Artigo completo - Open Access.

Idioma principal

ANÁLISE DA ACESSIBILIDADE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL EM TERMINAIS DE ÔNIBUS

MORANO, Raquel Pessoa; SANTIAGO, Zilsa Maria Pinto;

Artigo completo:

O presente artigo investiga as condições de acessibilidade para as Pessoas com Deficiência Visual
nos Terminais de Ônibus, de acordo com as Normas vigentes e pelos discursos dos participantes in
loco. Para isso, foram utilizadas as metodologias: poema dos desejos, percursos comentados,
passeio acompanhado e avaliação pós-ocupação.

Artigo completo:

Palavras-chave: Deficiência Visual; Acessibilidade; Terminal de Ônibus.,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/eneac2018-092

Referências bibliográficas
  • [1] ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Acessibilidade a edificações, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro, 2015. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Acessibilidade – sinalização tátil no piso – Diretrizes para elaboração de projetos e instalação. Rio de Janeiro, 2016. CAMBIAGHI, S. Desenho Universal: métodos e técnicas para arquitetos e urbanistas. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2007. CARVALHO, C. H. R. Políticas de Melhoria das Condições de Acessibilidade do transporte urbano no Brasil. IPEA – Rio de Janeiro, 2015. CASTRO, Jorge; LACERDA, Leonardo; PENNA, Ana Cláudia. Avaliação Pós-Ocupação – APO: saúde nas edificações da FIOCRUZ. Rio de Janeiro. FIOCRUZ, 2004, 116p. DISCHINGER, Marta. Designing for alll senses: Accessible spaces for visually impaired citizens. 2000. 260f. Thesis (for the degree of Doctor of Philosophy) - Department of Space and Process School of Architecture, Chalmers University of Technology, Göteborg, Suécia, 2000. FERNANDES, Julieta Cristina. A acessibilidade do idoso em Uberlândia: desafios ao pensamento da cidade inclusiva. Dissertação de mestrado – Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Uberlândia. 2003. GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ. Guia de Acessibilidade: Espaço Público e Edificações. Elaboração: Nadja G.S. Dutra Montenegro; Zilsa Maria Pinto Santiago e Valdemice Costa de Sousa. Fortaleza: SEINFRA-CE, 2009. IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico 2010. Base de dados Sidra. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. ORNSTEIN, Sheila Walbe; BRUNA, Gilda Collet; ROMÉRO, Marcelo de Andrade. Ambiente Construído e Comportamento: a Avaliação Pós Ocupação e a qualidade ambiental. São Paulo, FAU USP/Studio Nobel/FUPAM, 1995. PREISER, W. F.; VISCHER, J. C.; WHITE, E. T. (Orgs.) Design intervention: toward a more humane architexture. New York: Van Nostrand Rheinhold, 199 RHEINGANTZ, Paulo A., et al. Observando a Qualidade do Lugar: procedimentos para a avaliação pós-ocupação. Rio de Janeiro: Coleção PROARQ/FAU/UFRJ, 2009. SANTIAGO, Zilsa Maria Pinto; DO NASCIMENTO, Raquel Martins. Avaliação das Condições de Microacessibilidade física na Avenida Bezerra de Menezes Pós-Transfor. In: Anais VI Eneac, 2014. THIBAUD, Jean-Paul. Regards en action. Ethnométhodologie des espaces publics. Bernin: A la Croisée, 2002. VILLAÇA, Flávio. Espaço Intra-Urbano no Brasil. São Paulo: Ed. Studio Nobel: FAPESP: Licoln Institute, 1998.
Como citar:

MORANO, Raquel Pessoa; SANTIAGO, Zilsa Maria Pinto; "ANÁLISE DA ACESSIBILIDADE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL EM TERMINAIS DE ÔNIBUS", p. 1162-1173 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/eneac2018-092

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações