Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

SISTEMA DE INOVAÇÃO, ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS E DESENVOLVIMENTO EM MOÇAMBIQUE - 1930 A 2016

GEQUE, Eduardo R. Graciano;

Artigo Completo:

Este artigo analisa as políticas públicas do setor industrial em Moçambique, com foco no sistema de inovação e arranjos produtivos locais. A análise é feita desde o ano de 1930, ano em que Portugal intensifica o investimento no setor, no Moçambique colonial, até o ano de 2016, ano em que se aprovou a mais recente Política e Estratégia Industrial, do período pós-independência, com o objetivo de descrever o desenvolvimento do setor industrial em Moçambique, ao mesmo tempo que procura identificar elementos de arranjos produtivos locais. Trata-se de uma análise baseada na revisão da literatura e na análise documental atinentes à estratégia de desenvolvimento industrial em Moçambique para os próximos dez anos. O estudo conclui que, desde os tempos coloniais, não havia política industrial voltada para os arranjos produtivos locais, mas as inovações em processo foram identificadas em ambos os períodos. No tópico sobre arranjos produtivos locais, o estudo mostra que na era colonial o principal objetivo da política pública foi a exploração dos recursos e na era pós-colonial, foi introduzida uma forma embrionária de arranjo produtivo local em 2006, mas com escassos resultados a assinalar.

Artigo Completo:

This paper analyzes the public policies of the industrial sector in Mozambique, focusing on the innovation system and local productive arrangements. The analysis is made since 1930, the year in which Portugal intensifies investment in the sector in colonial Mozambique, until 2016, the year in which the most recent Industrial Policy and Strategy of the post-independence period was approved, with the objective of describing the development of the industrial sector in Mozambique. At the same time it aims to identify elements of local productive arrangements in the country during the same period. The analysis was based on literature review and documentary analysis related to the industrial development strategy in Mozambique for the next ten years. The study concludes that since colonial times there was no industrial policy focused on local productive arrangements, but innovations in process were identified in both periods. In the topic of local productive arrangements, the study shows that in colonial era the main target of the public policy was the exploration of the resources and in the post colonial era an embryonic form of local productive arrangement was introduced in 2006, but with scarce remarkable results.

Palavras-chave: sistema de inovação, arranjos produtivos locais e desenvolvimento,

Palavras-chave: innovation system, local productive arrangements and development,

