Article - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

UMA VISÃO GERAL SOBRE O ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO BRASILEIRO

-

Buzatto, Henrique Kozlowiski; Toso, Henrique Braun; Carvalho, Marco Aurélio de; , ;

Article:

O presente trabalho oferece uma visão geral sobre o ecossistema de inovação brasileiro, ou seja, como os principais atores atuam nesse para fomentar e desenvolver o ecossistema. A motivação para o trabalho partiu do ponto de que para se atuar no ecossistema de inovação, primeiro se faz necessário possuir um entendimento inicial de como este atua e está organizado. A metodologia escolhida para o presente estudo foi a pesquisa exploratória. Para a realização do estudo foram usados dados secundários, esses em sua maioria sendo estudos sobre o ecossistema em geral ou sobre algum dos atores presentes neste. As fontes de dados utilizadas foram agências governamentais e não governamentais, estudos oriundos de portais e organizações especializadas no movimento de inovação e startups no Brasil. De maneira complementar também foram utilizadas informações de portais de notícias especializados em inovação e empreendedorismo. Por fim os dados levantados foram analisados de forma a mostrar como os atores do ecossistema se relacionam entre si. Nesses relacionamentos se identificou que o ecossistema tem como objetivo levar o desenvolvimento feito nesse para o mercado, fato que ocorre principalmente através das startups, que são um ponto focal no ecossistema de inovação brasileiro.

Article:

-

Palavras-chave: Ecossistema de inovação brasileiro; Fomento à inovação no Brasil; Startups; Aceleradoras e incubadoras,

Palavras-chave: -,

DOI: 10.5151/cbgdp2019-80

Referências bibliográficas
  • [1] 100 OPEN STARTUPS. Como grandes empresas e startups se relacionam. 2017. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2019.
  • [2] ABSTARTUPS. Radiografia do ecossistema brasileiro de startups. 2017. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2019.
  • [3] BAUM, Joel AC; SILVERMAN, Brian S. Picking winners or building them? Alliance, intellectual, and human capital as selection criteria in venture financing and performance of biotechnology startups. Journal of business venturing, v. 19, n. 3, p. 411-436, 2004.
  • [4] BRITO, Débora. Startups crescem no Brasil e consolidam nova geração de empreendedores. Agência Brasil. Florianópolis. 14 jul. 2018. Disponível em: . Acesso em: 04 maio 2019.
  • [5] BYGRAVE, William D.; TIMMONS, Jeffry. Venture capital at the crossroads. University of Illinois at Urbana-Champaign's Academy for Entrepreneurial Leadership Historical Research Reference in Entrepreneurship, 1992.
  • [6] CARDOSO, Daniel. Mão Amiga. Locus, Ambiente da Inovação Brasileiro, Brasília, n. 75, p.18-20, maio 2014. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2019.
  • [7] CHESBROUGH, H. The new imperative generation for creating and profiting from technology. Boston: Harvard Business Pub, 2003.
  • [8] CRESPI, Gustavo; TACSIR, Ezequiel; VARGAS, Fernando. Innovation dynamics and productivity: Evidence for Latin America. In: Firm Innovation and Productivity in Latin America and the Caribbean. Palgrave Macmillan, New York, 2016. p. 37-71
  • [9] GALI - Global Accelerator Learning Initiative. O Panorama das aceleradoras e Incubadoras no Brasil. 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 201
  • [10] GIL, Antônio Carlos. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, v. 5, 1999.
  • [11] GRAZZI, Matteo; PIETROBELLI, Carlo; SZIRMAI, Adam. Determinants of Enterprise Performance in Latin America and the Caribbean: What Does the Micro-Evidence Tell Us?. In: Firm innovation and productivity in Latin America and the Caribbean. Palgrave Macmillan, New York, 2016. p. 1-36.
  • [12] JACKSON, Deborah J. What is an innovation ecosystem. National Science Foundation, v. 1, 2011.
  • [13] KON, Anita. Ecossistemas de inovação: a natureza da inovação em serviços. Revista de Administração, Contabilidade e Economia da Fundace, v. 7, n. 1, 2016.
  • [14] KOSLOSKY, Marco Antônio Neiva; SPERONI, Rafael de Moura; GAUTHIER, Ostuni. Ecossistemas de inovação–Uma revisão sistemática da literatura. Revista ESPACIOS| Vol. 36 (Nº 03), 2015.
  • [15] LAVCA. Inaugural Survey of Latin American Startups. 2019. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2019.
  • [16] MCTI - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Estudo de Projetos de Alta Complexidade: indicadores de parques tecnológicos. Brasília: CDT/UnB, 2014. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2019.
  • [17] MCTI - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Parques & Incubadoras para o Desenvolvimento do Brasil: Benchmarking de Sistemas Internacionais de Inovação. Brasília: MCTI, 2015a. Disponível em: . Acesso em: 26 abr. 2019.
  • [18] MCTI - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Parques & Incubadoras para o Desenvolvimento do Brasil: Estudos de Impactos do PNI: Programa Nacional de Apoio a Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas. Brasília: MCTI, 2015b. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2019.
  • [19] MCTI - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Parques & Incubadoras para o desenvolvimento do Brasil: Estudo de Práticas de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas. Brasília: MCTI, 2015c. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 20
  • [20] MCTI - Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Parques & Incubadoras para o Desenvolvimento do Brasil: Propostas de Políticas Públicas para Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas. Brasília: MCTI, 2015d. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2019.
  • [21] MOORE, J. E. The death of competition: leadership and strategy in the age of business ecosystems. New York: Harper Paperbacks 1997.
  • [22] MUELLER, Suzana Pinheiro Machado; PERUCCHI, Valmira. Universidades e a produção de patentes: tópicos de interesse para o estudioso da informação tecnológica. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 19, n. 2, p. 15-36, 2014.
  • [23] PEGN - Pequenas Empresas & Grandes Negócios. Investimento anjo cresce 9% no Brasil e chega a R$ 851 milhões. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2019.
  • [24] PIOVESAN, Armando; TEMPORINI, Edméa Rita. Pesquisa exploratória: procedimento metodológico para o estudo de fatores humanos no campo da saúde pública. Revista de Saúde Pública, v. 29, p. 318-325, 1995.
  • [25] PIVA, Naiady. De zero a cinco: 2018 foi o ano do boom de unicórnios brasileiros. Gazeta do Povo. Curitiba. 31 dez. 2018. Disponível em: . Acesso em: 13 maio 2019.
  • [26] PÓVOA, Luciano Martins Costa. A crescente importância das universidades e institutos públicos de pesquisa no processo de catching-up tecnológico. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p.273-300, 2008.
  • [27] PRESBITERO, Andrea F.; RABELLOTTI, Roberta. Credit Access in Latin American Enterprises. In: Firm innovation and productivity in Latin America and the Caribbean. Palgrave Macmillan, New York, 2016. p. 245-284.
  • [28] RAUPP, Fabiano Maury; BEUREN, Ilse Maria. Metodologia da Pesquisa Aplicável às Ciências. Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2006.
  • [29] SAP. Brasil, o maior ecossistema de startups da América Latina. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2019.
  • [30] SEBRAE. Mapeamento dos Ecossistemas de Startups do Paraná. Curitiba, 2015. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2019.
  • [31] STARTSE. Censo StartSe 2017: Brazil Startup Ecosystem Report. 2017. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2019.
  • [32] STARTUPI. Lista do Ecossistema: Investidores, Aceleradoras, Incubadoras. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2019.
Como citar:

Buzatto, Henrique Kozlowiski; Toso, Henrique Braun; Carvalho, Marco Aurélio de; , ; "UMA VISÃO GERAL SOBRE O ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO BRASILEIRO", p. 1102-1118 . In: Anais do 12º Congresso Brasileiro de Inovação e Gestão de Desenvolvimento de Produto. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/cbgdp2019-80

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações