Artigo completo - Open Access.

Idioma principal

ACESSIBILIDADE AO PATRIMÔNIO CULTURAL: O CASO DO EDIFÍCIO SEDE DA CÂMARA MUNICIPAL DO RECIFE

DIAS, Ângela Teixeira Costa;

Artigo completo:

A legislação brasileira indica o acesso às fontes de cultura nacional como direito de todos, garantido pelo Estado. Para atingir esse objetivo é necessário suprimir barreiras arquitetônicas, oferecendo à população condição de deslocamento com segurança e autonomia. No caso do patrimônio cultural imóvel deve-se torna-lo acessível preservando a autenticidade. Assim sendo, este trabalho analisa o Edifício sede da Câmara Municipal do Recife (CMR) através da “Matriz A&A”, ferramenta desenvolvida por Ferreira (2011), que funde a avaliação de autenticidade e acessibilidade em único instrumento, demonstrando que as características físicas do patrimônio arquitetônico não podem ser um entrave à sua adaptação.

Artigo completo:

Palavras-chave: Acessibilidade; patrimônio cultural; Câmara Municipal; Recife.,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/eneac2018-016

Referências bibliográficas
  • [1] ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR 9050: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro, 2015. BRASIL. Legislação. DECRETO-LEI Nº 25, DE 30 DE NOVEMBRO DE 1937. Organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 06 dez. 1937. BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, Centro Gráfico, 1988. CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. Tradução: Luciano Vieira Machado. 3ed. São Paulo: Estação Liberdade, UNESP, 2006. FERREIRA, Oscar Luís. Patrimônio Cultural e Acessibilidade: As intervenções do Programa Monumenta, de 2000 a 2005. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo), UnB, Brasília, 201 Disponível em: Acesso: 20/01/2017 INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Cartas Patrimoniais. Brasília: IPHAN, 1995. Disponível em: Acesso: 10/05/2017 INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Instrução Normativa n.º 1, de 25 de novembro de 2003. Dispõe sobre a acessibilidade aos bens culturais imóveis acautelados em nível federal, e outras categorias, conforme especifica. KÜHL, Beatriz Mugayar. Notas sobre a Carta de Veneza. Anais do Museu Paulista, São Paulo, v. 18, n. 2, p. 287-320, dez. 2010. Disponível em: Acesso: 11/05/2017 RECIFE. Lei n° 16.176 de 1996. Estabelece a Lei de Uso e Ocupação do Solo da Cidade do Recife. Diário Oficial de Recife, Poder Executivo, Recife, PE, 09 abr. 1996. SASSAKI, Romeu Kazumi. Como chamar as pessoas que têm deficiência? Revista da Sociedade Brasileira de Ostomizados, ano I, n. 1, 1° sem. 2003, p.8-1 [Texto atualizado em 2014] Disponível em: Acesso: 10/05/2017 SILVA, Geraldo Gomes da. Arquitetura Eclética em Pernambuco. In: FABRIS, Annateresa (org.). Ecletismo na Arquitetura Brasileira. São Paulo: Nobel EDUSP, 1987.
Como citar:

DIAS, Ângela Teixeira Costa; "ACESSIBILIDADE AO PATRIMÔNIO CULTURAL: O CASO DO EDIFÍCIO SEDE DA CÂMARA MUNICIPAL DO RECIFE", p. 248-260 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/eneac2018-016

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações