Artigo - Open Access.

Idioma principal

Uma análise das subvenções econômicas da FINEP em biotecnologia no período 2007-2016

Canaan, Renan Gadoni; Rapini, Márcia Siqueira; Souza, Sara Gonçalves Antunes de;

Artigo:

O objetivo do trabalho é avaliar o perfil dos projetos de subvenção econômica da área de biotecnologia apoiados pela FINEP no período de 2007-2016 quanto aos seguintes aspectos: nível de incerteza, unidade federativa, setor de aplicação e técnica biotecnológica. A subvenção econômica, por caracterizar-se por recursos não reembolsáveis, tem o objetivo de induzir as empresas a serem mais ousadas nos gastos em P&D, uma vez que estaria ocorrendo o compartilhamento dos riscos e custos envolvidos nesta atividade (CGGE& ANPEI, 2008). Nesta direção este instrumento teria o potencial de fomentar projetos caracterizados por maiores riscos tecnológicos (Costa et. al., 2013). Avalia-se, portanto, esta prerrogativa adaptando os diferentes níveis de incerteza de Freeman e Soete (1997) ao setor de biotecnologia. Analisa-se também, os investimentos por setor de aplicação e técnica biotecnológica a partir da classificação proposta pela OECD (2005). Os resultados indicam que os projetos subvencionados de biotecnologia apresentam, na média, incerteza média e moderada e a mesma reduziu após 2013 com a implementação do Plano Inova Empresa.

Artigo:

Palavras-chave: subvenção econômica, inovação, biotecnologia, incerteza, FINEP,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/enei2018-46

Referências bibliográficas
  • [1] ANDRADE, A. Z. B. Estudo comparativo entre a Subvenção Econômica à Inovação operada pela FINEP e Programas correlatos de subsídio em países desenvolvidos. 2009. 124 f. Dissertação (Mestrado em Administração Pública). Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro. 2009. BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES. BRASIL. Critérios utilizados para indicação de subvenção econômica. Disponível em < https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/financiamento/plano-inova-empresa/plano-conjunto-bndes-finep-apoio-inovacao-tecnologica-industrial-setores-sucroenergetico-sucroquimico-paiss/criterios-utilizados-indicacao-subvencao-economica>. BIOMINAS. A indústria de Biociências nacional: caminhos para o crescimento. 201 Disponível em < http://biominas.org.br/downloads/a-industria-de-biociencias-nacional-caminhos-para-o-crescimento>. BLOCK, F.; KELLER, M. Where do innovations come from? In: BLOCK, F.; KELLER, M. (eds). State of Innovation: The US government’s role in technology development. Columbia: Paradigm, 2010. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE BIOTECNOLOGIA – BRBIOTEC. Brazil Biotech Map 201 Disponível em < http://cebrap.org.br/wp-content/uploads/2017/05/Brazil-Biotec-Map-201pdf>. CANAAN, R.G. Financiamento à inovação em Biotecnologia: uma avaliação da atuação da FINEP no aporte de recursos não-reembolsáveis. 2016. 104 f. Dissertação (Mestrado Profissional em inovação Biofarmacêutica). Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2016. CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS; Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras. Os novos instrumentos de apoio à inovação: uma avaliação inicial. Brasília: Autores, 2008. COSTA, A.A.; SZAPIRO, M.; CASSIOLATO, J.E. Análise da operação do instrumento de subvenção econômica à inovação no Brasil. Conferência Internacional LALICS 2013 “Sistemas Nacionais de Inovação e Políticas de CTI para um Desenvolvimento Inclusivo e Sustentável” 11 e 12 de Novembro, 2013 – Rio de Janeiro, Brasil. FREEMAN, C.; SOETE, L. (1997). A Economia da Inovação Industrial. Campinas/SP: Editora da Unicamp, Capítulo, 11, 2008. FREIRE, C. E. T. Biotecnologia no Brasil: uma atividade econômica baseada em empresa, academia e Estado. 2014. 201 f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2014. KRAFFT, J.; QUATRARO, F.; SAVIOTTI, P. Evolution of the knowledge base in knowledge intensive sectors. Working Papers, HAL. 2008. MAZZUCATO, M. The Entrepreneurial State: Debunking Public vs. Private Sector Myths. Londres: Magdalen (Demos), 201 MINISTÉRIO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO. BRASIL. Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação 2012 – 2015, 2012. Disponível em < http://www.mct.gov.br/upd_blob/0218/21898pdf>. MORAIS, J. M. Uma avaliação de programas de apoio financeiro à inovação tecnológica com base nos fundos setoriais e na lei de inovação. In: NEGRI, J. A.; KUBOTA, L. C. (eds). Políticas de Incentivo à Inovação Tecnológica. Brasília, 2008. p. 67-105. ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT - OECD. A framework for biotechnology Statistics. Disponível em: < https://www.oecd.org/sti/sci-tech/34935605.pdf>. ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT - OECD. Science, Technology and Industry Outlook. 2010. Disponível em: < http://www.oecd.org/sti/inno/oecdsciencetechnologyandindustryoutlook2010.htm>. PAVITT, K. Sectorial Patterns of Technical Change: Towards a Taxonomy and a Theory. Research Policy, nº 13, North Holland, 1984. p.343-373. PROCHNIK, V.; BRITTO, J.; TORRS, R.; HASENCLEVER, L. Inovação no contexto de convergência tecnológica em biotecnologia: um estudo de caso. I Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação (ENEI). Araraquara, 2016. RAPINI, M. S. O financiamento aos investimentos em inovação no Brasil. 2010. 148 f. Tese (Doutorado em Economia). Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2010. SILVEIRA, J. M. (coord). Avaliação das Potencialidades e dos Obstáculos à Comercialização dos Produtos de Biotecnologias no Brasil. 200 201 p. Disponível em: http://www.redetec.org.br/wp-content/uploads/2015/02/mct_potencialidades.pdf. Acesso em: 23 de abril de 2016. SOUZA, S. G. A. O papel das universidades em um sistema de inovação periférico: organizações-chave para a biotecnologia. 2012. 232 f. Tese (Doutorado em Economia) – Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2012.
Como citar:

Canaan, Renan Gadoni; Rapini, Márcia Siqueira; Souza, Sara Gonçalves Antunes de; "Uma análise das subvenções econômicas da FINEP em biotecnologia no período 2007-2016", p. 814-833 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/enei2018-46

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações