Setembro 2016 vol. 2 num. 4 - XI Seminário de Pesquisa em Ciencias Humanas

Artigo - Open Access.

Idioma principal

MULTILETRAMENTOS EM PERSPECTIVA: O INFOGRÁFICO WEB COMO RECURSO DIDÁTICO

BARBOSA, Bruna Carolini; ALMEIDA, Ana Lúcia de Campos;

Artigo:

Na sociedade mediada pelas novas tecnologias a relação entre imagem e palavra é facilmente percebida, a sociedade está cada vez mais visual. Disso decorre a importância em se refletir sobre os letramentos multimodais, já que a apreensão do sentido em sua totalidade só se dá através da leitura que integra as diferentes linguagens de um texto. Pautados em aportes teóricos como Bronckart (2006); Shepherd e Watters (1999); Marcuschi (2005), Pinheiro (2010), Dionísio (2011), Kato (1995), Solé (1998), Paiva (1998), entre outros e considerando a escola uma importante agência de letramento, este artigo propõe-se a discutir a relevância em se abordar o infográfico web como um recurso didático em sala de aula, uma vez que esse dispositivo pode beneficiar o processo de ensino-aprendizagem, uma vez que permite facilitar a compreensão de ideias e conteúdos complexos e extensos, incentiva o pensamento crítico e o desenvolvimento de ideias, além de conjugar vários tipos de informação. Pretende-se com este trabalho contribuir com a prática docente interessada em romper com os padrões autônomos de letramento em favor de uma perspectiva multissemiótica e que considere o aluno como sujeito histórico-socialmente situado.

Artigo:

Palavras-chave: multiletramentos, infográfico web, multimodalidade,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/sosci-xisepech-gt5_160

Referências bibliográficas
  • [1] BRAGA, D. B. Tecnologia da informação e comunicação e novos letramentos. In. _______. Ambientes digitais: reflexões teóricas e práticas. São Paulo: Cortez, 2013. p. 39-46.
  • [2] BRONCKART, J.-P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sócio-discursivo. Trad. Anna Rachel Machado e Péricles Cunha. São Paulo: EDUC, 1999.
  • [3] ______. Os tipos de discurso. In.: Atividade de linguagem, discurso e desenvolvimento humano. Campinas: Mercado de Letras, 2006.
  • [4] COSCARELLI, C. V.; NOVAIS, A. E.. Leitura: um processo cada vez mais complexo. Disponível em: Data de acesso: 04 de maio de 2015.
  • [5] DIONISIO, A. P. Gêneros textuais e multimodalidade. In.: KARWOSKI, Acir Mário; GAYDECZKA; B., SLEBENEICHE K. (Orgs.). Gêneros textuais: reflexões e ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2011. pp. 137-152.
  • [6] ______; VASCONCELOS, L. J. de. Multimodalidade, gênero textual e leitura. In: BUNZEN, Clecio; MENDONÇA, Márcia. Múltiplas linguagens para o Ensino Médio. São Paulo: Parábola Editorial, 2013.
  • [7] DOLZ, J.; NOVERRAZ, M.; SCHNEUWLY, B. Seqüências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. Gêneros orais e escritos na escola. [Tradução e organização: Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro]. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004.
  • [8] GOODY, J. (Org.) Literacy in tradicional societies. Cambridge: Cambridge University Press, 1969.
  • [9] KATO, M. O aprendizado da leitura. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1995.
  • [10] KOCH, I. V. . Ler e compreender os sentidos do texto. São Paulo: Contexto, 2011.
  • [11] MARCUSCHI, L. A. O Hipertexto como um novo espaço de escrita em sala de aula.Linguagem & Ensino (UCPel), Pelotas - RS, v. 4, n. 1, p. 79-112, 2001.
  • [12] ______. Gêneros textuais emergentes no contexto da tecnologia digital. In.: _______; XAVIER. Antônio Carlos (Org.). Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção de sentido. 2 ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.
  • [13] OLIVEIRA, D. M. Gêneros multimodais e multiletramentos: novas práticas de leitura na sala de aula. In: VI Fórum Identidades e alteridades II Congresso Nacional Educação e Diversidade - 2013 UFS – Itabaiana/SE, Brasil. Anais.
  • [14] OLSON, D. From Utterance to text: the bials of language in speech and writing. Harvard Education Review, vol.47 p.254-279, 1977.
  • [15] ONG, W. Literacy and orality: the technologizing of the word. Nova York: Methuen, 1982.
  • [16] PAIVA, F. A. O gênero textual infográfico: leitura de um gênero textual multimodal por alunos da 1ª série do ensino médio. Revista [email protected] em (Dis-)curso. Volume 3, 2011, p. 87-101
  • [17] ______. A Leitura de Infográficos da Revista Superinteressante: procedimentos de leitura e compreensão. Programa de Pòs-graduação em Estudos Linguisticos. Universidade Federal de Minas Gerais: Belo Horizonte, 2009
  • [18] PINHEIRO, P. A.. Gêneros (digitais) em foco: por uma discussão sócio-histórica. Alfa: Revista de Linguística 54.1 (2010): 33+. Academic OneFile. Web. 10 set. 2015
  • [19] ROJO, R.; MOURA, E. Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.
  • [20] SHEPHERD, M.; WATTERS, C. The Functionality Attribute of Cybergenres. Proceedings of the 32nd Hawaii International Conference on System Sciences – 1999.
  • [21] SOLÉ, I. Estratégias de Leitura. 6 ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.
  • [22] STREET, B. V. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. São Paulo: Paráabola Editorial, 2014.
Como citar:

BARBOSA, Bruna Carolini; ALMEIDA, Ana Lúcia de Campos; "MULTILETRAMENTOS EM PERSPECTIVA: O INFOGRÁFICO WEB COMO RECURSO DIDÁTICO", p. 531-541 . In: Anais do XI Seminário de Pesquisa em Ciencias Humanas [=Blucher Social Science Proceedings, n.4 v.2]. São Paulo: Blucher, 2016.
ISSN 2359-2990, DOI 10.5151/sosci-xisepech-gt5_160

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações