outubro 2016 vol. 2 num. 10 - Seminários sobre Ensino em Design

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

Representações Gráficas de Síntese (RGSs): o desenho colaborativo para uma aprendizagem significativa

Bueno, Juliana; Padovani, Stephania;

Artigo Completo:

Quandocrianças, nós somos constantemente motivados a desenhar no intuito de estimularnosso desenvolvimento motor e cognitivo. Entretanto, ao longo dos anos odesenho é gradativamente deixado de lado, enquanto a cultura escrita passa aser considerada nossa principal forma de expressão e de avaliação deconhecimento adquirido no ambiente escolar e acadêmico. Este estudo propõe oresgate do desenho, mais especificamente, das Representações Gráficas de Síntese(RGSs) feitas de forma colaborativa como estratégia didática para umaaprendizagem significativa de conteúdos teóricos. Para tanto, o trabalhoapresenta, primeiramente, uma revisão bibliográfica. Na sequência, traz-se ométodo de pesquisa e discutem-se os resultados da aplicação das RGSs com duasturmas da disciplina de Design Centrado no Usuário de pós-graduação em Design.De forma geral, os resultados indicam que o uso das RGSs estimula a construçãocolaborativa de conhecimento e apoia, de fato, o processo de aprendizagemsignificativa dos alunos.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Desenho, Representação Gráfica de Síntese, Design, Colaboração, , ,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/despro-sed2016-007

Referências bibliográficas
  • [1] AINSWORTH, S., PRAIN, V., TYTLER, R. Drawing to learn in science. Science, n. 333, 2011, pp.1096-1097.
  • [2] BUENO, J.; PADOVANI, S. Estudo do processo de aprendizagem colaborativa através das representações gráficas de síntese (RGSs). 7th Information Design International Conference (CIDI), 2015. pp.374-385.
  • [3] BUXTON, B. Sketching User Experiences: Getting the Design Right and the Right Design. Morgan Kaufmann Publishers Inc., San Francisco, CA, 2007.
  • [4] CHEN, R.; CHEN, P.; FENG, R.; LIU, Y.; WU, A.; MAZALEK, A. SciSketch: A Tabletop Collaborative Sketching System. 8th International Conference on Tangible, Embedded and Embodied Interaction (TEI’14), 2014, pp. 247-250.
  • [5] COSTA, C. C. da. Um método de ensino de construção de infográficos baseado no visual thinking e no design thinking. 7th Information Design International Conference (CIDI), 201 p.294-306.
  • [6] CYRS, T. E. Visual thinking: let them see what you are saying. New directions for teaching and learning, n. 71, Fall, 1997, pp. 27-32.
  • [7] EPPLER, M. J. & PFISTER, R. A. 2014. Comunicação Visual: como utilizar o design thinking para resolver problemas e se comunicar melhor em qualquer situação. São Paulo: Elselvier, 2014.
  • [8] FISH, J., SCRIVENER, S. Amplifying the Mind’s Eye: Sketching and Visual Cognition. Leonardo, 23(1), 1990, pp. 117–126.
  • [9] GRAY, D. Gamestorming: jogos corporativos para mudar, inovar e quebrar regras. Rio de Janeiro: Alta Books, 2012.
  • [10] HEISER, J.; TVERSKY, B.; SILVERMAN, M. Sketches for and from collaboration. In , 2004, 15/09/2016.
  • [11] HORN, R. Visual language: global communication for the 21 th century. Washington: Macrovu Inc, 1998.
  • [12] MAYER, C. Hieroglyphen der Psyche: Mit Patientenskizzen zum Kern der Psychodynamik. Schattauer, Berlin, 2007.
  • [13] MCGOWN, A., GREEN, G.; RODGERS, P. A. Visible ideas: information patterns of conceptual sketch activity. Design Studies, v. 19, n. 4, 1998, pp.431-453.
  • [14] MEREDIEU, F. de. O desenho infantil. São Paulo: Editora Cultrix, 1974.
  • [15] MOREIRA, M. A. A teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Aprendizagem significativa: condições para ocorrência e lacunas que levam a comprometimentos. São Paulo: Vector, 2008, pp. 15-44.
  • [16] MOREIRA, M. A. A teoria da aprendizagem significativa de Ausubel. Teorias de aprendizagem. São Paulo: EPU, 1999, pp. 151-166.
  • [17] NORMAN, D. A. Cognitive artifacts. Designing Interaction. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.
  • [18] OWEN, C. A. The role of organizational context in mediating workplace learning and performance. Computers in Human Behavior, v.17, 2001, pp. 597-614.
  • [19] PADOVANI, S. Representações gráficas de síntese: artefatos cognitivos no ensino de aspectos teóricos em design de interface. Educação Gráfica, v.16, n.2, 2012, pp. 123-142.
  • [20] PFISTER, A. R. 2013. The Benefits of Sketching for Management. Literature Review and Experimental Evaluation. Dissertation of the University of St.Gallen, School of Management.
  • [21] ROAM. D. 2009. The Back of the Napkin: Solving Problems and Selling Ideas with Pictures. Penguin Group, New York.
  • [22] SUWA, M. & TVERSKY, B. What do architects and students perceive in their sketches? A protocol analysis. Design Studies, v. 18, n. 4, 1997, pp. 385-403.
  • [23] TVERSKY, B. & SUWA, M. Thinking with sketches. A. Markman (Editor), Tools for innovation. Oxford: Oxford University Press, 2009.
  • [24] VISSER, W. Designing as Construction of Representations: A Dynamic Viewpoint in Cognitive Design Research. Human-Computer Interaction, v. 21, n.1, 2006, pp. 103-152.
Como citar:

Bueno, Juliana; Padovani, Stephania; "Representações Gráficas de Síntese (RGSs): o desenho colaborativo para uma aprendizagem significativa", p. 52-61 . In: Beccari, Marcos N.; Machado, Carolina Calomeno (Eds.). Seminários sobre Ensino de Design [=Blucher Design Proceedings, v.2 n.10]. São Paulo: Blucher, 2016.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/despro-sed2016-007

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações