Outubro 2019 vol. 6 num. 3 - 7º Simpósio Design Sustentável

Artigo completo - Open Access.

Idioma principal

Inovação Social e decrescimento: desenvolvendo alternativas

Perez, Iana Uliana; Moura, Mônica; Martins, Suzana Barreto;

Artigo completo:

O design contemporâneo, em busca de promover a sustentabilidade, passa a contemplar não apenas as inovações tecnológicas, mas também o desenvolvimento do design para a sustentabilidade (DfS), que envolve desde a preocupação com produtos até temas mais recentes, como a promoção do consumo suficiente, o design para a inovação social e o design para transições e inovações sistêmicas. Nesse contexto, o presente artigo tem como objetivo verificar e descrever a relação entre inovação social e decrescimento, proposta mais ampla na qual se insere o consumo suficiente. Os objetivos específicos são: traçar o estado da arte da pesquisa sobre decrescimento e inovação social; identificar conceitos e alternativas relacionados à inovação social e ao decrescimento; integrar as descobertas na agenda do design. O método adotado para a pesquisa é a Revisão Bibliográfica Sistemática (RBS), conduzida no Portal de Periódicos da Capes contemplando apenas artigos internacionais revisados por pares e publicados nos últimos 10 anos. Foram selecionados para análise 27 artigos. Embora menos discutida nos artigos analisados do que o decrescimento, a inovação social mostra-se imprescindível para a promoção de transições e transformações sistêmicas rumo ao decrescimento. Evidencia-se a estreita relação entre preocupações ambientais e sociais (e.g., equidade), atreladas à busca pelo desenvolvimento de alternativas para a economia. Quanto ao design, destaca-se a necessidade de ampliar seu campo de atuação para além das áreas relativas à produção e ao consumo, contemplando também as questões sociais, a cultura, a política e a economia. Ressalta-se, por fim, a primordialidade de pesquisas transdisciplinares que considerem a realidade material das alternativas já existentes no contexto local.

Artigo completo:

Palavras-chave: Design. Design Contemporâneo. Design para a sustentabilidade. Consumo suficiente. Inovação sistêmica. Transições para a sustentabilidade,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/7dsd-1.2.022

Referências bibliográficas
  • [1] ACOSTA, A.; BRAND, U. Pós-extrativismo e decrescimento: saídas do labirinto capitalista. São Paulo: Elefante, 2018.
  • [2] ASARA, V.; OTERO, I.; DEMARIA, F.; CORBERA, E. Socially sustainable degrowth as a social–ecological transformation: repoliticizing sustainability. Sustainability Science, v. 10, n. 3, p. 375– 384, 2015.
  • [3] AZAM, G. Decrescimento. In: SÓLON, P. (Org.). Alternativas sistêmicas: Bem Viver, decrescimento, comuns, ecofeminismo, direitos da Mãe Terra e desglobalização. São Paulo: Elefante, 2019. p. 65-84
  • [4] BOTTA, M. Evolution of the slow living concept within the models of sustainable communities. Futures, v. 80, p. 3–16, 2016.
  • [5] CESCHIN, F.; GAZIULUSOY, I. Evolution of design for sustainability: From product design to design for system innovations and transitions. Design Studies, n. 47, p. 118–163, 2016.
  • [6] CHAVES, M.; MACINTYRE, T.; VERSCHOOR, G.; WALS, A. E. J. Radical ruralities in practice: Negotiating buen vivir in a Colombian network of sustainability. Journal of Rural Studies, v. 59, p. 153–162, 2018.
  • [7] CONFORTO, E. C.; AMARAL, D. C.; SILVA, S. L. Roteiro para revisão bibliográfica sistemática: aplicação no desenvolvimento de produtos e gerenciamento de projetos. In: CONGRESSO
  • [8] BRASILEIRO DE GESTÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO, , Porto Alegre, Brazil, 12-14 set. 2011. Disponível em: http://vision.ime.usp.br/~acmt/conforto.pdf
  • [9] DASH, A. An epistemological reflection on social and solidarity economy. Forum for Social Economics, v. 45, n. 1, p. 61–87, 2016.
  • [10] DRESCH, A.; LACERDA, D. P.; ANTUNES JUNIOR, J. A. V. Design Science research: método de pesquisa para avanço da ciência e tecnologia. Porto Alegre: Bookman, 2015.
  • [11] EULER, J. The Commons: A Social Form that Allows for Degrowth and Sustainability. Capitalism Nature Socialism, v. 0, n. 0, p. 1–18, 2018.
  • [12] HARCOURT, W. The future of capitalism: A consideration of alternatives. Cambridge Journal of Economics, v. 38, n. 6, p. 1307–1328, 2014.
  • [13] HAUCKE, F. V. Smartphone-enabled social change: Evidence from the Fairphone case? Journal of Cleaner Production, v. 197, p. 1719–1730, 2018.
  • [14] KRUEGER, R.; SCHULZ, C.; GIBBS, D. C. Institutionalizing alternative economic spaces? An interpretivist perspective on diverse economies. Progress in Human Geography, v. 42, n. 4, p. 569–589, 2018.
  • [15] LONGHURST, N.; AVELINO, F.; WITTMAYER, J.; WEAVER, P.; DUMITRU, A.; HIELSCHER, S.; CIPOLLA, C.; AFONSO, R.; KUNZE, I.; ELLE, M. Experimenting with alternative economies: four emergent counter-narratives of urban economic development. Current Opinion in Environmental Sustainability, v. 22, n. May, p. 69–74, 2016.
  • [16] LOORBACH, D.; FRANTZESKAKI, N.; AVELINO, F. Sustainability Transitions Research: Transforming Science and Practice for Societal Change. Annual Review of Environment and Resources, v. 42, n. 1, p. 599–626, 2017.
  • [17] LOREK, S.; FUCHS, D. Strong sustainable consumption governance - Precondition for a degrowth path? Journal of Cleaner Production, v. 38, p. 36–43, 2013.
  • [18] LOREK, S.; SPANGENBERG, J. H. Sustainable consumption within a sustainable economy - Beyond green growth and green economies. Journal of Cleaner Production, v. 63, p. 33–44, 2014.
  • [19] MANZINI, E. Design, when everybody designs: an introduction to design for social innovation. Traduzido por: COAD, R. Massachusetts, Estados Unidos da América: MIT Press.
  • [20] PELENC, J.; WALLENBORNA, G.; MILANESIB, J.; SÉBASTIENC, L.; VASTENAEKELSA, J.; LAJARTHED, F.;
  • [21] BALLETE, J.; CERVERA-MARZALF, M.; CARIMENTRANDG, A.; MERVEILLEI, N.; BRUNO FRÈREK. Alternative and Resistance Movements: The Two Faces of Sustainability Transformations? Ecological Economics, v. 159 2017, p. 373–378, 2019.
  • [22] PESCH, U. Paradigms and paradoxes: the futures of growth and degrowth. International Journal of Sociology and Social Policy, v. 38, n. 11/12, p. 1133–1146, 2018.
  • [23] POZZEBON, M.; FONTENELLE, I. A. Fostering the post-development debate: the Latin American concept of tecnologia social. Third World Quarterly, v. 39, n. 9, p. 1750–1769, 2018.
  • [24] PURTIK, H.; ZIMMERLING, E.; WELPE, I. M. Cooperatives as catalysts for sustainable neighborhoods – a qualitative analysis of the participatory development process toward a 2000-Watt Society. Journal of Cleaner Production, v. 134, p. 112–123, 2016.
  • [25] QUILLEY, S. System Innovation and a New “Great Transformation”: Re-embedding Economic Life in the Context of “De-Growth”. Journal of Social Entrepreneurship, v. 3, n. 2, p. 206–229, 2012.
  • [26] SANTOS, A. dos; CESCHIN, F.; MARTINS, S. B.; VEZZOLI, C. A design framework for enabling sustainability in the clothing sector. Latin American J. Management for Sustainable Development, v. 3, n.1, p. 47–65, 2016.
  • [27] SÓLON, P. (Org.). Alternativas sistêmicas: Bem Viver, decrescimento, comuns, ecofeminismo, direitos da Mãe Terra e desglobalização. São Paulo: Elefante, 2019.
  • [28] VERGRAGT, P.; AKENJI, L.; DEWICK, P. Sustainable production, consumption, and livelihoods: Global and regional research perspectives. Journal of Cleaner Production, v. 63, p. 1–12, 2014.xistentes no contexto local.
Como citar:

Perez, Iana Uliana; Moura, Mônica; Martins, Suzana Barreto; "Inovação Social e decrescimento: desenvolvendo alternativas", p. 231-242 . In: . São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/7dsd-1.2.022

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações