Artigo completo - Open Access.

Idioma principal

ACESSIBILIDADE A MOBILIÁRIO E EQUIPAMENTOS DE TERMINAIS AEROPORTUÁRIOS: COMPARAÇÕES ENTRE A LEGISLAÇÃO E A EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO COM DEFICIÊNCIA VISUAL

CAVALCANTE, Erika Pinheiro Gomes; DUARTE, Cristiane Rose de Siqueira; COHEN, Regina;

Artigo completo:

Este artigo trata da acessibilidade nos terminais aeroportuários focando, mais especificamente, na
experiência da pessoa com deficiência visual. Tendo como estudo de caso o Aeroporto Santos
Dumont, no Rio de Janeiro, a pesquisa buscou avaliar se as expectativas das pessoas cegas e com
baixa visão correspondem à legislação atual. Neste artigo focamos o caso dos equipamentos,
mobiliários e layout. As metodologias empregadas foram: revisão bibliográfica, entrevistas, poema
dos desejos e observação participante. Os resultados da pesquisa revelam diversas contradições
entre as demandas do usuário e a legislação e evidenciam a necessidade de se prosseguir com
pesquisas referentes à temática.

Artigo completo:

Palavras-chave: Acessibilidade, Deficiência Visual, aeroportos, legislação.,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/eneac2018-105

Referências bibliográficas
  • [1] ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14273: acessibilidade da pessoa portadora de deficiência no transporte aéreo comercial. Rio de Janeiro, 1999. . NBR 13994: elevadores de passageiros. Elevadores para transporte de pessoa portadora de deficiência. Rio de Janeiro, 2000. . NBR 9050: acessibilidade de pessoas portadoras de deficiência a edificações, espaço, mobiliário e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro, 2004. . NBR 10634: aeroportos. Ponte de embarque e desembarque para aeronaves. Rio de Janeiro, 2012. . NBR 9050: acessibilidade de pessoas portadoras de deficiência a edificações, espaço, mobiliário e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro, 2015. BARBATO, Renato; ROMEU, Paulo. Pela acessibilidade nas máquinas de pagamento de cartão de crédito. Inclusive – Inclusão e Cidadania, 8 de maio de 2016. Disponível em: . Acesso em: fev. 2017. BRASIL. Decreto-lei nº 200, de 25 de fevereiro de 1967. Dispõe sobre a organização da Administração Federal, estabelece diretrizes para a Reforma Administrativa e dá outras providências. Brasília: Presidência da República, 1967. . Lei n° 5.862, de 12 de dezembro de 1972. Constitui a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária – Infraero. . Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000 Brasília, DF, 2004. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5296.htm. Acesso em: 20 maio 2016. BRASILEIRO, Alice et al. Avaliação de desempenho das instalações internas do Proarq utilizando wish poem. In: NUTAU‟2004 – Demandas sociais, inovações tecnológicas e a cidade, 2004, São Paulo. Anais... São Paulo: Universidade de São Paulo, 2004. 8 p. CAVALCANTE, Erika. Acessibilidade nos terminais aeroportuários brasileiros: contradições entre a legislação e a experiência da pessoa com deficiência visual. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017. CAVALCANTE, Erika; DUARTE, Cristiane; COHEN, Regina. Arquitetura de aeroportos: dos terminais de passageiros aos aero shoppings. Revista Projetar, v. 2, p. 57‐68, 2017. FELIPPE, João Álvaro de Moraes. Apostila Caminhando Juntos. 200 Disponível em: www.ebah.com.br/content/ABAAAfn7UAL/apostila-caminhando-juntos-por-joao-alvaromoraes- felippe . Acesso em 18 nov. 2016. [on-line]. GODOY, Arilda Schmidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas (RAE), São Paulo, v. 35, n. 2, p. 57-63, mar./abr. 1995. Disponível em: www.scielo.br/pdf/rae/v35n2/a08v35n2.pdf . Acesso em: 5 maio 2016. MANTOVANNY, Kelly. Máquina de cartão sem tecla limita uso de deficiente visual. Folha de São Paulo, 19 de setembro de 2016. Disponível em: wwwfolha.uol.com.br/mercado/2016/09/1814412-maquina-de-cartao-sem-tecla-limita-usopor- deficiente-visual.shtml . Acesso em: fev. 2017. VENTORINI, Silvia Elena. A experiência como fator determinante na representação espacial do deficiente visual. São Paulo: Unesp, 2009. YOUNG, Seth; WELLS, Alexander. Aeroportos: planejamento e gestão. Tradução de Ronald Saraiva de Menezes. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2014.
Como citar:

CAVALCANTE, Erika Pinheiro Gomes; DUARTE, Cristiane Rose de Siqueira; COHEN, Regina; "ACESSIBILIDADE A MOBILIÁRIO E EQUIPAMENTOS DE TERMINAIS AEROPORTUÁRIOS: COMPARAÇÕES ENTRE A LEGISLAÇÃO E A EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO COM DEFICIÊNCIA VISUAL", p. 1279-1290 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/eneac2018-105

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações