Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Utilização do Monóxido de Carbono como indicador da qualidade do ar na Universidade Federal de Campina Grande.

Use of carbon monoxide, as an indicator of air quality in the Federal University of Campina Grande.

LIMA, Fernanda Siqueira; JÚNIOR, Adalício Uzeda Antunes; ARAÚJO, Maria Isabel do Bú; ANDRADE, Maria Rosiane de Almeida;

Completo:

A qualidade do ar é um padrão indicativo das condições atmosféricas de uma determinada região e através dela, é possível determinar a qualidade de vida dos habitantes. Um país ou uma cidade que possui um índice de qualidade do ar (IQAr) classificado como inadequado, consequentemente terá uma população com sérios problemas de saúde (tosse, cansaço, irritação nos olhos, nariz e garganta). Os veículos (carros, ônibus, caminhões, etc) e motos são considerados fontes expressivas do monóxido de carbono, já que até mesmo estacionados são fontes emissoras, representando grande parcela desse gás na atmosfera. Estudos mostram que as emissões veiculares são responsáveis pelo grau de poluição nas médias e grandes cidades. Atualmente o Brasil possui 2.378 instituições de ensino superior (IES), que se distribuem em todo país. Essas IES são organizações sociais e como tal exprimem de maneira determinada a estrutura e o modo de funcionamento da sociedade como um todo. Esse perfil, as levam a serem comparadas com pequenos centros urbanos, envolvendo uma infraestrutura comparada a municípios de médio e pequeno porte. Neste contexto, a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), é uma IES de relevância para o Estado da Paraíba, visto que, possui um fluxo diário médio de 11.873 pessoas, representando 3,07% dos 386.000 habitantes de Campina Grande, cuja frota veicular é de 147.423 veículos e 78.551 motos. Os veículos são considerados fontes móveis de poluição atmosférica, responsáveis pela geração de monóxido de carbono (CO), um gás que em concentrações elevadas causa efeito negativo à saúde.

Completo:

To say that quality of life is talk of air quality, considering this a pattern indicative of atmospheric conditions in a particular region. A country or a city that has an air quality index (IQAr) classified as inadequate hence will have a population with serious health problems (cough, fatigue, eye irritation, nose and throat). Vehicles (cars, buses, trucks, etc.) and motorcycles are considered significant sources of carbon monoxide, since even parked are emitting sources, representing large portion of this gas in the atmosphere. Studies show that vehicle emissions are responsible for the degree of pollution in towns and cities. Brazil currently has 2,378 higher education institutions (HEI), which are distributed throughout the country. HEI these are social organizations and as such express a certain way the structure and mode of operation of society as a whole. This profile, leads them to be compared to small urban centers, involving an infrastructure compared to medium and small cities. In this context, the Federal University of Campina Grande (UFCG), is a relevant institution for the state of Paraiba, since, it has an average daily flow of 11,873 people, accounting for 3.07% of the 386,000 citizens of Campina Grande, whose fleet vehicle is 147,423 vehicles and 78,551 motorcycles. Vehicles are considered mobile sources of air pollution are responsible for the generation of carbon monoxide (CO), a gas which in high concentrations causes negative health effect.

Palavras-chave: Universidades; Emissão de Gases.,

Palavras-chave: Universities; Gas Emissions,

DOI: 10.5151/chenpro-5erq-eng22

Referências bibliográficas
  • [1] BORREGO, C.; Miranda, A. I. Avaliação da Qualidade do Ar da Região Norte: uma perspectiva histórica, 2000 - 2007, Porto. Universidade de Aveiro, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da região Norte (2008).
  • [2] BRAGA, A. L. F. Poluição Atmosférica e seus Efeitos na Saúde Humana. Revista USP, CCS, n. 51, p. 58-71, 2001.
  • [3] BRICKUS, L. S.; AQUINO NETO, F. R. A qualidade do ar de interiores e a química, Química Nova, V. 20, Nº.4: 1997.
  • [4] CAVALCANTI, P.M.P.S., Modelo de Gestao da Qualidade do Ar - Abordagem Preventiva e Corretiva, Tese (Doutorado em Planejamento Energetico),, Universidade federal do Rio de Janeiro, RJ, 2010.
  • [5] [CONAMA] CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução No 03, de 28 de Junho de 1990. 1990. Disponível em http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=660. Acesso em novembro 2013
  • [6] [CETESB] COMPANHIA DE TECNOLOGIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL. A participação dos veículos automotores na poluição atmosférica. São Paulo: CETESB, 1985.
  • [7] _____.Relatorio Anual da Qualidade do ar no Estado de São Paulo – 2001. São Paulo, 2002.
  • [8] _____.Relatorio Anual da Qualidade do ar no Estado de São Paulo – 2005. São Paulo, 2006.
  • [9] _____.Relatorio Anual da Qualidade do ar no Estado de São Paulo – 2011. São Paulo, 2012.
  • [10] [DETRAN] DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO. Frota de veículos. Disponível em: http://www.detran.pb.gov.br/index.php/estatisticas.html Acesso em: 19 agosto 2014.
  • [11] GONÇALVES, L. P. Impacto da combustão Doméstica na Qualidade do Ar. Tese (Mestrado em Engenharia do Ambiente)- Universidade de Aveiro, Departamento de Ambiente e Ordenamento. Aveiro, 2008.
  • [12] [IBGE] INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo das cidades. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/cidades.
  • [13] [IPEA] INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA - Comunicado do IPEA, Poluição Veicular Atmosferica. Nº113 – 22 de setembro de 2011.
  • [14] [INEP] INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS-Censo da Educação Superior 2010 – divulgação dos principais resultados do censo da educação superior 2010.
  • [15] MARIZ, T. F. Avaliação do desempenho ambiental de instituição de ensino superior: modelo com indicadores. 104 f .Tese. (Doutorado em Engenharia Química) - Universidade Federal de Campina Grande. 2013.
  • [16] MARTINS, A. P. Avaliação da Qualidade do Ar em Lisboa. Estações Urbanas de Tráfego. Departamento de Ambiente e Ordenamento: Universidade de Aveiro, Aveiro, 2005.
  • [17] MARTINS, C. B. O ensino superior brasileiro nos anos 90. São Paulo em perspectiva. v.14. n.1. 41-60. 2000.
  • [18] MENDES, E. F.; Avaliação de programas de controle de poluição atmosférica por veículos leves no Brasil; 179 f. Tese (Doutorado em Ciencias em Planejamento Energetico) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.
  • [19] [MMA] MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Disponível em: http://www.mma.gov.br/cidades-sustentaveis/qualidade-do-ar Acessado em: 23 de setembro de 2013.
  • [20] MILANO, M.S. Avaliação quali-quantitativa e manejo da arborização urbana de Maringá-PR. UFPR,Tese ( Doutorado em Ciências Florestais) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2000.
  • [21] MONTEIRO, C.A. F. Derivações antropogênicas dos geossistemas terrestres no Brasil e alterações climáticas: perspectivas urbanas e agrárias ao problema da elaboração de modelos de avaliação. Anais do Simpósio sobre Comunidades Vegetais como Unidades Biológica, Faunística e Econômica. São Paulo.1978.
  • [22] NARDY, M.B.C.; CUNHA,M.E.G.; BICHARA, J.; POLI, M. Análise de Processos em IES Visando a Implantação de um SGA. Revista de Ciências Gerenciais. IPADE. Vol. 14, No. 12, Ano 2011
  • [23] OLIVEIRA, B. C. de., AMORIM, C. Diagnóstico e caracterização dos aspectos ambientais para implantação do sistema de gestão ambiental: caso PUC minas campus coração eucarístico, V Seminário PUC Minas, 2010.
  • [24] OSSES, R.; URRUTIA, C. (2002). Hot Emissions Model for mobile Sources: Applications to the Metropolitan Region of the City of Santiago, Chile. Journal of the Air & Waste Management Association. Vol. 52. pp 167-174.
  • [25] PINTO, D.; GASPAR, P.; GANHO, N.;CORDEIRO,A.M.R. Agentes meteorológicos e qualidade do ar na cidade de Coimbra (Portugal). I Congresso de desenvolvimento regional de Cabo Verde, Cabo Verde, 2009.
  • [26] [PROCONVE] PROGRAMA DE CONTROLE DE POLUIÇÃO DO AR POR VEÍCULOS AUTOMOTORES. Relatório de emissão 2009. Disponível em:
  • [27] RODRIGUES, A. F. S. B. Avaliação da qualidade do ar a longo prazo da cidade de Lisboa. 87 f. Dissertação (Engenharia do Ambiente, perfil de Ordenamento do Território e Impactes Ambientais), Universidade Nova de Lisboa. 2013.
  • [28] SANTOS, R. M. Avaliação da Qualidade do Ar na Área Metropolitana do Porto, 1999-2003. Tese (Mestrado em Engenharia do Ambiente)- Universidade de Aveiro, Porto, 2003.
  • [29] SOUZA, A. A. M.; COSTA, S.M. F. O uso de fotografias aéreas para a análise do processo de verticalização na cidade de São José dos Campos - SP. In: Anais IX Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Santos, Brasil, 11-18 setembro 1998.
  • [30] SILVA, S.C.; Processo de Verticalização da Cidade de Campina Grande. Trabalho de Conclusão de Curso de Licenciatura em Geografía. Universidade Federal da Paraíba, Campina Grande,PB, 2012.
  • [31] TESSAROLO, L.F.; Análise da qualidade do ar em três locais no Estado de São Paulo com características distintas de desenvolvimento econômico; 192f. Dissertação (Mestrado em em Meteorologia) – INPE, São josé dos Campos, 2012.
  • [32] TEIXEIRA, E. C., FELTES, S., SANTANA, E. R. R. de. Estudo das emissões de fontes móveis na região metropolitana de Porto Alegre, Química Nova, V. 31, Nº.: 2008.
  • [33] TAUCHEN, J; BRANDLI, L.L. A gestão ambiental em instituições de ensino superior: modelo para implantação em campus universitário. Revista de Gestão e Produção. 2006.
  • [34] VARDOULAKIS, S.; Fisher, B.; Pericleous, K.; Gonzalez.Flesca, N. (2003). Modelling air quality in street canyons: a review. Atmospheric Environment. Vol. 37, Issue 2, pp 2659-2677.
  • [35] VIEIRA, N. R. Poluição do Ar. Rio de Janeiro: E-papers, p 220. 2009.
Como citar:

LIMA, Fernanda Siqueira; JÚNIOR, Adalício Uzeda Antunes; ARAÚJO, Maria Isabel do Bú; ANDRADE, Maria Rosiane de Almeida; "Utilização do Monóxido de Carbono como indicador da qualidade do ar na Universidade Federal de Campina Grande.", p. 1091-1101 . In: Anais do V Encontro Regional de Química & IV Encontro Nacional de Química [=Blucher Chemistry Proceedings].. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2318-4043, DOI 10.5151/chenpro-5erq-eng22

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações