fevereiro 2015 vol. 1 num. 2 - XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química

Artigo - Open Access.

Idioma principal

MODELAÇÃO DO CONSUMO DE CLORO NA OXIDAÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA PRESENTE EM ÁGUAS SUPERFICIAIS COM DIFERENTES ORIGENS (PORTUGAL E ANGOLA)

MARTINS, R. J. E.; BOAVENTURA, R. A. R.;

Artigo:

A qualidade da água para consumo humano é uma condição indispensável na sociedade atual. Entre os requisitos de qualidade de uma água de referir a isenção de contaminação bacteriológica, o que requer um processo de desinfeção, normalmente por cloragem, como etapa final do processo de tratamento. Na operação de cloragem é consumido cloro por oxidação de compostos orgânicos presentes na água. Neste trabalho, foi estudado o consumo de cloro pela água bruta do Rio Bengo (Angola) e da água à saída da ETA de Lever (Portugal). Em particular, estudou-se a cinética do decaimento do cloro no seio de amostras de água, tendo sido realizados vários ensaios distribuídos por duas séries: 1ª) variou-se a concentração de cloro, mantendo constante o teor de matéria orgânica (expressa como oxidabilidade ao KMnO4), à temperatura de 25ºC e 35ºC, e na 2ª) foi mantida a concentração de cloro e fez-se variar a oxidabilidade. Foram ajustados diferentes modelos cinéticos aos resultados experimentais de decaimento de cloro e de matéria orgânica; o modelo de primeira ordem paralela foi o que descreveu de forma mais satisfatória a cinética de consumo do cloro.

Artigo:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/chemeng-cobeq2014-0461-25385-137591

Referências bibliográficas
  • [1] ALVES, C. Tratamento de águas de abastecimento. Porto: Publindústria, Edições Técnicas, 2007.
  • [2] Área temática: Engenharia Ambiental e Tecnologias Limpas 8APHA. Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater. Washington DC: 22 Ed., 201
  • [3] BELEZA, J. M. B. Simulação das concentrações de cloro residual e trihalometanos em redes de distribuição de água para consumo humano. Porto: Dissertação de Mestrado, FEUP, 2005.
  • [4] Environmental Protection Agency. Joint position statement trihalomethanes in drinking water november 2011. Health Service Executive, 2011.
  • [5] HUA, F.; WEST, J. R.; BARKER, R. A.; FORSTER, C. F. Modelling of chlorine decay in municipal water supplies. Wat. Res., v. 33(12), p. 2735-2746, 1999.
  • [6] FILHO, S. S. F. Remoção de compostos orgânicos precursores de subprodutos da desinfeção e seu impacto na formação de trihalometanos em águas de abastecimento. Revista de Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 6(1), p. 53- 60, 2001.
  • [7] GANG, D. C.; CLEVENGER, T. E.; BANERJI, S. K. Modeling chlorine decay in surface water. J. of Environ. Informatics, v. 1(1), p. 21-27, 2003.
  • [8] GRUTZMACHER, D. D.; GRUTZMACHER, A. D.; AGOSTINETTO, D.; LOECK, A. E.; ROMAN, R.; PEIXOTO, S. C.; ZANELLA, R. Monitoramento de agrotóxicos em dois mananciais hídricos no sul do Brasil. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 12(6), p. 632-637, 200
  • [9] KASTL, G. J.; FISHER, I. H.; JEGATHEESAN, V. Evaluation of the chlorine decay kinetics expressions for drinking water systems modelling. Aqua, v. 48(6), p. 219-227, 199
  • [10] MARTINS, R. J. E. Acumulação e libertação de metais pesados por briófitas aquáticas. Porto: Tese de doutoramento, FEUP, 2004.
  • [11] PASCHOALATO, C. F.; TRIMAILOVAS, M. R.; Bernardo, L. D. Formação de subprodutos orgânicos halogenados nas operações de pré́-oxidação com cloro, ozone e peroxónio e pós-cloração em água contendo substância húmica. Revista de Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 13(3), p. 313-322, 2008.
  • [12] VIEIRA, P.; COELHO, S. T.; PRAÇA, P. Modelação do cloro residual como instrumento de controlo da qualidade da água em sistemas de abastecimento. 6º Congresso da Água, Porto, 2002.
Como citar:

MARTINS, R. J. E.; BOAVENTURA, R. A. R.; "MODELAÇÃO DO CONSUMO DE CLORO NA OXIDAÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA PRESENTE EM ÁGUAS SUPERFICIAIS COM DIFERENTES ORIGENS (PORTUGAL E ANGOLA)", p. 7127-7135 . In: Anais do XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química - COBEQ 2014 [= Blucher Chemical Engineering Proceedings, v.1, n.2]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeq2014-0461-25385-137591

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações