Novembro 2017 vol. 3 num. 1 - X Encontro Nacional sobre Migração

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

Migração interestadual e formação de capital humano no Brasil

Pais, Paloma Santana Moreira; Mattos, Leonardo Bornacki de; Teixeira, Evandro Camargos;

Artigo Completo:

A migração sempre esteve presente na história do Brasil e esta apresenta impactos sobre a acumulação de capital humano das diferentes regiões. Todavia, as pesquisas sobre a relação entre migração e capital humano são escassas no país, sobretudo por causa da predominância da mobilidade de pessoas com baixos níveis de qualificação, especialmente até o fim dos anos 1970. Assim, neste trabalho são analisados os impactos da migração interestadual de indivíduos com diferentes níveis de qualificação sobre a formação de capital humano no local de origem do migrante. Para isso, utiliza-se um modelo de painel dinâmico, estimado com dados da PNAD, entre os anos de 2001 e 2013. Os resultados indicaram que a migração de pessoas com elevada qualificação incentiva a ampliação da frequência escolar na quinta série do ensino fundamental e no primeiro ano do ensino médio, enquanto a mesma não afeta a frequência ao primeiro ano do ensino superior. A migração de pessoas com baixa qualificação, porém, desestimula a frequência ao ensino superior, uma vez que os indivíduos residentes em áreas menos desenvolvidas não precisam se qualificar para obter maiores rendimentos, bastando migrar para áreas desenvolvidas com o nível de escolaridade que estes já possuem. Assim, a hipótese do brain gain não se confirma num contexto relacionado à frequência ao ensino superior.

Artigo Completo:

Palavras-chave: migração interestadual, qualificação, capital humano,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/xgtmigracao-13

Referências bibliográficas
  • [1] ARELLANO, M.; BOND, S.R. Some tests of specification for panel data: Monte Carlo evidence and an application to employment equations. The Review of Economic Studies, v. 58, n. 2, p. 277-297, 199
  • [2] ARELLANO, M.; BOVER, O. Another look at the instrumental variable estimation of error components models. Journal of Econometrics, v. 68, n. 1, p. 29-51, 1995.
  • [3] BARROS, R. P.; MENDONÇA, R. SANTOS, D. D.; QUINTAES, G. Determinantes do desempenho educacional no Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico, v. 31, n. 1, p.1-42, 2001.
  • [4] BATISTA, C.; LACUESTA, A.; VICENTE, P. C. Testing the ‘brain gain’ hypothesis: Micro evidence from Cape Verde. Journal of Development Economics, v. 97, n. 1, p. 32-45, 2012.
  • [5] BEINE, M.; DOCQUIER, F.; RAPOPORT, H., Brain Drain and Economic Growth: Theory and Evidence, Journal of Development Economics, v.64, n.1, p. 275-289, 2001.
  • [6] BEINE, M., DOCQUIER, F. e RAPOPORT, H. Brain Drain and Human Capital Formation in Developing Countries: Winners and Losers. The Economic Journal, vol.118, p. 631-652. 2008.
  • [7] BEINE, M.; DOQUIER, F.; ODEN-DEFOORT, C. A panel data analysis of the brain gain. World Development, v. 39, n. 4, p. 523–532, 2011.
  • [8] BEZERRA, F. M.; SILVEIRA NETO, R. M. Existe fuga de cérebros no Brasil? Evidências a partir dos censos demográficos de 1991 e 2000. EconomiA, v.9, n.3, p. 435-456, 200
  • [9] BHAGWATI, J.; HAMADA, K. The brain drain, international integration of markets for professionals and unemployment: A theoretical analysis. Journal of Development Economics, v. 1, p. 19-42, 1974.
  • [10] BILDIRICI, M.; ORCAN, M.; SUNAL, S.; AYKAÇ, E. Determinants of human capital theory, growth and brain drain: An econometric analysis of 77 countries. Applied Econometrics and International Development, v. 5, n. 2, p.c109-140, 2005.
  • [11] BIONDI, R. L.; TONETO JR., R. Regime de metas inflacionárias: os impactos sobre o desempenho econômico dos países. Estudos Econômicos, v. 38, n. 4, p. 873-903, 2008.
  • [12] BLUNDELL, R. W.; BOND, S. R. Initial conditions and moment restrictions in dynamic panel data models. Journal of Econometrics, v. 87, n. 1, p. 115-143, 1998.
  • [13] CAMPINO, A. C. C. A migração de pessoas qualificadas no período 1950/70. Pesquisa e Planejamento Econômico, vol. 3, n. 4, p. 1091 a 1102, 1973.
  • [14] COMMANDER, S.; KANGASNIEMI, M.; WINTERS, L. A. The brain drain: A review of theory and facts. Brussels Economic Review, v. 47, n. 1, p. 29-44, 2004.
  • [15] DE LEON, F. L. L; MENEZES FILHO, N. A. Reprovação, avanço e evasão escolar no Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico, v. 32, n. 3, p. 417-452, 2002.
  • [16] DI MARIA, C.L; LAZAROVA, E. A. Migration, human capital formation, and growth: An empirical investigation. World Development, v. 40, n. 5, p. 938–955, 2012.
  • [17] DINIZ, C. C. Desenvolvimento poligonal no Brasil: Nem desconcentração nem contínua polarização. Nova Economia, v. 3, n. 1, p. 35-64, 1993.
  • [18] DOCQUIER, F.; MARFOUK, A. International migration by educational attainment, 1990–2000 (release 1.1). In OZDEN, C.; SCHIFF, M. (Eds.). International migration, remittances and development. NewYork: McMillan and Palgrave, 2006.
  • [19] DURBIN, J. Errors in variables. Review of the International Statistical Institute, v. 22, n. 1/3, p.23–32, 1954.
  • [20] GLICK, P.; SAHN, D. E. Schooling of girls and boys in a West African country: The effects of parental education, income, and household structure. Economics of Education Review, v. 19, n. 1, p. 63-87, 2000.
  • [21] GONÇALVES, M. E. Análise de sobrevivência e modelos hierárquicos logísticos longitudinais: uma aplicação à análise da trajetória escolar (4ª a 8ª série - ensino fundamental). 2008, 143 p. Tese (Doutorado em Demografia) – Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG/CEDEPLAR, Belo Horizonte, MG, 2008.
  • [22] GRUBEL, H. B.; SCOTT, A. D. The international flow of human capital. The American Economic Review, v. 56, n. 1/2, p. 268-274, 1966.
  • [23] HAAS, H. Migration and Development: A theoretical perspective. COMCAD Working Papers, n. 29, 2007. 82 p.
  • [24] HARRIS, J.; TODARO, M. Migration, unemployment and development: Two sector analysis. The American Economic Review, v. 15, n. 1, p. 126-142, 1970.
  • [25] HAUSMAN, J. A. Specification tests in econometrics. Econometrica, v. 46, n.6, p. 1251-1271, 1978.
  • [26] LEWIS, W. A. Economic Development with Unlimited Supplies of Labor. The Manchester School, v. 22, n. 2, p. 139-191, 1954.
  • [27] LIU, Y.; SHEN, J. Spatial patterns and determinants of skilled migration in China, 2000-2005. Papers in Regional Science, v. 93, n. 4, p. 749-771, 2014.
  • [28] MACKENZIE, D.; RAPOPORT, H. Can migration reduce educational attainment? Evidence from Mexico. World Bank Policy Research Working Paper, n. 3952, 2006. 42 p.
  • [29] MATA, D.; OLIVEIRA, C. W.; PIN, C.; RESENDE, G. Quais características das cidades determinam a atração de migrantes qualificados? Revista Econômica do Nordeste, v. 38, n. 3, p. 502-514, 2007.
  • [30] MIYAGIWA, K. Scale economies in education and the brain drain problem. International Economic Review, v. 32, n. 3, p. 743-759, 1991.
  • [31] MOUNTFORD, A., Can a brain drain be good for growth in the source economy? Journal of Development Economics, v.53, n.2, 287-303, 1997.
  • [32] NATALI, C. Linkages between Internal and international migrations: Policy implications for development. In: XVI Conference Urban-Rural Linkages and Migration, Plenary Session… Dortmund, September of 2009.
  • [33] RIGOTTI, J. I. R. Geografia dos fluxos populacionais segundo níveis de escolaridade dos migrantes. Estudos Avançados, v. 20, n. 57, 237-254, 2006.
  • [34] RITSILÄ, J.; HAAPANEN, M. Where Do the Highly Educated Migrate? Micro-Level Evidence from Finland. International Review of Applied Economics, v. 17, n. 4, p. 437-448, 2003.
  • [35] SARGAN, J. D. The estimation of econometric relationships using instrumental variables. Econometrica, v. 26, n. 3, p. 393-415, 1958.
  • [36] SILVA, P. L. N.; PESSOA, D. G. C.; LILA, M. F. Análise estatística de dados da PNAD: Incorporando a estrutura do plano amostral. Ciência e Saúde Coletiva, v. 7, n. 4, p. 659-670, 2002.
  • [37] TODARO, M. A model of labour migration and urban unemplyment in less developed countries. American Economic Review, v. 59, n. 1, p. 138-148, 1969.
  • [38] VIDAL, J. P. The effect of emigration on human capital formation. Journal of Population Economics, v.11, n.4, p. 589-600, 1998.
  • [39] WINDMEIJER, F. A finite sample correction for the variance of linear efficient two-step GMM estimators. Journal of Econometrics, v. 126, n. 1, p. 25- 51, 2005.
  • [40] WU, D. M. Alternative tests of independence between stochastic regressors and disturbances: Finite sample results. Econometrica, v. 42, n. 3, p. 529–546, 1974.
Como citar:

Pais, Paloma Santana Moreira; Mattos, Leonardo Bornacki de; Teixeira, Evandro Camargos; "Migração interestadual e formação de capital humano no Brasil", p. 205-224 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2359-2990, DOI 10.5151/xgtmigracao-13

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações