Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

A PERSONAGEM COMO CONDUTORA DA NARRATIVA JOGÁVEL

Scarpi, Kate;

Artigo Completo:

O artigo tem como objetivo demonstrar por meio de revisão bibliográfica e estudos de caso, como a personagem de jogos digitais pode tornar-se um elemento de exploração da narrativa jogável. Os jogos vêm ganhando força como mídia de exploração narrativa, sendo, neste sentido, comparados por autores como Murray (2003), a outras formas de expressão como a literatura e o cinema. Porém, diferentemente destas, os jogos digitais estabelecem relações de interação com uma figura ontologicamente distinta da do espectador ou leitor: o jogador. É ele quem controlará uma personagem jogável ou avatar que irá conduzir à narrativa e apresentar o universo fictício a este sujeito-jogador, desvelando suas diferentes camadas de interação e potencialidades.

Artigo Completo:

Palavras-chave: personagem; narrativa; jogos digitais; game design; jogabilidade; videogame,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/despro-ped2016-0378

Referências bibliográficas
  • [1] ARANTES, Priscila. Reescrituras da Arte Contemporânea: história, arquivo e mídia. Porto Alegre: Sulina, 2015.
  • [2] BARTHES, Roland. Introdução à análise estrutural da Narrativa. Rio de Janeiro: Editora Vozes. 2008.
  • [3] BIZZOCCHI, Jim; TANENBAUM, Joshua. Mass Effect 2: A Case Study in the design of game narrative. Bulletin of Science, Technology & Society 32 (5). 2012.
  • [4] COOK, Monte. Dungeons & Dragons: Livro do Jogador : Livro de Regras Básicas, V.3.5 / Monte Cook, Jonathan Twet, Skip Williams: [Tradutores Marcelo de Souza Stefani e Bruno Cobbi Silva; Revisões Douglas Ricardo Guimarães] – São Paulo : Devir 200
  • [5] EISNER, Will.; DEL MANTO, Leonardo Luigi. Narrativas gráficas de Will Eisner. São Paulo: Editora Moderna. 1997.
  • [6] FLUSSER, Vilém. O Mundo codificado: por uma filosofia da comunicação. São Paulo, Cosac Naif, 2007
  • [7] _____________. Filosofia da Caixa Preta: Ensaios para uma futura filosofia da fotografia. São Paulo: HUCITEC, 1985.
  • [8] GENETTE, Gérard. Discurso da narrativa. 3. ed. Lisboa: Vega, 1995.
  • [9] MACHADO, Arlindo. O sujeito na tela: modos de enunciação no cinema e no ciberespaço. São Paulo: Paulus. 2007.
  • [10] MURRAY, Janet H. Hamlet no Holodeck. São Paulo: Editora UNESP. 2003.
  • [11] NESTERIUK, Sergio. A narrativa do jogo na hipermídia: a interatividade como possibilidade comunicacional. 2002. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Semiótica) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP. São Paulo.
  • [12] NIXON, Michel; BIZZOCCHI, Jim. Press X for Meaning: Interaction Leads to Identification in Heavy Rain. Proceedings of DiGRA 2013: DeFragging Game Studies.
Como citar:

Scarpi, Kate; "A PERSONAGEM COMO CONDUTORA DA NARRATIVA JOGÁVEL", p. 4398-4409 . In: Anais do 12º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 9, n. 2]. São Paulo: Blucher, 2016.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/despro-ped2016-0378

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações