fevereiro 2015 vol. 1 num. 2 - XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química

Artigo - Open Access.

Idioma principal

AVALIAÇÃO DO BAGAÇO E BIOMASSA DE GENÓTIPOS DE SORGO SACARINO PARA A PRODUÇÃO DE ETANOL CELULÓSICO

PACHECO, T. F.; GONÇALVES, S. B.; MACHADO, C. M. M.; PARRELLA, R. A. C.;

Artigo:

A viabilização do etanol celulósico depende da disponibilidade de biomassas com alta produtividade e estrutura química susceptível à desconstrução para produção de açúcares e posterior fermentação. Neste trabalho avaliou-se 4 genótipos de sorgo sacarino, BRS 506; 508; 509 e 511 para produção de etanol. Com esta finalidade, o bagaço e a biomassa dos materiais foram pré-tratados com H2SO4 (1,5 % v/v) a 121 oC/30 minutos, hidrolisados (Cellic CTec2, 15 FPU/g MS) a 50 °C/200 rpm/24 horas e fermentados (S. cerevisiae CAT-1). A glicose e o etanol produzidos foram quantificados por HPLC/RID. Após análise estatística dos resultados, observou-se que embora haja diferença significativa no teor de celulose do bagaço e da biomassa entre os genótipos avaliados, não há na conversão da hidrólise enzimática. Ao se considerar o bagaço e a biomassa como blocos separados, observou-se diferença entre os blocos, tendo os bagaços maior teor de celulose e hemicelulose, porém menor conversão de hidrólise enzimática. Assim, confirma-se a necessidade do uso de um processo integrado para seleção de matérias-primas na produção de etanol celulósico, já que a produção de açúcares fermentescíveis não está relacionada apenas à quantidade de celulose na biomassa

Artigo:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/chemeng-cobeq2014-0570-24899-156803

Referências bibliográficas
  • [1] GOUVEIA, R.; NASCIMENTO, R. T.; SOUTO-MAIOR, A. M; ROCHA, G. J. M. Validação de metodologia para a caracterização química de bagaço de cana-de-açúcar. Química Nova, v. 32, n. 6, 2009.
  • [2] MAY, A.; DURÃES, F. O. M.; PEREIRA FILHO, I. A.; SCHAFFERT, R. E.; PARRELLA, R. A. C. (Ed.). Sistema Embrapa de produção agroindustrial de sorgo sacarino para bioetanol: Sistema BRS1G-Tecnologia Qualidade Embrapa. Sete Lagoas: Embrapa Milho e Sorgo, 201 118 p. (Embrapa Milho e Sorgo. Documentos, 139). RENEWABLE FUELS ASSOCIATION. World fuel ethanol production. Site: http://ethanolrfa.org/pages/World-Fuel-Ethanol-Production. Acesso em 15/04/2014 RUTTO, L. K.; XU, Y; BRANDT, M.; REN, S; KERING, M. K. Juice, Ethanol, and Grain Yield Potencial of Five Sweet Sorghum (Sorghum bicolor [L.] Moench) Cultivars. Journal of Sustainable Bioenergy Systems, v. 3, p. 113 – 118, 2013.
  • [3] U.S. DEPARTMENT OF ENERGY. Breaking the biological barriers to cellulosic ethanol: a joint research agenda. Report from the December 2005 Workshop, DOE/SC-0095.
  • [4] U.S. Department of Energy Office of Science, 2006.
  • [5] U.S. ENERGY INFORMATION ADMINISTRATION. How much ethanol is in gasoline and how does it affect fuel economy? Site: http://www.eia.gov/tools/faqs/faq.cfm?id=27Andamp;t=10.
  • [6] Acesso em 15/04/2014
Como citar:

PACHECO, T. F.; GONÇALVES, S. B.; MACHADO, C. M. M.; PARRELLA, R. A. C.; "AVALIAÇÃO DO BAGAÇO E BIOMASSA DE GENÓTIPOS DE SORGO SACARINO PARA A PRODUÇÃO DE ETANOL CELULÓSICO", p. 837-841 . In: Anais do XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química - COBEQ 2014 [= Blucher Chemical Engineering Proceedings, v.1, n.2]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeq2014-0570-24899-156803

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações