3.8, 2001.
  • [12] MELO, P. S. Composição química e atividade biológica de residues agroindustriais. 2010, 100 f, Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz Queiroz. Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos. Piracicaba – SP. NASCIMENTO, R. J. Potencial antioxidante de resíduo Agroindustrial de goiaba. Universidade federal rural de Pernambuco. 2010, 110 f, Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal Rural de Pernambuco. Departamento de ciências domésticas. Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos. Recife – PE. OLDONI, T. L. C. Isolamento e identificação de compostos com atividade antioxidante de uma nova variedade de própolis brasileira produzida por abelhas da espécie Apis mellifer. 2007. 154f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos) - Universidade de São Paulo. Piracicaba. OLIVEIRA, R. et al. Otimização de metodologia colorimétrica para a determinação de ácido ascórbico em geléia de frutas. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 30, n. 1, p. 244-249, 2010.
  • [13] PIERSON, J. T. et al. Major Australian tropical fruits biodiversity: bioactive compounds and their bioactivities. Molecular Nutrition Andamp; Food Research, v. 56, n. 3, p. 357-387, 2012.
  • [14] PRADO, A. Composição fenólica e atividade antioxidante de frutas tropicais. 2009, 100 f, Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz Queiroz. Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos. Piracicaba – SP. RAMOS, E. L. Desenvolvimento sustentável de sistemas de produção de frutas tropicais nativas e exóticas – abordagem mesoanalítica. Sitientibus. Feira de Santana/BA. n. 39, p.53-73, 2008.
  • [15] ROBERTO, B. S. Resíduo de goiaba: metabolismo em ratos e Aplicabilidade em barras de cereais. 2012, 150 f, Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria. Centro de Ciências Rurais. Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia dos Alimentos. Santa Maria – RS. SAURA-CALIXTO, F.; GONI, I. Antioxidant capacity of the Spanish Mediterranean diet. Food Chemistry, v. 94, n.3, 442–447, 2006.
  • [16] SILVA, L. M. R. et al. Quantification of bioactive compounds in pulps and by-products of tropical fruits from Brazil. Food Chemistry, v. 143, n. 15, p. 398-404, 2014.
  • [17] Área temática: Engenharia e Tecnologia de Alimentos 7SOUSA, M. S. B. et al. Caracterização nutricional e compostos antioxidantes em resíduos de polpas de frutas tropicais. Ciênc. agrotec., v. 35, n. 3, p. 554-559, 2011a. SOUSA, M. S. B. et al. Fenólicos totais e capacidade antioxidante in vitro de resíduos de polpas de frutas tropicais. Braz. J. Food Technol., Campinas, v. 14, n. 3, p. 202-210, 2011b. SOUZA, V. R. et al. Determination of bioactive compounds, antioxidant activity and chemical composition of Cerrado Brazilian fruits. Food Chemistry, v. 134, p. 381–386, 2012.
  • [18] TOLENTINO, V. R.; SILVA, A. G. Processamento de vegetais: frutas/polpa congelada. Programa Rio Rural. Manual Técnico; 12. Niterói: Programa Rio Rural, 2008.
  • [19] VALENTE, A. et al. Ascorbic acid content in exotic fruits: A contribution to produce quality data for food composition databases, Food Research International, v. 44, n. 7, p. 2237-2243, 2011.
  • [20] VON LINTIG, J. Colors with functions: Elucidating the biochemical and molecular basis of carotenoid metabolism. Annual Review of Nutrition, v. 30, p. 35-56, 2010.
  • [21] YAHIA, E. M. The Contribution of Fruit and Vegetable Consumption to Human Health. In: ROSA, L.A.; ALVAREZ-PARRILLA, E.; GONZALEZ-AGUILARA; G.A. Fruit and vegetable phytochemicals: chemistry, nutritional value and stability. Hoboken: Wiley-Blackwell, 2010. p. 3-51.
Como citar:

MORAES, F. P.; SILVA, E. S. da; ROCHA, P. M.; SILVA, A. S. da; CORREIA, R. T. P.; "AVALIAÇÃO DOS COMPOSTOS BIOATIVOS PRESENTES NO RESÍDUO DE GOIABA VERMELHA (Psidium guajava L.) DESIDRATADA", p. 5153-5160 . In: Anais do XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química - COBEQ 2014 [= Blucher Chemical Engineering Proceedings, v.1, n.2]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeq2014-2060-16058-170849

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações