Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

REPERCUSSÕES DA SÍNDROME PRÉ- MENSTRUAL EM ESTUDANTES UNIVERSITÁRIAS: UMA REVISÃO

REPERCUSSÕES DA SÍNDROME PRÉ- MENSTRUAL EM ESTUDANTES UNIVERSITÁRIAS: UMA REVISÃO

Giannetto, B; Tamajusuku, E; Gastaldo, LPC; Vellenich, GAH; Pereira, MM;

Artigo completo:

INTRODUÇÃO: Os sinais e sintomas causados pela Síndrome Pré-Menstrual (SPM) acometem cerca de 75 a 80% da população. As consequências da Síndrome Pré-Menstrual apresentadas pelas mulheres interfere de forma significativa na vida destas atrapalhando as atividades diárias e, consequentemente, o desempenho no meio acadêmico. METODOLOGIA: Realizada revisão bibliográfica na base de dados Pubmed, no período entre 2015-2020, utilizando-se os descritores "Premenstrual Syndrome” and “Female students”. Após aplicar os filtros: língua portuguesa, inglesa e espanhola, excluindo artigos de revisão e relatos de caso, foram selecionados 14 artigos. OBJETIVO: Avaliar as repercussões da Síndrome Pré-Menstrual em estudantes universitárias. RESULTADOS: A média de apresentação da SPM foi de 59%, sendo que os principais sintomas foram depressão (83,9%), dor (83,9%) e outros sintomas físicos (64,3%), estresse (77,8%), insônia ou hipersonia (54,6%), fadiga (59%) e dismenorreia (41,9%). Os impactos na vida acadêmica foram: prejuízos de autodeterminação e motivação acadêmica, produtividade (48,3%), atividades de vida social (19%), relacionamentos (28,7%) e na performance em geral (44,3%). Os principais fatores relacionados à piora dos sintomas da SPM foram a ingestão de alimentos com alto teor calórico, de gordura, açúcar e sal, IMC, etilismo, tabagismo e história familiar. Os sintomas físicos aumentam conforme há ingestão de alimentos com alto teor calórico, de gordura, açúcar e sal (OR 3,2, IC 95% 1,4- 7,3; p<0,05); o consumo de frutas foi associado a diminuição dos sintomas comportamentais (OR 0,34, IC 95% 0,125-0,92; p<0,05); níveis mais altos de vitamina D diminuiam sintomas da SPM; o tabagismo e o etilismo foram associado ao aumento do risco de relatar sintomas psicológicos (OR 2,5, IC 95% 1,1-5,8; p<0,05). Somado a isso, mulheres que apresentavam anemia, doenças crônicas, sedentarismo e história familiar de Síndrome Pré-Menstrual tinham sintomas mais intensos. CONCLUSÃO: A produtividade, determinação e, sobretudo o desenvolvimento acadêmico das estudantes podem ser afetados devido aos sinais e sintomas que as mulheres com Síndrome Pré-Menstrual apresentam. Há um agravo nos sinais e sintomas de acordo com o estilo de vida que essas mulheres levam.

Artigo completo:

INTRODUCTION: The signs and symptoms caused by Premenstrual Syndrome (PMS) affects about 75 to 80% of the population. The consequences of PMS presented by women significantly interfere with their lives, disrupting daily activities and, consequently, performance in the academic environment. METHODOLOGY: A (systematic or bibliographic) review was made using the PubMed database, using the time period of 2015-2020 and the descriptors "Premenstrual Syndrome and Female students”. After using the filters of articles in Portuguese, Spanish and English and excluding review articles and case reports, 14 original articles were used. OBJECTIVE: Evaluate the repercussion of the premenstrual syndrome in female students. RESULTS: The average presentation of PMS was 59%, with the main symptoms being depression (83,9%), pain (83,9%) and other physical symptoms (64,3%), stress (77,8%), insomnia or hypersomnia (54,6%), fatigue (59%) and dysmenorrhea (41,9%). The impacts on academic life were: impairment of self-determination and academic motivation, productivity (48,3%), social life activities (19%), relationships (28,7%) and performance in general (44,3%). The main factors related to the worsening of PMS symptoms were the ingestion of foods with high caloric content, fat, sugar and salt, BMI, alcohol consumption, tabagism and family history. Physical symptoms increases according to the intake of foods with a high caloric content, fat, sugar and salt (OR 3,2, IC 95% 1,4- 7,3; p <0,05); fruit consumption was associated with a decrease in behavioral symptoms (OR 0,34, IC 95% 0,125-0,92; p <0,05); higher levels of vitamin D decreased symptoms of PMS; smoking and drinking were associated with an increased risk of reporting psychological symptoms (OR 2,5, IC 95% 1,1-5,8; p <0,05). In addition, women with anemia, chronic diseases, physical inactivity and family history of PMS had more severe symptoms. CONCLUSION: The productivity, determination and, above all, the academic development can be affected according to the signs and symptoms that women with PMS presents. There is an aggravation of signs and symptoms in accordance with the lifestyle these women have.

Palavras-chave: "Premenstrual Syndrome”, “Female students”,

Palavras-chave: Premenstrual syndrome and Female students,

DOI: 10.5151/comusc2020-12

Referências bibliográficas
Como citar:

Giannetto, B; Tamajusuku, E; Gastaldo, LPC; Vellenich, GAH; Pereira, MM; "REPERCUSSÕES DA SÍNDROME PRÉ- MENSTRUAL EM ESTUDANTES UNIVERSITÁRIAS: UMA REVISÃO", p. 231-246 . In: Anais do VIII Congresso Médico Universitário São Camilo. São Paulo: Blucher, 2020.
ISSN 2357-7282, DOI 10.5151/comusc2020-12

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações