• -

Site do evento

Você participou do Comitê Organizador desse evento?
Clique aqui.

novembro 2015 vol. 2 num. 2

Idioma principal | Segundo idioma

VII Encontro de Tecnologia de Informação e Comunicação na Construção - Edificações, Infra-estrutura e Cidade: Do BIM ao CIM

VII Encontro de Tecnologia de Informação e Comunicação na Construção - Edificações, Infra-estrutura e Cidade: Do BIM ao CIM

TICs no desenvolvimento de projetos de edifícios

TICs no planejamento e na produção da construção

TICs na gestão e operação de edifícios

TICs no desenvolvimento das cidades e na gestão pública

TICs na gestão do conhecimento, integração e colaboração

TICs na pesquisa e ensino

Desenvolvimento e implementação de software BIM/CIM para a AEC

Apresentação

Em sua sétima edição, o Encontro Nacional de Tecnologia de Informação e Comunicação na Construção ou TIC2015 já se constitui como um fórum consagrado de apresentação de trabalhos, palestras e discussões sobre as tecnologias de informação e comunicação aplicadas ao setor de construção. Comum a temática central intitulada ”Edificações, Infraestrutura e Cidade: do BIMao CIM” o evento visou promover a construção de um panorama sobre a amplificação do conceito de Modelagem da Informação da Construção (Building Information Modeling – BIM) de modo a abordar uma escala relacionada ao desenvolvimento urbano com a ideia da City Information Modeling - CIM, e contribuir para a melhoria de qualidade e de desempenho das construções e dascidades.

    Realizado em Recife – PE com organização da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE e do Grupo de Trabalho de Tecnologiade Informação e Comunicação – GT.TIC (BIM) da ANTAC, o TIC2015 promoveu discussões acadêmicas de excelência bem como possibilitou um importante intercâmbio entre universidades e o mercado, congregando pesquisadores, estudantes, profissionais de projeto e construção, desenvolvedores de sistemas, agentes públicos e políticos. Nesta edição do evento, a partir do envio de 110 resumos foram recebidas 95 submissões de artigos completos. Após um processo de avaliação duplo-cego envolvendo 41 pareceristas, setenta artigos foram aceitos para apresentação e publicação. Esse expressivo número de artigos selecionados demonstra que cada vez mais as tecnologias da informação e da comunicação vêm sendo aplicadas não só para edificações e obras de infraestrutura, mas também ao gerenciamento de espaços urbanos e desenvolvimento de projetos de novas áreas nas cidades.

    Dentre os sete temas de distribuição de artigos e apresentações, destaca-se a modelagem ou processo BIM que têm recebido grande atenção no mercado de empreendimentos de construção e na academia e tem crescente disseminação. Por outro lado, CIM pode ser entendida como a ampliação de BIM para uma escala relacionada ao desenvolvimento urbano e aplicável a bairros e cidades modelados digital e integradamente.

    A Coordenação da Comissão Científica e a de Organização do TIC2015 agradecem aos autores que submeteram seus trabalhos, aos avaliadores que emprestaram seu tempo e conhecimentos para analisar os artigos submetidos e aos diversos apoiadores do evento. O sucesso do TIC2015 é resultado de muito trabalho e de intensa colaboração e dedicação de uma fantástica rede de relacionamentos, bem ao tom das tecnologias de informação ecomunicação!

    TIC2015, Recife, 4 a 6 de novembro de 2015


Sergio Scheer
Presidente
Comissão Científica

Max Lira Veras Xavier de Andrade
Coordenador Geral
Comissão Organizadora


TIC2015: Edificações, infraestrutura e cidade: do BIM ao CIM

Nos últimos anos tem se verificado, de forma cada vez mais acelerada, a inserção da Modelagem de Informação da Construção (Building Information Modelling – BIM) nas universidades e no mercado da construção civil. A história das TICs revela a crescente discussão gerada sobre comoimplementar e ensinar conceitos relacionados aos modelos da informação aplicado ao desenvolvimento de projetos, construção e manutenção dos edifícios, abordando em suas conferências temas que envolvem a implementação do BIM, a coordenação e gerenciamento de projetos e a interoperabilidade.

Mais recentemente também se verifica a expansão do uso das tecnologias da informaçãoaplicadas ao gerenciamento de espaços urbanos e modelos da informação voltados ao projeto de novas áreas da cidade. Segundo Crang e Graham (2007), as cidades sempre foram um canal para o fluxo de pessoas, objetos e informação. Ao longo das últimas décadas este canal vem se tornando cada vez mais dinâmico, principalmente quando se trata do fluxo de informação. Quase tudo que fazemos pode resultar na produção de algum tipo de informação digital e, muitas vezes, estes dados são produzidos por computadores e sensores que não são percebidospor nós mesmos. Estes estão embebidos no espaço, colaborando com um processo cada vez maior de sua onipresença em relação às ações humanas.

No ambiente urbano este processo, conhecido como computação ubíqua, promoveu o surgimento de um novo conceito urbanístico denominado decidade sensível. Segundo Aurignac (2013), por toda a cidade os sistemas deinformação começaram a "perceber" o que está ocorrendo ao seu redor, de tal forma que são capazes de reagir diante de um estimulo detectado. As nossas urbes estão aumentando a capacidade de processamento de informação em todo seu entorno coletivo e as tecnologias digitais estão permitindo que os sistemas da cidade memorizem, inter-relacionem e prenunciem ações ou comportamentos, afetando assim a experiência do público.

Nesse contexto, são desenvolvidas novas tecnologias que permitem a utilização da informação gerada no ambiente como meio para otimizar diferentes aspectos relacionados ao desenvolvimento e gerenciamento das cidades. Um dos conceitos, que podem ser considerados inovadores na área, baseia-se no próprio desenvolvimento do BIM e chama-se City Information Modelling (CIM). O CIM pode ser considerado como uma extensão do BIM aplicada a bairros ou cidades inteiras. Seu objetivo geral é possibilitar a integração de modelos elaborados em plataformas BIM, de modo acriar uma réplica digital da cidade, que poderá ser utilizada como base para a realização de análises e simulações sofisticadas. Assim como o BIM pode ajudar na melhor integração de diferentes aspectos do edifício, o CIM pode, eventualmente, colaborar para uma melhor integração de diferentes estruturas eserviços dentro da cidade, permitindo que sua operação seja otimizada.

Esta ampliação do conceito BIM para uma escala maior, relacionada ao desenvolvimento de áreas urbanas, permite vislumbrar uma série de discussões sobre, não apenas a implementação de sistemas aplicados ao edifício, mas tambéma interface deste com a cidade. Como os dados gerados por sistemas deinformação coletados da cidade influenciam, por exemplo, processos de concepção de um edifício e como, os dados gerados por este permitem um melhor gerenciamento da cidade?

Objetivos

O TIC2015 teve como objetivo criar um ambiente de discussão abordando aspectos relacionados ao uso de tecnologias inovadoras que possam auxiliar a racionalizar o planejamento e a gestão dos edifícios e das cidades. A ideia foi criar um ambiente de discussão sobre o uso das tecnologias da informação nos edifícios e nas cidades e permitir novas parcerias entre pesquisadores de instituições públicas, e, também, entre empresas da área da construção e da informação.

Como é a primeira vez que acontece um evento científico deste porte e categoria na Cidade do Recife influenciando diretamente a região Norte-Nordeste o TIC2015 teve uma grande relevância científica local, pois trouxe para a comunidade científica regional as mais recentes e inovadoras pesquisas na área de tecnologia da informação e comunicação para a construção, abordando principalmente o Building Information Modeling e o City Information Modeling. Além do caráter científico do evento, com a apresentação e discussão dos trabalhos dos principais pesquisadores brasileiros na área, o TIC2015 contou com uma série de palestras e mesas redondas com alguns dos maiores especialistas na implementação do BIM/CIM no mundo, entre pesquisadores, desenvolvedores e projetistas de fama internacional. Ao todo foram programados 17 palestras, 70 artigos em sessões técnicas, além de 3 workshops.

Do ponto de vista tecnológico o evento serviu como um grande estimulador para o desenvolvimento de pesquisa e implementação na área de tecnologia de software voltada para a indústria da construção. O evento ocorreu no coração do Porto Digital/Recife, e teve a participação direta de várias empresas voltadas para o desenvolvimento tecnológico.

O TIC no contexto da ANTAC

Com a missão de desenvolver pesquisa acadêmica de alto nível sobre a temática da tecnologia da informação e comunicação na construção civil um grupo de pesquisadores nacionais vem realizando nos últimos anos o evento denominado TIC. O grupo de pesquisa que coordena este evento é denominado de Grupo de Trabalho de Tecnologia da Informação e Comunicação. Esse se constitui como um dos 10 grupos de trabalho da ANTAC [http://www.antac.org.br/]. A Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído [ANTAC] atua no desenvolvimento científico e tecnológico no setor de construção e na melhoria da qualidade do ambiente edificado pelo homem. Nesse contexto, o processo de projeto e a avaliação de projetos se configuram como estratégicos para aprimorar a qualidade do ambiente construído e constituem as etapas nas quais as tecnologias e as soluções são concebidas, desenvolvidas e avaliadas, com repercussões nas demais etapas do ciclo de vida do ambiente (construção, uso e operação, manutenção, requalificação ou descarte).

Histórico de Eventos Anteriores do TIC

O TIC é um evento que congrega pesquisadores da Arquitetura, Engenharia e Construção e da cadeia produtiva da construção civil interessados na melhoria dos processos de concepção, produção e gestão da construção com aplicação de tecnologia de informação e comunicação. O evento é bianual com sua primeira edição em 2002. Já foi realizado em três regiões do Brasil, nas seguintes cidades: Curitiba (2002), São Paulo (2005), Porto Alegre (2007), Rio de Janeiro (2009), Salvador (2011) e Campinas (2013). Conta com uma participação crescente. O evento prima por proporcionar a comunidade científica e empresarial brasileiras oportunidades únicas de interação com palestrantes internacionais, referências em sua temática.




Image title








































Comissão Organizadora

Coordenação Geral

  • Max Lira Veras Xavier de Andrade (DEG-MDU/UFPE)

Comitê Organizador

  • Ana Cláudia Rocha Cavalcanti (UFPE)

  • Augusto Magno (UFPE)

  • Auta Luciana Laurentino (UFPE)

  • Carlos Eduardo Verzola Vaz (UFPE)

  • Cesário Júnior (UFPE

  • Cristiana Maria Sobral Griz (UFPE)

  • Fernando Almeida (UFPE)

  • Flávio Antônio de Souza (UFPE)

  • Letícia Teixeira Mendes (UFPE)

  • Luiz Manuel do Eirado Amorim (UFPE)

  • Pedro Martins Alessio (UFPE)

  • Sadi Seabra (UFPE)

Comitê Externo

  • Beda Barkokebas (Univ. Alberta/Canada)

  • Eduardo Toledo Santos (USP/BR)

  • José Nuno Beirão (FAULisboa/PT)

  • Regina Coeli Ruschel (Unicamp/BR)

  • Sergio Scheer (UFPR/BR)

Equipe de Apoio

  • Amanda Lira (UFPE)

  • Ana Maria Duarte (UFPE)

  • Anderson Jose de Melo (UFPE)

  • Anderson Soares (UFPE)

  • Antonieta Bonani (UFPE)

  • Caio Albuquerque (UFPE)

  • Célio Moura (UFPE)

  • Dayane Santos (UFPE)

  • Elson Rodrigues (UFPE)

  • Isabely Marques (UFPE)

  • Juan Victor

  • Julia Dutra (UFPE)

  • Karen Mutchnik (UFPE)

  • Karoline Lima (UFPE)

  • Laysa Monteiro (UFPE)

  • Luciana Nelson (UFPE)

  • Mahyara Do Nascimento (UFPE)

  • Maria Eduarda Duarte (UFPE)

  • Pamella Clericuzzi (UFPE)

  • Raquel Cantinha (UFPE)

  • Robson Oliveira (UFPE)

  • Rodrigo Marques (UFPE)

  • Tiago Ramos  (UFPE)

  • Williane Xavier (UFPE)

Comissão Científica

Presidente

  • Sergio Scheer

Avaliadores

  • Aloisio Schmid (UFPR)

  • Ana Cuper (USP)

  • Andrea Queiroz Rego (FAU/UFRJ)

  • Arivaldo L. Amorim (UFBA)

  • Beda Barkokebas (Univ. de Alberta /Canada)

  • Carlos Eduardo Verzola Vaz (UFPE)

  • Cervantes G. Ayres Filho (Genius Loci)

  • Claudio Alcides Jacoski (UNOCHAPECÓ)

  • Daniel Cardoso(UFC)

  • Eduardo Arantes (UFMG)

  • Eduardo Luis Isatto (UFRGS)

  • Eduardo Sampaio Nardelli (UPM)

  • Eduardo Toledo Santos (USP)

  • Érica de Sousa Checcucci (UNIVASF)

  • Fabiano Correa (UFRG)

  • Fábio Kellermann Schramm (UFPel)

  • Gabriela Celani (FEC/UNICAMP)

  • Helena Fernanda Graf (UFPR)

  • José Carlos Lino (UPorto/Portugal)

  • José Luís Menegotto ( POLI/UFRJ)

  • José Nuno Beirão (FA ULisboa/Portugal)

  • Juarez Moara Franco (FEC/UNICAMP

  • Letícia Teixeira Mendes (UFPE)

  • Marcelo Eduardo Giacaglia (FAU/USP)

  • Marcelo Moraes (FEC/UNICAMP)

  • Márcio Minto Fabrício (USP)

  • Maria Bernadete Barison (UEL)

  • Maria do Carmo Duarte Freitas (UFPR)

  • Max Lira V. X. de Andrade (UFPE)

  • Mônica Santos Salgado (UFRJ)

  • Neander Furtado Silva (UNB)

  • Paula de Castro Brasil (UNESA)

  • Paulo Roberto Pereira Andery (UFMG)

  • Regiane Trevisan Pupo (UFSC)

  • Regina Coeli Ruschel (FEC/UNICAMP)

  • Ricardo Mendes Junior (UFPR)

  • Sergio Leal Ferreira (USP)

  • Sergio Roberto Leusin de Amorim (Consult.BIM)

  • Sheyla Mara Baptista Serra (UFSCAR)

  • Vera Regina Tangari (FAU/UFRJ)

  • Wilson Florio (UPM/UNICAMP)