DOI: 10.5151/enei2017-77

Referências bibliográficas
  • [1] Abrahamssom, Hans e Nilsson, Anders (1994). Moçambique em Transição: um estudo dahistória de desenvolvimento durante o período 1994 – 1992. CEEI – ISRI. Maputo – Moçambique. Tradução de Dulce Leiria.
  • [2] Bruck, Tilman (1998). “Guerra e desenvolvimento em Moçambique”. Análise Social, vol. xxxiii (149), PP. 1019-1051. Oxford University. UK.
  • [3] Campos, Renato Ramos; Vargas, Marco António e Stallivieiri, Fabio (2010). “As Experiências estaduais de políticas para arranjos produtivos locais”. In Renato Ramos Campos; Fábio Stallivieri;, Marco Antônio Vargas e Marcelo Matos (2010). Políticas Estaduais para Arranjos Produtivos Locais no Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Rio de Janeiro. E-Papers.
  • [4] Cassiolato, José Eduardo & Lastres, Helena Maria Martins (2005). "sistemas de inovação e desenvolvimento as implicações de políticas". São Paulo em Perspetiva. V. 19. Nº1 pp.35-45. Março.
  • [5] Cassiolato, José Eduardo; Matos, Marcelo Pessoa e Lastres, Helena, M. M. (2013). “Innovation Systems and Development”. In Bruce Currie-alder , Ravi Kanbur , David M. Malone and Rohinton Medhora. International Development: Ideas, experience, and prospects. Oxford University Press. United Kingdom.
  • [6] Chichava, José (2013). A indústria moçambicana: Caracterização, estrutura, políticas industriais e outros aspectos relevantes. Disponível em https://www.academia.edu/9090174/A_IND%C3%9ASTRIA_MO%C3%87AMBICANA_caracteriza%C3%A7%C3%A3o_estrutura_pol%C3%ADticas_industriais_e_outros_aspectos_relevantes1 . Acessado no dia 8 de Janeiro de 2017.
  • [7] Circular número 101/GM/MF/2006 (MOÇAMBIQUE-Ministério das Finanças, 2006).
  • [8] Dengo, Leonel (2009). História: os planos de fomento e a industrialização. Disponível em http://historiajch.blogspot.com.br/2009/04/d.html . Acessado no dia 11 de Fevereiro de 2017.
  • [9] Faria, Chico Francisco (2011). Planejamento Descentralizado no Contexto do Desenvolvimento Local em Moçambique: Um estudo do caso do Governo do Distrito de Namaacha (2006-2009). Dissertação de Mestrado apresentada no Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de janeiro. IE. UFRJ. Rio de Janeiro. Brasil.
  • [10] Garcez, Cristiane; Kaplan, Eduardo; Magalhães, Wasley e Lastres, Helena M. M. (2010). “Análise de políticas para arranjos produtivos locais no Brasil: uma introdução”. In, Renato Ramos Campos; Fábio Stallivieri;, Marco Antônio Vargas e Marcelo Matos (2010). Políticas Estaduais para Arranjos Produtivos Locais no Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Rio de Janeiro. E-Papers.
  • [11] Governo de Moçambique (2009). Decreto 90/2009, 15 de Dezembro, Cria o Fundo Distrital de Desenvolvimento.
  • [12] Hanlon, Joseph (1997). Paz sem benefício: como oFMI Bloqueia a reconstrução de Moçambique. Colecção Nosso Chão, Imprensa Universitária. Universidade Eduardo Mondlane – UEM. Maputo.
  • [13] Instuto Nacional de Estatísticas de Moçambique (INE), 2017.
  • [14] Jinchao, Yi; Guoquam, Xu e Yuhuan, Zhao (2011). “Study of Government-Industry-Research Integration Based on Regional Low-Carbon Innovation System”. Energy Procedia. ScienceDirect. School of Management and Economics, Beijing Institute of Technology, China.
  • [15] Lastres, Helena M. M. & Cassiolato, José Eduardo (2005). System of innovation, clusters and industrial districts: analytical and policy implementations of convergence and differences in the approaches. III Global conference South Africa.
  • [16] Lagrosse, Dalila Chacá Ferreira (2012). O Fundo de Investimento a Iniciativas Locais (FIIL) em Moçambique: uma estratégia de promoção do desenvolvimento local para o enfrentamento à pobreza? Dissertação de Mestrado apresentada na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Faculdade de Serviço Social. Programa de Pós-Graduação em Serviço Social. PUCRGS. Porto Alegre. Rio Grande do Sul. Brasil.
  • [17] Lundvall, Bengt-Åke (2007). Innovation System Research and Policy Where it came from and where it might go. Aalborg University. Paper to be presented at CAS Seminar, Oslo, December.
  • [18] Matos, Marcelo G. Pessoa; Borin, Elaine; Cassiolato, José Eduardo e Arruda, Danilo (2015). “A Evoluçãode Arranjos Produtivos Locais em uma dácada”. In Marcelo G. Pessoa de Matos; Eliane Borin e José Eduardo Cassiolato. Políticas Estratégicas de Inovação e Mudança Estrutural: uma década de evolução dos Arranjos Produtivos Locais. E-papers. Rio de Janeiro.
  • [19] Matos, Marcelo Pessoa e Stallivieri, Fabio (sd). A Metodologia de Pesquisa Implementada Pela Redesist. I.E. UFRJ. Rio de Janeiro.
  • [20] Ministério da Administração Estatal, Ministério de Planificação e desenvolvimento e o Ministério das Finanças (2011). Critérios de Afectação e Procedimentos para o uso de Recursos no Âmbito do PERPU. Maputo. Moçambique.
  • [21] Ministério de Indústria e Comércio - MIC (2016). Política e Estratégia Industrial 2016 – 2025. Maputo.
  • [22] Mosca, João (2005). Economia de Moçambique: século XX. Instituto Piaget. Lisboa.
  • [23] Orre, Aslak e Forquilha, Salvador Cadete (2012). Uma iniciativa condenada ao sucesso. O fundo distrital dos 7 milhões e suas consequências para a governação em Moçambique. Disponível em http://www.iese.ac.mz/lib/publication/livros/Descent/IESE _Decentralizacao_2.1.IniCond.pdf. Acessado no dia 03 de Abril de 2017.
  • [24] Souza, Celina (2006). “Políticas Públicas: uma revisão da literatura”. Sociologias. Ano 8, n° 16. Julho/Dezembro. Porto Alegre.
  • [25] Schmitz, Hubert e Nadvi, Khalid (1999). “Clustering and Industrialization: Introduction”. World Development Vol. 27, No. 9, pp. 1503±1514. Institute of Development Studies. University of Sussex. UK.
  • [26] Sutz, Rodrigo Arocena y Judith (2016). Sistemas de innovación y países en desarrollo. Universidad de la República Uruguay. Organización de Estados iberoamenricanos.
  • [27] The World Bank (2017). Poverty Headcount Ratio at $1.90 a day (2011 PPP) (% of population). Disponível em http://data.worldbank.org/indicator/SI.POV.DDAY? end=2013&locations=1W-MZ&start=1981&view=chart. Acessado no dia 04 de Abril de 2017.
  • [28] Tigre, Paulo Bastos (2014). Gestão da Inovação: A economia da Tecnologia no Brasil. Elsevier. 2ª Edição. Rio de Janeiro.
  • [29] Tvedten, Inge e Orre, Aslak (2016). Country Evaluation Report Mozambique. Chr. Michelsen Institute (CMI). Oslo. Norwega.
Como citar:

GEQUE, Eduardo R. Graciano; "SISTEMA DE INOVAÇÃO, ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS E DESENVOLVIMENTO EM MOÇAMBIQUE - 1930 A 2016", p. 1437-1456 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/enei2017-77

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações