Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

REFLEXÕES SOBRE A INTRODUÇÃO DA LÍNGUA INGLESA NO ENSINO FUNDAMENTAL I PÚBLICO À LUZ DOS MULTILETRAMENTOS

AGRA, Christiane Batinga;

Artigo Completo:

Neste trabalho, apresento um recorte de minha pesquisa de mestrado que objetivou compreender uma experiência de introdução da Língua Inglesa no Ensino Fundamental I público, focando no desenvolvimento linguístico e na formação cidadã dos alunos envolvidos. A pesquisa foi realizada numa escola pública da cidade de Maceió / AL, com alunos do 5º ano do Ensino Fundamental I. Apoio-me teoricamente na visão de língua de Bakhtin/Volochinov ([1929]/2010) que a considera um fenômeno social que só se materializa na presença do outro, na perspectiva sócio cultural de ensino-aprendizagem de Vygotsky (1978), na Linguística Aplicada Crítica (PENNYCOOK, 2006; RAJAGOPALAN, 2006), nos multiletramentos (ROJO, 2012), e nos estudiosos do ensino de inglês para crianças (CAMERON, 2001; BREWSTER, ELLIS & GIRARD, 2002; ROCHA, 2006; TONELLI e RAMOS, 2007; entre outros). Adotei para esse estudo a abordagem qualitativa de pesquisa e os instrumentos de coleta de dados foram planos de aulas, relatos de aula, atividades produzidas pelos alunos, além de entrevistas e rodas de conversa. As aulas foram por mim ministradas durante o final do ano letivo de 2014 e o primeiro semestre de 2015. Os resultados apontam para o fato de que a partir do momento em que a Língua foi aproximada da realidade dos alunos, surgiram maiores oportunidades de uma aprendizagem significativa. Acredito que, a partir do momento em que a língua só se torna "viva" quando utilizada em relações dialógicas, o aprendizado dessa língua só será significativo se ela for, de fato, estudada dessa forma – com sentidos e objetivos reais de uso. Assim, o novo idioma foi utilizado não de forma mecânica e descontextualizada, mas sim como um instrumento para compreender melhor o mundo onde as crianças vivem, tornando-as capazes de transitar de uma maneira crítica e consciente pelos fenômenos globais e locais de nossa sociedade contemporânea.

Artigo Completo:

Palavras-chave: ensino de inglês; ensino fundamental I; multiletramentos,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/edupro-clafpl2016-015

Referências bibliográficas
  • [1] ASSIS – PETERSON, A.A.; COX, M.I.P. Transculturalidade e transglossia: para compreender o fenômeno das fricções linguístico-culturais em sociedades contemporâneas sem nostalgia. In: CAVALCANTI, M.C.; BORTONI-RICARDI, S.M. (orgs.) Transculturalidade, Linguagem e Educação. São Paulo: Mercado de Letras, 2007. p. 23-43.
  • [2] BAKHTIN, M. Questões de Literatura e de Estética – A Teoria do Romance. São Paulo: Editora Hucitec, 7ª edição, 2014.
  • [3] BAKHTIN, M./ VOLOCHINOV, V.N. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 13ª edição, 2012.
  • [4] BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: pluralidade cultural, orientação sexual. Brasília: MEC/SEF, 1998.
  • [5] BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais – 1ª a 4ª série. v. 1. Introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1998.
  • [6] BREWTER, J.; ELLIS, G.; GIRARD, D. The Primary English Teacher’s Guide. New Edition. London: Penguin, 2002.
  • [7] DUBOC, A. P. M. Ensino e avaliação de línguas estrangeiras: tendências em curso. In: MULIK, K. B.; RETORTA, M. S. (orgs.) Avaliação no ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras: diálogos, pesquisas e reflexões. São Paulo: Pontes Editores, 2014. p. 21-4
  • [8] GEE, J.P. What videogames have to teach us about learning and literacy. New York: MacMillan, 2003.
  • [9] GRADDOL, D. English Next. Plymouth: British Council, 2006.
  • [10] KOHL, M.O. Vygotsky - aprendizagem e desenvolvimento: um processo sócio histórico. São Paulo: Scipione, 20
  • [11] KUMARAVADIVELU, B. A Linguística Aplicada na Era da Globalização. In: MOITA LOPES, L.P. (org.) Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006. p. 129-148.
  • [12] LUDKE, M.; ANDRE, M.E.D.A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.
  • [13] MENEZES DE SOUZA, L.M.T. Para uma redefinição de Letramento Crítico: conflito e produção de Significação. In: MACIEL, R.F.; ARAÚJO, V.A. (orgs.) Formação de Professores de Línguas – ampliando perspectivas. Jundiaí: Paco Editorial, 2011. p. 128-140.
  • [14] MOITA LOPES, L.P. A Nova Ordem Mundial, os Parâmetros Curriculares Nacionais e o Ensino de Inglês no Brasil: a Base Intelectual para uma Ação Política. In: BARBÁRA L.; RAMOS, R.C.G. (Orgs.) Reflexão e Ações no Ensino-aprendizagem de Línguas. Campinas: Mercado de Letras, 2003. p. 25-46.
  • [15] ORTIZ, R. Mundialização: saberes e crenças. São Paulo: Brasiliense, 2006.
  • [16] RAJAGOPALAN, K. Por uma Linguística Crítica. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.
  • [17] ______. A Geopolítica da Língua Inglesa e seus reflexos no Brasil. In: LACOSTE, Y.; RAJAGOPALAN, K. (orgs.) A Geopolítica do Inglês. São Paulo: Parábola Editorial, 2005. p. 135-159.
  • [18] ______. A Língua Estrangeira para Crianças: um tema no mínimo ambíguo. In: ROCHA, C.H.; TONELLI, J.R.A.; SILVA, K.A. (orgs.) Língua Estrangeira para Crianças: Ensino-aprendizagem e Formação Docente. São Paulo: Pontes Editores, 2010. p. 9-12.
  • [19] REGO, T.C. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. Rio de Janeiro: Vozes, 2014.
  • [20] ROCHA, C.H. O ensino de LE (inglês) para crianças do ensino fundamental público na transdisciplinaridade da linguística aplicada. In: TONELLI, J.R.A; RAMOS, S.G.M. (orgs.) O Ensino de LE para Crianças: Reflexões e Contribuições. Londrina: Moriá, 2007. p. 1-34.
  • [21] ______. Reflexões e Propostas sobre Língua Estrangeira no Ensino Fundamental I: Plurilinguismo, Multiletramentos e Transculturalidade. São Paulo: Pontes Editora, 2012.
  • [22] ROCHA, C.H.; TÍLIO, R.C. As dimensões da linguagem em livros didáticos de inglês para o Ensino Fundamental I. Trabalhos em Linguística Aplicada (UNICAMP), v. 48, p. 295-316, 2009.
  • [23] ROJO, R.H.R Fazer Linguística Aplicada em perspectiva sócio histórica: privação sofrida e leveza de pensamento. In: MOITA LOPES, L.P. (org.) Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006. p. 253-276.
  • [24] ______. Protótipos didáticos para os Multiletramentos. In: ROJO, R; MOURA, E. (orgs.) Multiletramentos na Escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012. p. 7-9.
  • [25] ______. Pedagogia dos Multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, R; MOURA, E. (orgs.) Multiletramentos na Escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012a. p. 11- 31.
  • [26] TEIXEIRA E SILVA, R. Representações de Países e Regiões de Língua Portuguesa em Materiais Didáticos usados em Macau para o Ensino de Português como Língua não Materna. In: ROCHA, C. H.; BRAGA, D. B.; CALDAS, R. R. (Orgs.) Políticas Linguísticas, Ensino de Línguas e Formação Docente: desafios em tempos de Globalização e Internacionalização. São Paulo: Pontes Editores, 2015. p. 105-128.
  • [27] TÍLIO, R. Linguística (aplicada), contemporaneidade e materiais didáticos: diálogos. In: SANTOS, L.I.S; SILVA, K.A. (orgs.) Linguagem, Ciência e Ensino: desafios regionais e globais. Campinas: Pontes Editores, 2013. p. 57-76.
  • [28] ______. Repensando a abordagem comunicativa: multiletramentos em uma abordagem consciente e conscientizadora. In: ROCHA, C.H.; MACIEL, R.F. (Orgs.) Língua Estrangeira e Formação Cidadã: Por entre Discursos e Práticas. 2ª ed. Campinas: Pontes Editores, 2015. p. 51-67.
  • [29] TONELLI, J.R.A. Histórias infantis e o ensino da língua inglesa para crianças. In: TONELLI, J.R.A; RAMOS, S.G.M. (orgs.) O Ensino de LE para Crianças: Reflexões e Contribuições. Londrina: Moriá, 2007. p. 107- 136.
  • [30] VYGOTSKY, L. A Formação Social da Mente. São Paulo: Editora Martins Fontes, 7ª edição, 2007.
  • [31] WELSCH, W. Transculturality the puzzling form of Cultures today. In: Spaces of Culture: City, Nation, World. Ed. by Mike Featherstone and Scott Lash, London: Sage 1999, p. 194 - 213.
Como citar:

AGRA, Christiane Batinga; "REFLEXÕES SOBRE A INTRODUÇÃO DA LÍNGUA INGLESA NO ENSINO FUNDAMENTAL I PÚBLICO À LUZ DOS MULTILETRAMENTOS", p. 179-192 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2318-695X, DOI 10.5151/edupro-clafpl2016-015

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações