Artigo completo - Open Access.

Idioma principal

ACESSAR PARA APRENDER: AVALIAÇÃO DA ACESSIBILIDADE FÍSICA DO CAMPUS SERRA TALHADA DO IF SERTÃO-PE JUNTO À ALUNOS DO ENSINO MÉDIO

SILVA, Camila Coelho;

Artigo completo:

Sabe-se que as pessoas com deficiência enfrentam dificuldades cotidianamente, destacando-se o acesso à educação, sejam por barreiras sociais, arquitetônicas, tecnológicas ou atitudinais, muitas vezes imperceptíveis às pessoas sem deficiência. A pesquisa apresentada, em andamento, objetiva avaliar as condições de acessibilidade física do campus Serra Talhada do IF Sertão-PE, tendo como parâmetro a percepção dos alunos do ensino médio e demais usuários, bem como a legislação vigente. Acredita-se que o envolvimento dos alunos na avaliação e discussão da questão possa contribuir para conscientização desse direito e fortalecimento do exercício à cidadania, além de embasar futuras modificações do campus.

Artigo completo:

Palavras-chave: Acessibilidade física; educação; conscientização,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/eneac2018-007

Referências bibliográficas
  • [1] ARANHA, M. S. F. Educação inclusiva – Referenciais para a construção de sistemas educacionais Inclusivos: a escola. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Especial, 2004. v. 3. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR 9050/2015: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro, 2015. BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Imprensa Oficial, 1988. . Decreto Nº 5.296, de 02 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Brasília, 2004. . Lei Nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Brasília, 2000. . Lei Nº 13.146, de 06 julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, 2015. CAMBIAGHI, Silvana. Desenho universal: Métodos e Técnicas para arquitetos e urbanistas. Editora Senac São Paulo: São Paulo, 2007. ; CARLETTO, Ana C., Desenho Universal: um conceito para todos. Mara Gabrilli, 2008. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. Todos juntos por um Brasil mais acessível: O MP e a pessoa com deficiência. Brasília: CNMP, 2014. Disponível em: < http://www.cnmp.mp.br/portal/images/stories/Destaques/Publicacoes/ACESSIBILIDADE_KM_WEB.pd f>. Acesso em: 7 maio 2017. DISCHINGER, M. et al (Org.). Desenho Universal nas escolas: acessibilidade na rede municipal de ensino de Florianópolis. Florianópolis: PRELO, 2004. 190 p. DISCHINGER, M.. Design for all senses: accessible spaces for visually impaired citizens. 2000. Thesis (for the degree of Doctor of Philosophy) Department of Space and Process School of Architecture, Chalmers University of Technology, Göteborg, Sweden, 2000. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2017. GODOY, A. S.. Pesquisa qualitativa – tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v.35, n.3, p. 20-29. Mai. jun. 1995. Disponível em: < http://hdl.handle.net/11449/20595>. Acesso em: 30 abr. 2017. GUERREIRO, Elaine Maria Bessa Rebello. A acessibilidade e a educação: um direito constitucional como base para um direito social da pessoa com deficiência. Rev. Educ. Espec., Santa Maria, v. 25, n. 43, p. 217-232, maio/ago. 2012. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2017. JOCHIMS, C. E.; BINS ELY, V. H. M. Avaliação das condições de acessibilidade em um órgão público na cidade de Torres, RS. Blucher Design Proceedings, v. 2, n. 1, p. 308-319, 2015. MEC/SEESP. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado pela Portaria Ministerial nº 555, de 5 de junho de 2007, prorrogada pela Portaria nº 948, de 09 de outubro de 2007. Disponível em: . Acesso em: 01 mai. 2017. ORNSTEIN, S.; ROMERO, M. Avaliação pós-ocupação do ambiente construído. São Paulo: Studio Nobel: EDUSP, 1992. PAIVA, M. M. B; VILLAROUCO, V. Acessibility in Collective Housing for the Elderly. Work, v. 41, p. 4174-4179, 2012. REIS, Thiago; MORENO, Ana Carolina. O raio x das escolas no país. Publicado em 17/08/2015a. Disponível em: . Acesso em: 06 maio 2017. REIS, Thiago; MORENO, Ana Carolina. A escola acessível (ou não). Publicado em 19/08/2015b. Disponível em: . Acesso em: 06 maio 2017. RHEINGANTZ, José Afonso; AZEVEDO, Giselle Arteiro; BRASILEIRO, Alice; ALCANTARA, Denise de; QUEIROZ, Mônica. Observando a qualidade do lugar: Procedimentos para a avaliação pós- ocupação. Coleção PROARQ. FAU/UFRJ. Rio de Janeiro/RJ: 2009. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2017. SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA (SDHPR). Cartilha do Censo 2010. Brasília: SDH-PR/SNPD, 2012, 32 p.
Como citar:

SILVA, Camila Coelho; "ACESSAR PARA APRENDER: AVALIAÇÃO DA ACESSIBILIDADE FÍSICA DO CAMPUS SERRA TALHADA DO IF SERTÃO-PE JUNTO À ALUNOS DO ENSINO MÉDIO", p. 134-145 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/eneac2018-007

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações