Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Sala de AuIa Invertida e Aprendizagem Baseada em Problemas em design: estudo de caso na disciplina “Interatividade Gráfica”

Flipped Classroom and Problem-Based Learning: case study in the subject “Graphic Interactivy”

Gabriele, Felipe Pessoa Tejo; Machado, Ana Carolina dos Santos; Silva, Elton Rubens Vieira da;

Artigo completo:

Este artigo tem como objetivo apresentar e analisar a trajetória inicial de implementação das metodologias da Sala de Aula Invertida (SAI) e Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP) na disciplina Interatividade Gráfica, componente curricular do terceiro período do Curso Técnico em Computação Gráfica do Instituto Federal de Pernambuco - Campus Olinda. Tomando como base para a metodologia desta pesquisa, selecionou-se o Método Indutivo de Investigação, amparado em Gil (1999), assim como o modelo de Estudo de Caso de Hartley (1994). Para a execução do experimento foram selecionadas duas turmas da disciplina, denominadas de Alfa (2018.1) e Beta(2018.2), assim como, para efeitos comparativos, também foram consideradas as informações de frequência e notas de oito turmas anteriores (do período de 2015.2 a 2017.2). Utilizou-se como parâmetros de análise as notas e a frequência de cada estudante, além de um questionário anônimo e opcional ao final de cada semestre letivo. Observou-se, no item “frequência”, que o resultado se mostrou negativo nas duas turmas do experimento, quando comparadas às turmas anteriores. Já o item “notas” teve elevação na segunda turma, assim como as respostas qualitativas. Percebeu-se que os impactos iniciais negativos foram rapidamente contornados e que os índices de notas e de satisfação geral aumentaram a partir do momento que professores e estudantes se apropriaram dos métodos, permitindo, com este trabalho, criar os parâmetros necessários de inserção para replicação da experiência, com o objetivo fim da criação de um modelo adaptado às necessidades do curso.

Artigo completo:

This article aims to present and analyse the initial trajectory of implementation of Flipped Classroom and Problem Based Learning (PBL) methodologies in the Graphic Interactivity discipline, a curricular component of the third period of the Computer Graphics Technical Course of the Federal Institute of Pernambuco - Campus Olinda. The methodology of this research is based in the Inductive Investigation Method, supported by Gil (1999), as well as the Hartley Case Study (1994) model. In order to perform the experiment, two classes of the discipline, called Alfa (2018.1) and Beta (2018.2) were selected, as well as, for comparative purposes, the information from eight previous classes (from the period 2015.2 to 2017.2). The student's grades and frequency were used as analysis parameters, as well as an anonymous and optional questionnaire at the end of each semester. It was observed, in the item "frequency", that the result was negative in the two classes of the experiment, when compared to the previous classes. The item "notes" had an increase in the second group, as well as the qualitative answers. It was noticed that the initial negative impacts were quickly overcome and that the indexes of grades and of general satisfaction increased as soon as teachers and students appropriated the methods, allowing, with this work, to create the necessary parameters of insertion for replication of the experience, with the objective of creating a model adapted to the needs of the course.

Palavras-chave: sala de aula invertida, aprendizagem baseada em problemas, interatividade gráfica, ensino,

Palavras-chave: flipped classroom, problem based learning, graphic interactivity, learning,

DOI: 10.5151/9cidi-congic-2.0123

Referências bibliográficas
  • [1] Adam, M. et. al. (2015). Flipped Classroom Field Guide. Retrieved April 18, 2015. In: https://docs.google.com/document/d/s36ihFbG5jzh5-WFu2rIZ9Q/headless/print. Acessado em: 05 de Julho de 2019.
  • [2] Bergmann, J. (2018). Aprendizagem Invertida para resolver o Problema do Dever de Casa. Porto Alegre: Penso.
  • [3] Bishop, J. (2013). A Controlled study of the flipped classroom with numerical methods for engineers. Tese (Doutorado). UTAH State University, Logan.
  • [4] Cyrino, E. G., & Toralles-Pereira, M. L. (2004). Trabalhando com estratégias de ensino-aprendizado por descoberta na área da saúde: a problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Cadernos de Saúde Pública, Volume: 20, Número: 3.
  • [5] Correia, R. I. P. P.R. (2003). A Interacção do Design Industrial coma Ciência e a Tecnologia: a abordagem interdisciplinar. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Escola Superior de Artes e Design de Matosinhos. Portugal.
  • [6] Follmann, G. (2015). Proposta de Modelo para planejamento de projetos em design: uma contribuição para o ensino de design no Brasil. Dissertação (Mestrado). Programa de PósGraduação em Design da Universidade Federal do Paraná.
  • [7] Freire, P. (1987). Pedagogia do Oprimido. 1 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.
  • [8] Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.
  • [9] Hamdan, N., McKnight, P., McKnight, K., & Arfstrom K.M (2013). A Review of Flipped Learning: Flipped Learning Network, Pearson Education, and George Mason University., www.flippedlearning.org/cms/lib07/VA01923112/Centricity/Domain/41/LitReview_FlippedLearning.pdf?utm_source=hootsuite&utm_campaign=hootsuite. Acessado em: 05 de Julho de 201
  • [10] Hartley, J. F. (1994). Case studies in organizational research. In: CASSELL, C. & SYMON, G. (Ed.). Qualitative methods in organizational research: a practical guide. London: Sage.
  • [11] Jensen, J., Kummer, T., & Godoy, P. (2017). Improvements from a Flipped Classroom May Simply Be the Fruits of Active Learning Mary Pat Wenderoth. Monitoring Editor, CBE—Life Sciences EducationVol. 14, No. 1 ArticlesFree Access.
  • [12] Junior, J. B. B., Mendes, A. G., & Silva, N. M. (2016). Sala de Aula Invertida e Tecnologias Digitais: uma experiência numa Escola Pública em São Luís - MA. Revista Tecnologias na Educação – Ano 9 – Número/Vol.18 – Edição Temática III – I Simpósio Nacional de Tecnologias Digitais na Educação- tecnologiasnaeducacao.pro.br.
  • [13] Martins, B., & Cunha Lima, E. L. (2006). Uma discussão sobre o papel social do designer gráfico brasileiro: trajetória, formação acadêmica e prática profissional. 7º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design. Paraná.
  • [14] McClelland, C. J. (2015). Evaluating the effect of thoughtful design of in-class time for a flipped classroom. In: Proc. IEEE Frontiers Educ. Conf. (FIE), pp. 725-728, Oct.
  • [15] Miskulin, R. G. S. Concepções teórico-metodológicas sobre a introdução e a utilização de computadores no processo de ensino/aprendizagem da geometria. Tese (Doutorado em Educação Matemática). Faculdade de Educação, Universidade de Campinas, Campinas, 1999.
  • [16] Miyashiro, R. T. (2011). Com design, além do design: os dois lados de um design gráfico com preocupações sociais. In BRAGA, Marcos da Costa. O Papel Social do Design Gráfico. 1. ed. São Paulo: SENAC-SP, v. 1. 192p .
  • [17] Moran, J. (2013). Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. Blog Educação Transformadora. http://www2.eca.usp.br/moran/wp-ontent/uploads/2013/12/metodologias_moran1.pdf. Acessado em: 05 de julho de 2019.
  • [18] Redig, J. (2011). Design: responsabilidade social no horário do expediente. In BRAGA, Marcos da Costa. O Papel Social do Design Gráfico. 1. ed. São Paulo: SENAC-SP.v. 1. 192p .
  • [19] Resolução Nº 5, de 8 de março de 2004. Aprova as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Design e dá outras providências: Conselho Nacional De Educação - Câmara De Educação Superior: Disponível em: Acesso em 07 jan. 2014
  • [20] Savery, J. (2015). Overview of Problem-Based Learning: Definitions and Distinctions. In: Essencial Readings in Problem-Based Learning. Editado por Andrew Walker, Heather Leary, Cindy E. Hmelo-Silver e Peggy A, Ertmer. Purdue University Press. Indiana.
  • [21] Siqueira-Batista, R., & Siqueira-Batista, R. (2009). Os anéis da serpente: a aprendizagem baseada em problemas e as sociedades de controle. Ciência & Saúde Coletiva, Volume: 14, Número: 4, Publicado.
  • [22] Souza, S. C., & Dourado, L. (2015). Aprendizagem baseada em problemas (abp): um método de aprendizagem inovador para o ensino educativo. HOLOS, vol. 5, pp. 182-200 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do NorteNatal, Brasil.
  • [23] Sutherland, J. (2016). Scrum: a arte de fazer o dobro pela metade do tempo. Tradução: Nina Lua. 2. ed. São Paulo. Leya.
  • [24] Valente, J. A. (2014). Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, Edição Especial n. 4/2014, p. 79-97. Editora UFPR.
  • [25] Vignochi, C. et al. (2009). Considerações sobre aprendizagem baseada em problemas na educação em saúde. Rev HCPA;29(1):45-50.
Como citar:

Gabriele, Felipe Pessoa Tejo; Machado, Ana Carolina dos Santos; Silva, Elton Rubens Vieira da; "Sala de AuIa Invertida e Aprendizagem Baseada em Problemas em design: estudo de caso na disciplina “Interatividade Gráfica”", p. 757-765 . In: Anais do 9º CIDI | Congresso Internacional de Design da Informação, edição 2019 e do 9º CONGIC | Congresso Nacional de Iniciação Científica em Design da Informação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/9cidi-congic-2.0123

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações