Artigo completo - Open Access.

Idioma principal

AVALIAÇÃO ERGONÔMICA EM AMBIENTES DE APRENDIZAGEM COM RECURSOS TECNOLÓGICOS, COMPARAÇÃO ENTRE ESTUDOS DE CASO DE RECIFE E NÁPOLES

SARMENTO, Thaisa F. C. Sampaio; VILLAROUCO, Vilma;

Artigo completo:

As escolas passam por mudanças metodológicas advindas da inserção de novas tecnologias. Os ambientes escolares também deverão ser atualizados, para que as atividades de aprendizagem com recursos tecnológicos sejam realizadas em plenas condições de conforto e ergonomia. Esta pesquisa realizou uma avaliação ergonômica em duas salas de aula enriquecidas com recursos tecnológicos, em escolas de ensino médio, no Brasil e na Itália. O método de avaliação foi baseado na MEAC – Metodologia Ergonômica para o Ambiente Construído. Os resultados encontrados apontaram para diretrizes ergonômicas de readequação destes ambientes, visando também serem utilizados em aplicações de caráter prático, em outros projetos.

Artigo completo:

Palavras-chave: Ergonomia do Ambiente Construído; Ambiente Escolar; Recursos tecnológicos e Estudos de caso.,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/eneac2018-060

Referências bibliográficas
  • [1] BAKER, Lindsay. What School Buildings Can Teach Us: Post-Occupancy Evaluation Surveys in K-12 Learning Environments. Dissertação de Mestrado em Arquitetura, University of California, Berkeley, 2011, 77p GUIDALLI, C. R. R. Diretrizes para o projeto de salas de aula em universidades visando o bem- estar do usuário. Dissertação de Mestrado em Arquitetura e Urbanismo. Florianópolis, Universidade Federal de Santa Catarina, 2012. HUANG, R. et al. The Functions of Smart Classroom in Smart Learning Age. Open Education Research, v. 2012, p. 22–27, 2012. KAUP, M. L.; KIM, H.; DUDEK, M. Planning to Learn: The Role of Interior Design in Educational Settings. International Journal of Design for Learning, v. 4, n. 2, p. 41–55, 2013. KOWALTOSKI, Dóris C. C. K. Arquitetura Escolar, o projeto do ambiente de ensino. São Paulo: Ed: Oficina de textos, 201 NAIR, Prakash. Blueprint for tomorrow. Redesigning Schools for Student-Centered Learning, Cambridge: Harvard Education Press, 2014, 207p. OBLINGER, D. G. Learning Spaces. [s.l.] Educause e-book, 2006. POWELL, Mikael André. Reacting to Classroom Design: A Case Study of How Corrective Actions Impact Undergraduate Teaching and Learning. Tese de Doutorado em Estudos de Educação, Lesley University, USA, 2015, 283p. SIBILIA, Paula. Redes ou Paredes. A escola em tempos de dispersão. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012. 222p. TIBURCIO, T. Improving learning Environment. In: Proceedings of ICL International Conference – Ambient and Mobile Learning. AUER, M. AUER, U., MITTERMEIR, R. eds. Villach, Austria. 2005. VILLAROUCO, V. Tratando de ambientes ergonomicamente adequados: seriam ergoambientes? In: MONT’ALVÃO, C. & VILLAROUCO, V. Um novo olhar para o projeto: a ergonomia no ambiente construído. Rio de Janeiro: Faperj, 2AB, 2011, 184p. 25-46pp. VILLAROUCO, Vilma. An ergonomic look at the work environment. In: Proceeding IEA 09: 17th World Congress on Ergonomics. China: Beijing, 2009.
Como citar:

SARMENTO, Thaisa F. C. Sampaio; VILLAROUCO, Vilma; "AVALIAÇÃO ERGONÔMICA EM AMBIENTES DE APRENDIZAGEM COM RECURSOS TECNOLÓGICOS, COMPARAÇÃO ENTRE ESTUDOS DE CASO DE RECIFE E NÁPOLES", p. 820-831 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/eneac2018-060

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações