Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

REFLEXOS DOS TEMPOS DE COZIMENTO SOBRE A QUANTIDADE DE AÇÚCARES OBTIDOS DE GRÃOS DE MILHO DE 2,36mm

ALCANTARA, G. U.; NOGUEIRA, L. C.; MOYA, S. M.; COSTA, G. H. G.;

Artigo Completo:

No decorrer dos anos o Brasil tem buscado diversas alternativas para a obtenção do etanol, para suprir a crescente demanda interna e externa pelo produto. Neste contexto, na busca por alternativas que possam ser incorporadas à produção deste biocombustível obtido a partir da cana-de-açúcar, destaca-se o milho, o qual tem a possibilidade de ser cultivado em locais de renovação de canaviais e serem processados na entressafra da cana. Embora essa tecnologia esteja em utilização no país, o setor ainda carece de algumas informações, como o tempo ideal de cozimento. Com isso, o objetivo deste trabalho foi de avaliar as características dos mostos de milho com granulometria de 2,36mm, submetidos a diferentes tempos cozimento. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, com três tratamentos e três repetições. Os grãos foram triturados até granulometria de 2,36mm e misturados com água na proporção 200g/L. A seguir foram submetidos aos tempos de cozimento de 60, 90 e 180 minutos. As pastas foram resfriadas até 80-90˚C, e mantidas sob agitação constante. Nessa etapa adicionou-se a enzima α-amilase. As pastas foram peneiradas e submetidas às análises de Brix, Açúcares Redutores Totais, Amido e pH. Observou-se que quanto maior o tempo de cozimento, maior a concentração de açúcares e amido na pasta. Entretanto essas podem ser decorrentes da concentração resultante da evaporação de água. Portanto, conclui-se que o tempo de 60 minutos é recomendado para extrair açúcares do milho.

Artigo Completo:

Palavras-chave: etanol,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/chemeng-cobeqic2017-183

Referências bibliográficas
  • [1] AMATO, F.; MATOSO, F. Mistura de etanol na gasolina sobe para 27% a partir de 16 de março. G1/ECONOMIA, 2016. Disponível em: . Acesso em: 18 mar. 2017.
  • [2] BARBOSA, J.C.; MALDONADO JUNIOR, W. Experimentação Agronômica & AgroEstat – Sistema para Análises Estatísticas de Ensaios Agronômicos. FUNEP: Jaboticabal, 2015.
  • [3] CHAVAN, S. M.; KUMAR, A.; JADHAV, S. J. Rapid quantitative analysis of starch in sugarcane juice. International Sugar Journal, Glamorgan, v. 93, n. 107, 1991.
  • [4] CHERUBIN, N. Usina dois em um. RPA News: cana & indústria, Ribeirão Preto, Ed. 13, n. 169, p. 6-13. 2015.
  • [5] CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento (Brasil). Acompanhamento da safra brasileira: Cana-de-açúcar – Terceiro levantamento | Dezembro/2016. v.3. n.3. Brasília: Conab, 2016. Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2017.
  • [6] CTC – Centro de Tecnologia Canavieira. Manual de métodos de análises para açúcar. Piracicaba, Centro de Tecnologia Canavieira, Laboratório de análises, 2005. Disponível em CD ROM.
  • [7] FAUSTINO, P. A. S.; CARVALHO, M. R.; TEIXEIRA, J. R.; GARBIN, J. R.; MADALENO, L. L.; FRIGIERI, M. C. Fermentação do mosto de caldo de cana clarificado submetido a radiação ultravioleta. Ciência & Tecnologia, v.6, n.1, suplemento, 2014.
  • [8] FERREIRA, O. E. Produção de etanol a partir de sorgo sacarino com tratamento enzimático. 2015. 79 f. Tese de doutorado, Faculdades Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, 2015.
  • [9] GLOBO RURAL. Futuro do etanol sob administração Trump ainda é incerto, diz banco. G1/ GLOBO RURAL, 2016. Disponível em: . Acesso em: 28 fev. 2017.
  • [10] MACRI, R. C. V.; COSTA, G. H. G.; MONTIJO, N. A.; SILVA, A. F.; MUTTON, M. J. R. Moringa extracts used in sugar cane juice treatment and effects on ethanolic fermentation. African Journal of Biotechnology, v.13, n.42, 2014.
  • [11] MAGALHÃES, P. C.; DURÃES, F. O. M. Fisiologia da produção de milho. Circular Técnica. Sete Lagoas: Embrapa, 2006. Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2017.
  • [12] MILLER, G. L. Use of de dinitrosalicylic acid reagent for determination of reducing sugar. Analytical Chemistry, v.31, n.3, 1959.
  • [13] SANTOS, J. P. Controle de Pragas Durante o Armazenamento de Milho. Circular Técnica. Sete Lagoas: Embrapa, 2006. Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2017.
  • [14] UNICA – União da Indústria de Cana-de-açúcar. Unicadata, 2017. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2017.
Como citar:

ALCANTARA, G. U.; NOGUEIRA, L. C.; MOYA, S. M.; COSTA, G. H. G.; "REFLEXOS DOS TEMPOS DE COZIMENTO SOBRE A QUANTIDADE DE AÇÚCARES OBTIDOS DE GRÃOS DE MILHO DE 2,36mm", p. 992-996 . In: Anais do XII Congresso Brasileiro de Engenharia Química em Iniciação Científica [=Blucher Chemical Engineering Proceedings, v. 1, n.4]. ISSN Impresso: 2446-8711. São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeqic2017-183

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações