fevereiro 2015 vol. 1 num. 2 - XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química

Artigo - Open Access.

Idioma principal

ESTUDO DO COMPORTAMENTO FLUIDODINÂMICO DE GRÃOS DE PÓLEN APÍCOLA EM LEITO FLUIDIZADO

LINHARES, M. C.; SANTOS, L. D. M.; PRADO, M. M.;

Artigo:

O pólen apícola é rico em compostos fenólicos e antioxidantes que o tornam um produto com alto valor agregado. A fim de viabilizar o emprego da secagem em leito fluidizado para o beneficiamento dos grãos de pólen, o presente trabalho visa à caracterização física e o estudo do comportamento fluidodinâmico destes grãos em leito fluidizado. Ensaios fluidodinâmicos foram realizados com diferentes cargas do leito (400 a 1000 g), com diferentes diâmetros de partícula (dp = 1,29; 1,55 e 2,03 mm) e diferentes teores de umidade (7, 12 e 20% b.u.). Foram determinados os parâmetros fluidodinâmicos na mínima fluidização. Verificou-se que o comportamento fluidodinâmico não foi afetado nem pela carga, nem pelo teor de umidade. Entretanto, a velocidade mínima de fluidização aumenta proporcionalmente com o diâmetro da partícula, ao passo que a porosidade mínima diminui. Ademais, obtiveram-se bons índices de efetividade de fluidização em todos os casos.

Artigo:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/chemeng-cobeq2014-0841-23390-164042

Referências bibliográficas
  • [1] BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n° 3 de 19 de jan. de 200
  • [2] Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 23 jan. 2001a. Seção 2, p. 18-23.
  • [3] ESCUDERO, D.; HEINDEL, T. J.. Bed height and material density effects on fluidized bed hydrodynamics. Chem. Eng. Sci.. v. 66, ed 16, p. 3648-3655, 2011.
  • [4] FREIRE, F. B.; PIRES, E. C.; FREIRE, J. T. Influência da imobilização de biomassa e do tamanho da partícula na fluidodinâmica de um reator anaeróbio de leito fluidizado. Acta Sci. Technol., v. 30, n. 1, p. 73-81, 2008.
  • [5] GAUTHIER, D.; ZERGUERRAS, S.; FLAMANT, G. Influence of the particle size distribution of powders on the velocities of minimum and complete fluidization. Chem. Eng. J., v. 74, p. 181-196, 1999.
  • [6] GELDART, D. Types of Gas Fluidization. Powder Technol., v.7, p. 285-292, 1973.
  • [7] KHOSHTAGHAZAA, M.H. R. CHAYJAN, A.. Effect of some physical properties on fluidisation stability of grain products. Biosystems Eng., v. 98, p. 192 – 19, 200
  • [8] KWAUK, M.; LI, J.; LIU, D.. Particulate and aggregative fluidization — 50 years in retrospect. Powder Technol., v. 111, Issues 1–2, p. 3-18, 2000.
  • [9] PUSPASARI, I.; TALIB, M. Z. M. W.; DAUD, R. W.; TASIRIN, S. M. .Fluidization characteristics of oil palm frond particles in agitated bed. Chem. Eng. Res. Des., v. 91, p. 497–507, 2013.
  • [10] RICHARDSON, J. F. Incipient fluidization and particulate systems. Fluidization-Ed. Davidson J. F. e Harrison, D., Academic Press, Londres, 1971.
  • [11] SHAUL, S.; RABINOVICH, E.; KALMAN, H..Generalized flow regime diagram of fluidized beds based on the height to bed diameter ratio. Powder Technol., v. 228, p. 264-271, 2012.
  • [12] SINGH, R.K.; ROY, G.K.. Prediction of minimum bubbling velocity, fluidization index and range of particulate fluidization for gas–solid fluidization in cylindrical and non-cylindrical beds. Powder Technol., v. 159, Issue 3, p. 168-172, 2005.
  • [13] VAZQUEZ-QUINTAL, P. E.; MUÑOZ-RODRIÍGUEZ, D.; MEDINA-PERALTA, S.; MOGUEL-ORDÓÑEZ, Y. B. Extraction of Organochlorine Pesticides from Bee Pollen by Matrix Solid-Phase Dispersion: Recovery Evaluation by GC–MS and Method Validation. Chromatogr., v.75, p. 923–930, 2012.
Como citar:

LINHARES, M. C.; SANTOS, L. D. M.; PRADO, M. M.; "ESTUDO DO COMPORTAMENTO FLUIDODINÂMICO DE GRÃOS DE PÓLEN APÍCOLA EM LEITO FLUIDIZADO", p. 5665-5672 . In: Anais do XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química - COBEQ 2014 [= Blucher Chemical Engineering Proceedings, v.1, n.2]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeq2014-0841-23390-164042

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações