Setembro 2016 vol. 2 num. 4 - XI Seminário de Pesquisa em Ciencias Humanas

Artigo - Open Access.

Idioma principal

O RPG COMO ALTERNATIVA METODOLÓGICA PARA O ENSINO DA LEITURA LITERÁRIA NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

ZAMARIAM, Franciela Silva;

Artigo:

Em uma pesquisa realizada em escolas públicas de Londrina, em 2008, sobre a relação do adolescente com a leitura literária (ZAMARIAM, 2008), os depoimentos dos alunos confirmaram que as leituras impostas e as provas sobre os livros só os faziam afastar-se ainda mais da literatura, pois esse tipo de atividade os levava a memorizar informações sobre o enredo e as personagens, em vez de compreendê-los e fruí-los. Como sugestão, a maioria dos alunos entrevistados afirmou que a leitura de obras literárias poderia ser feita de modo mais dinâmico e criativo, na própria sala de aula. Ora, a adaptação de livros de literatura para o RPG pode proporcionar exatamente isto: uma leitura interativa, divertida e dentro do ambiente escolar, sob a orientação do professor. Ademais, esse jogo é uma ferramenta transdisciplinar, porque amplia os conhecimentos dos alunos em diferentes áreas, como língua portuguesa, história, sociologia, arte, raciocínio lógico, entre outros, de forma não compartimentada, mas integrada e significativa. Assim, nesta comunicação, discutiremos algumas experiências iniciais relacionadas ao projeto de Mestrado em Estudos da Linguagem, que está em andamento em uma escola pública, sobre o uso do RPG como mediador entre o aluno e a leitura literária.

Artigo:

Palavras-chave: ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/sosci-xisepech-gt14_306

Referências bibliográficas
  • [1] ALMEIDA, P. N. Educação lúdica: técnicas e jogos pedagógicos. São Paulo: Loyola, 1998.
  • [2] ANDRÉ, Marli Elisa; LUDKE, Menga. Pesquisa em educação: Abordagens Qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.
  • [3] CALVINO, Ítalo. Por que ler os clássicos. São Paulo: Companhia das Letras, 199
  • [4] CÂNDIDO, Antônio. A literatura e a formação do homem. In: Remate de males. Número Especial Antonio Candido. Campinas: Departamento de Teoria Literária IEL Unicamp, 1999.
  • [5] CORRÊA, Francisco Tupy Gomes. Videogame como linguagem audiovisual: compreensão e aplicação em um estudo de caso - super street fighter. 2013. 121 fls. Dissertação (Mestrado em Meios e Processos Audiovisuais) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.
  • [6] CRUZ, Bruna Souza. Clássicos da literatura brasileira viram jogos virtuais. UOL: São Paulo. 17 maio 2013. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2014.
  • [7] CUPERTINO. Edson Ribeiro. Vamos jogar RPG? Diálogos com a literatura, o leitor e a autoria. 2008. Dissertação (Mestrado em Literatura) - Universidade de São Paulo, São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2014.
  • [8] DESAFIOS DA EDUCAÇÃO. Jogos são tendência inovadora na educação. 09 jun. 2014. Disponível em: Acesso em: 28 set. 2014.
  • [9] FAIRCHILD, Thomas Massao. O discurso de escolarização do RPG. 2004. Dissertação (Mestrado) - Universidade de São Paulo, São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2014.
  • [10] HUIZINGA, J. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. Perspectiva: São Paulo, 1999.
  • [11] KIND, Luciana. Notas para o trabalho com a técnica de grupos focais. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 10, n. 15, p. 124-136, jun. 2004.
  • [12] LEMOS, André. CIBERCULTURA: Alguns pontos para compreender a nossa época. In: LEMOS, André; CUNHA, Paulo (orgs). Olhares sobre a Cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2003. p. 11-23.
  • [13] MAFRA, Núbio Delanne F. Leituras à revelia da escola. Londrina: Eduel, 2003.
  • [14] MOTA, Sônia Rodrigues. Role Playing Game e a Pedagogia da Imaginação o Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.
  • [15] PAVÃO, Andréa. A Aventura da Leitura e da Escrita entre Mestres de Role Playing Games (RPG). UFPA, 1999. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2014.
  • [16] PRADO, Marysia M. Rodrigues do. Des-cobrindo o Lúdico. Dissertação (Mestrado em Educação), FE/UNICAMP, 1991. Disponível em: . Acesso em: 17 set. 2014.
  • [17] PEREIRA, Farley Eduardo Lamines. No limite da ficção: comparações entre literatura e RPG – Role Playing Games. 2007. Dissertação (Mestrado em Estudos Literários) - Universidade Federal de Minas Gerais, São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 17 set. 2014.
  • [18] PRIETTO, Thiago Goulart. Literatura e os jogos de RPG: Trajetória de apropriações e intertextos. Revista Translatio, Porto Alegre, n. 6. 2013. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2014.
  • [19] SANTOS, Santa Marli Pires dos. Brinquedoteca: o lúdico em diferentes contextos. Petrópolis: Vozes, 1997.
  • [20] SOUZA, Ana Paula. Videogames já não servem apenas para diversão. Agência USP de Notícias, 28 fev. 2014. Disponível em: . Acesso em: 19 set. 2014.
  • [21] SCHMIT, Wagner Luiz. RPG e Educação: Alguns apontamentos teóricos. 2008. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual de Londrina, Londrina. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2014.
  • [22] VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1991.
  • [23] WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações filosóficas. Tradução de José Carlos Bruni. São Paulo: Nova Cultural (Col. Os Pensadores), 2000.
  • [24] ZAMARIAM, Franciela S. A Relação do Adolescente com a Literatura na Era da Cultura Digital: Um Estudo sobre a Leitura em Escolas Estaduais de Londrina. 2008. Monografia (Especialização em Metodologia da Ação Docente) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2008.
Como citar:

ZAMARIAM, Franciela Silva; "O RPG COMO ALTERNATIVA METODOLÓGICA PARA O ENSINO DA LEITURA LITERÁRIA NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA", p. 1338-1349 . In: Anais do XI Seminário de Pesquisa em Ciencias Humanas [=Blucher Social Science Proceedings, n.4 v.2]. São Paulo: Blucher, 2016.
ISSN 2359-2990, DOI 10.5151/sosci-xisepech-gt14_306

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações