fevereiro 2015 vol. 1 num. 2 - XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química

Artigo - Open Access.

Idioma principal

MODELO DE MONITORAMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL PRA AS INDÚSTRIAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS

SALES, E. M.; SANTOS, J. C. M. dos; COSTA, A. B. da; LISBOA, V. N. F.; MEDEIROS, A. M de;

Artigo:

As indústrias de rochas ornamentais, grandes fontes produtivas no setor de granitos, apresentam em média o consumo de água em torno de 10.000 L/d e geram aproximadamente 48.000 toneladas de resíduos sólidos por ano. A gestão inadequada de resíduos constitui crime ambiental e pode acarretar multas. O crescimento industrial agrava ainda mais essa problemática ambiental que não deve e nem pode ser esquecida. Diante do exposto o setor tem o desafio de conciliar o desenvolvimento industrial e o desenvolvimento sustentável. Dentro dessa linha a presente pesquisa aborda uma revisão bibliográfica referente à indústria supracitada e como resultado apresenta um modelo de monitoramento de gestão ambiental para a mesma, onde as boas práticas de redução na fonte geradora, substituição da matéria-prima, reutilização e reciclagem são alternativas

Artigo:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/chemeng-cobeq2014-0860-23174-161675

Referências bibliográficas
  • [1] ABIROCHAS/CETEM. 2002. Catálogo de rochas ornamentais do Brasil. Rio de Janeiro. CD-ROM. Windows 95.
  • [2] ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. 1995. Catálogo ABNT. Rio de Janeiro. 360p. ABREU, A., CARVALHO, D. A forças das pedras: O mármore e granito no Espírito Santo. Vitória, ES: Pedreiras do Brasil, 89p. 1994.
  • [3] Área temática: Engenharia Ambiental e Tecnologias Limpas 5CABELLO, M. L. R., Reciclagem de resíduo gerado na extração de quartzito. Tese de doutorado (Programa de Pós-Graduação em Engenharia Metalúrgica, Materiais e de Minas). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. 172p, 2011.
  • [4] CALMON, J.L. et al. Aproveitamento do resíduo do corte de granito para produção de argamassas de assentamento. In: II Simpósio Brasileiro de Tecnologia das argamassas, Anais. Salvador, BA: ANTAC, 1997, p. 64-75.
  • [5] CARANASSIOS, A., CICCU, R. Tecnologia de estração e valorização das rochas ornamentais. Rochas de Qualidade, São Paulo, n.109, p.58-77, abr. – jun. 1992.
  • [6] CHIODI FILHO, C.; RODRIGUES, E. de P. Guia de Aplicação de Rochas em Revestimentos; Projeto Bula. São Paulo: Abirochas, 2009. 100 p. GIACONI, W.J. Perfil atual da indústria de rochas ornamentais no município de Cachoeiro de Itapemirim (ES). Campinas, SP, 1998. 85 p. Dissertação de Mestrado na Área de Administração e Políticas de Recursos Minerais. LIMA FILHO, V.X., et al. Estudo da viabilidade técnica da substituição dos pós cerâmicos convencionais por pó de granito na injeção de peças cerâmicas á baixa pressão. In: Congresso Nacional de Engenharia Mecânica. Anais. Nov/200, Natal/RN, (b). MELLO, Ivan Sergio de Cavalcanti. Indicadores do Mercado Nacional e Internacional de rochas Ornamentais e para Revestimento. A Cadeia produtiva de rochas ornamentais e para revestimento no Estado de São Paulo: diretrizes e ações para inovação e competitividade. MELLO, Ivan Sergio de Cavalcanti (organizador). São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas, 2004, p.1-2
  • [7] M. L. R. Cabello¹, A. E. C. Peres, A. H. Martins, R. G. O. Silva e C. A. Pereira.Métodos de Lavra Aplicada à Extração de Rochas Ornamentais, HOLOS, Ano 28, Vol 5, 2012.
  • [8] MONTANI, C. Stone 2000 – World Marketing Handbook. Faenza (ITA): Gruppo Editoriale Faenza Editrice, 2000, 213 p. NERY, Miguel Antonio Cedraz; SILVA, Emanoel Apolinário da. Balanço mineral de rochas ornamentais 1988-2000. [S.l.], 2001. Mimeografado. NEVES, G., et al. Utilização de resíduos da serragem de granitos para confecção de tijolos cerâmicos. In: 43º Congresso Brasileiro de Cerâmica. Anais. Florianópolis/SC. Jun/1999.
  • [9] PEITER, C. C.; CHIODI FILHO, C. Rochas Ornamentais no Século XXI: Bases para um Política de Desenvolvimento Sustentado das Exportações Brasileiras. Rio de Janeiro: CETEM/ABIROCHAS, 2001. 160 p. PINHEIRO, J. R. Metodologias e tecnologias de extração de rochas ornamentais. Vitória: SENAI/ES, DAE, 1995. 44P. SANTOS, J.F., CHIODI FILHO. C. Programa Michelangelo Espírito Santo: uma proposta para liderança nacional em rochas ornamentais. Brasília. D.N.P.M., 1991. 45 p (apost,). Vidal, F. W. H. Avaliação de granitos ornamentais do nordeste através de suas características tecnológicas. In: III Simpósio sobre Rochas Ornamentais do Nordeste, Anais, Recife, PE, 2002.
Como citar:

SALES, E. M.; SANTOS, J. C. M. dos; COSTA, A. B. da; LISBOA, V. N. F.; MEDEIROS, A. M de; "MODELO DE MONITORAMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL PRA AS INDÚSTRIAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS", p. 7794-7799 . In: Anais do XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química - COBEQ 2014 [= Blucher Chemical Engineering Proceedings, v.1, n.2]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeq2014-0860-23174-161675

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações