fevereiro 2015 vol. 1 num. 2 - XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química

Artigo - Open Access.

Idioma principal

AVALIAÇÃO DA MICROBIOTA BACTERIANA PRESENTE NA REGIÃO DA RESTINGA DE JURUBATIBA APÓS SIMULAÇÃO DE DERRAME DE PETRÓLEO

BUENO, J. L. ; SOUZA, E. S. ; BECKER, B. R. ;

Artigo:

Tivemos como objetivo avaliar a potencialidade da biorremediação em derrames simulados de petróleo com solos da região da Restinga de Jurubatiba. Para isto foram instaladas colunas de experimentação com solo de praia (P1), solo úmido (P2) e um solo seco ao lado do óleoduto OCAB (P3). Foram utilizados Osmocote® (Osm) e NPK, sendo este último aplicado somente ao P3. Alíquotas de solo foram retiradas e realizou-se contagem das unidades formadoras de colônia (UFC). Os resultados mostraram que o crescimento dos microrganismos esteve intimamente ligado à degradação de hidrocarbonetos do petróleo. No P1 o uso de fertilizantes aumentou em 8 vezes a microbiota e levou à uma degradação total dos n-alcanos. No P2, a presença de Osm. aumentou a degradação em 70% comparativamente ao controle, degradando totalmente os n-alcanos. Para o P3 a aplicação do NPK levou a uma presença 2 vezes maior de bactérias comparado à aplicação do Osm. elevando em 48% degradação dos n-alcanos com relação ao controle.

Artigo:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/chemeng-cobeq2014-0248-26345-156296

Referências bibliográficas
  • [1] ATLAS, R. M. (1995). Petroleum Degradation and Oil Spill Bioremediation. Marine Pollution Bulletim, v. 31, p. 178-192.
  • [2] BAKER, K. H; HERSON D.S. (1994). Bioremediation. New York: McGraw-Hill, p. 375.
  • [3] BOOPATHY, R. (2000). Factors Limiting Bioremediation Technologies. Bioresource Technology, v. 74, p. 63-67.
  • [4] BRITO, E. M. S.; GUYONEAUD, R.; GOÑI-URRIZA, M.; OTEYZA, T. G; CRAPEZ, M. A. C; ALELUIA, I.; WASSERMAN J. C. A. (2009). A Case Study in Situ Oil Contamination in a Mangrove Swamp (Rio De Janeiro, Brazil). Marine PollutionBulletin, v. 58, p. 418–423.
  • [5] CETESB - COMPANHIA AMBIENTAL DE SÃO PAULO. (2012). Acidentes – vazamentos de dutos. Disponível Em: Andlt;http://www.cetesb.sp.gov.br/emergencia/acidentes/vazamento/oleo/a_toxicologicos.aspAndgt;. Acesso em: jul/2012.
  • [6] Área temática: Engenharia Ambiental e Tecnologias Limpas 8COOKSON, T. (1995). Bioremediation Engineering: Design and Application. McGraw-Hill Incorporation, New York, p. 525.
  • [7] CRAPEZ, M.A.C.; Borges, A. L. N. Bispo, M G. S.; Pereira, D. C. (2002) Biorremediação: tratamento para derrames de petróleo. Ciência Hoje, v. 30: 179, p. 32-3
  • [8] DÍAZ, E. (2004). Bacterial Degradation of Aromatic Pollutants: A Paradigm Of Metabolic Versatility. International Microbiology, v. 7, p.173-1
  • [9] GALLEGO, J. R.; GONZÁLEZ-ROJAS, E.; PELÁEZ, A. I.; SÁNCHEZ, J.; GARCÍAMARTINEZ, M. J.; ORTIZ, J. E.; TORRES, T.; LLAMAS, J. F. (2006). Natural attenuation and bioremediation of Pretige Fuel oil Along the Atlantic coast of Galicia (Spain). Organic Geochemistry, v.37, p. 1869-1884.
  • [10] JACQUES R. J. S; BENTO, F. M.; ANTONIOLLI, Z. I.; CAMARGO, F. A. O. (2007). Biorremediação De Solos Contaminados Com Hidrocarbonetos Aromáticos Policíclicos. Ciência Rural, v.37, n.4, p.1192-1201.
  • [11] JUWARKAR, A. A.; SINGH, S. K.; MUDHOO, A. (2010). A Comprehensive Overview of Elements in Bioremediation. Environmental Science Biotechnology, v.9, p. 215-288.
  • [12] LI, G.; HUANG, W.; LERNER, D. N. Andamp; ZHANG, X. (2000). Enrichment of Degrading Microbes and Bioremediation of Petrochemical Contaminants in Polluted Soil. Water Research, v. 34, p. 3845-3853.
  • [13] LING, N.L.A. (2003). Bioremediation of Petroleum Hydrocarbons in Oil-Contaminated Beach Sediments. Tese Doutorado. Department of Chemical and Environmental Engineering. National University of Singapore, p. 184.
  • [14] ROTH, C. G.; GARCIAS, C. M. (2008). A Influência dos Padrões de Consumo na Geração de Resíduos Sólidos Dentro do Sistema Urbano. Revista do Desenvolvimento Regional, v. 13, n. 3, p. 5 -13.
  • [15] TONINI, R. W.; REZENDE, C. E.; GRATIVOL, A. D. Degradacão e Biorremediacão de Compostos de Petróleo por Bactérias: Revisão. Oecologia Australis, v.14, n. 4, p. 1025-1035, 2010.
  • [16] VIEIRA, F. C. S.; NAHAS, E. (2000) Quantificação de Bactérias Totais e Esporuladas no Solo. Scientia Agricola, v.57, n.3, p.539-545.
  • [17] WIDDEL, F.; RABUS, R., (2001). Anaerobic Biodegradation of Saturated and Aromatic Hydrocarbons. Current Opinion in Biotechnology, v. 12, p. 259-27.
  • [18] XU, R.; LAU, N.L.A.; NIG, K.L.; OBBARD, J. F. (2004). Application of a Slow-Release Fertilizer for Oil Bioremediation in Beach Sediment. Journal of Environmental Quality, V. 33, p. 1210-1216.
  • [19] XU, R.; YONG, L. C.; LIM, Y. G.; OBBARD, J. F., (2005). Use of Slow-Release Fertilizer and Biopolymers for Stimulating Hydrocarbon Biodegradation in Oil-Contaminated Beach Sediments. Marine Pollution Bulletin, v. 51, p. 1101–1110.
  • [20] YANG, S.; HUI-JAN, J.; ZHI, W.; RUI-XIA, H.; YAN-JUN, J.; XIU-MEI, L.; SHAO-PENG, Y. (2009). Bioremediation Of Oil Spills In Cold Environments: A Review. Pedosphere, ed.19, v. 3, p. 371-381.
Como citar:

BUENO, J. L. ; SOUZA, E. S. ; BECKER, B. R. ; "AVALIAÇÃO DA MICROBIOTA BACTERIANA PRESENTE NA REGIÃO DA RESTINGA DE JURUBATIBA APÓS SIMULAÇÃO DE DERRAME DE PETRÓLEO", p. 6834-6842 . In: Anais do XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química - COBEQ 2014 [= Blucher Chemical Engineering Proceedings, v.1, n.2]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2359-1757, DOI 10.5151/chemeng-cobeq2014-0248-26345-156296

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações