Artigo - Open Access.

Idioma principal

Redes de interação no sistema regional de saúde de Minas Gerais

Martins, Mozart Santos; Botelho, Marisa dos Reis A.; Ruffoni, Janaina; Tatsch, Ana Lúcia;

Artigo:

A partir da abordagemde sistemas setoriais de inovação, este artigo propõe identificar os atores quese destacam no Sistema de Inovação de Saúde em Minas Gerais e caracterizar suasinterações. Pretende-se assim examinar as interações que se estabelecem entre ocomplexo universidade/institutos de pesquisa, a partir de seus grupos depesquisa, e outras organizações. Para tanto, foram coletadas informações juntoao Diretório de Pesquisas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico eTecnológico (DGP/CNPq) para o ano de 2016. A partir dos dados dos grupos depesquisa que estabelecem interações, que são da área de conhecimento dasCiências da Saúde e estão sediados em Minas Gerais, foram construídas redes queinformam características dos vínculos estabelecidos. Em síntese, observou-se umnúmero significativo de grupos de pesquisa, que interagem com organizações dediversas áreas. Constatou-se ainda, um grande número de interações realizadaspor grupos de pesquisas sediados nas universidades públicas do estado e,diferentemente do que pode-se supor para área da saúde, uma baixa participaçãodos hospitais universitários nesse fluxo de informações.

Artigo:

Palavras-chave: sistema de inovação em saúde; redes de interação entre atores; Minas Gerais,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/enei2018-57

Referências bibliográficas
  • [1] ALBUQUERQUE, E.; CASSIOLATO, J.E. (2000). As Especificidades do Sistema de Inovação no Setor Saúde: Uma Resenha da Literatura como Introdução a uma Discussão sobre o Caso Brasileiro. São Paulo: FeSBE (Estudos FeSBE I). ALBUQUERQUE, E. da M.; CASSIOLATO, J. E. (2002). As Especificidades do Sistema de Inovação do Setor Saúde. Revista de Economia Política, v. 22, n. 4 (88). ALBUQUERQUE, E.M.; SIMÕES, R.; BAESSA, A.; CAMPOLINA, B.; SILVA, L. (2002). A Distribuição Espacial da Produção Científica e Tecnológica Brasileira: uma descrição de estatísticas de produção local de patentes e artigos científicos. Revista Brasileira de Inovação, vol. 1, n. 2, p. 225-25 ALEJANDRO, V. A. O.; NORMAN, A. G. (2005). Manual introdutório à análise de redes sociais: medidas de centralidade. Mexico: Universidad Autonoma Del Estado de México. BARBOSA, P. R; GADELHA, C. A. G. (2012). O papel dos hospitais na dinâmica de inovação em saúde. Revista de Saúde Pública 46 (Supl), p. 68-75. BRITTO, J.; VARGAS, M. A.; GADELHA, C. A. G.; COSTA, L. S. (2012). Competências científico-tecnológicas e cooperação universidade-empresas na saúde. Revista de Saúde Pública, 46(Supl), p. 41-50. BRITTO, J. (2012). Capacitação Científico-Tecnológica e Articulação Universidade-Indústria em Saúde: evidências para o estado de Minas Gerais. In: Anais… XV Seminário sobre a Economia Mineira, Diamantina: CEDEPLAR / UFMG. CASTELLACCI, F. (2008). Technological paradigms, regimes and trajectories: Manufacturing and service industries in a new taxonomy of sectoral patterns of innovation. Research Policy, v.39, p.1139-1158. COOKE, Philip. (1998). Introduction: origins of the concept. In: BRACZYK, Hans-Joachim; COOKE, Philip; HEIDENREICH, Martin (Ed.). Regional Innovation Systems. London: UCL Press, p. 2-25. CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO (CNPq). Disponível em: http://www.cnpq.br/ DJELLAL, F.; GALLOUJ, F. (2005). Mapping innovation dynamics in hospitals. Research Policy, 34, p. 817-835. EDQUIST, C. (2006). Systems of Innovation: perspectives and challenges. In: FARBERGER, J.; MOWERY, D. C.; NELSON, R. (Orgs.). The Oxford Handbook of Innovation. Oxford: Oxford University Press. FREEMAN, C. (1995). The ‘National System of Innovation’ in Historical Perspective. Cambridge Journal of Economics, 19, p. 5-24. GELIJNS, A. C.; ROSENBERG, N. (1995). The changing nature of medical technology development. In: ROSEMBERG, N.; GELIJNS, A. C.; DAWKINS, H. Sources of medical technology: universities and industry. Washington: National Academy Press. LUNDVALL, B-Å. (1992). National innovation systems: towards a theory of innovation and interactive learning. London: Pinter. MALERBA, F. (2002). Sectoral System of Innovation and Production. Research Policy, v.31, p.247–264. MINA, A.; RAMLOGAN R.; TAMPUBOLON, G.; METCALFE, J. S. (2007). Mapping evolutionary trajectories: Applications to the growth and transformation of medical knowledge. Research Policy, v. 36, p. 789–806. MORLACCHI, P.; NELSON, R. R. (2011). How medical practice evolves: Learning to treat failing hearts with an implantable device. Research Policy, n. 40, issue 4, p. 511-525. MOWERY, D. C.; SAMPAT, B. N. (2006). Universities in National Innovation Systems. In: FAGERBERG, J.; MOWERY, D.C.; NELSON, R.R. (Orgs.). The Oxford Handbook of innovation. Oxford: Oxford University Press. NELSON, R. (1993). National Innovation Systems: a comparative analysis. Nova York: Oxford University. NELSON, R. (1995). The intertwining of public and proprietary in medical technology. In: ROSENBERG, N.; GELIJNS, A.; DAWKINS, H. Sources of medical technology: universities an industry (Medical innovation at the crossroads, v. 5). Washington: National Academy. NELSON, R. R.; BUTERBAUGHB, K.; PERLB, M.; GELIJNS, A. (2011). How medical know-how progresses. Research Policy, n. 40, p. 1339–1344. PAVITT, K. (1984). Sectorial patterns of technical change: towards a taxonomy and a theory. Research Policy, n.13, North-Holland. PAVITT, K. (1991). What makes basic research economically useful? Research Policy, v.20, n.2, p.109-119. RAPINI, M.; ALBUQUERQUE, E.; SILVA, L.; SOUZA, S.; RIGHI, H.; CRUZ, W. (2006). Spots of interaction. Belo Horizonte: Cedeplar-UFMG (Texto para Discussão 286, capturado em http://www.cedeplar.ufmg.br/pesquisas/td/TD 286.pdf). RAPINI, M. S., CHAVES, C. V., ALBUQUERQUE, E. M., SILVA, L. A., SOUZA, S. G. A., RIGHI, H. M., CRUZ, W. M. S. (2009). University-industry interactions in an immature system of innovation: evidence from Minas Gerais, Brazil. Science and Public Policy, v. 36, p. 373-386. SILVA NETO, F. C. C. et al. (2012). Abordando os grupos de pesquisa sobre sua relação com as instituições: uma avaliação por area específica de conhecimento. In: Anais… XV Seminário sobre a Economia Mineira, Diamantina: CEDEPLAR / UFMG. TATSCH, A. L.; RUFFONI, J.; BOTELHO, M. R. A. (2016). Health Innovation System: networks in Rio Grande do Sul/Brazil. América Latina Hoy, v. 73, p. 87-119. WINDRUM, P.; GARCÍA-GOÑI, M. (2008). A neo-schumpeterian model of health services innovation. Research Policy, 37, p. 649–672.
Como citar:

Martins, Mozart Santos; Botelho, Marisa dos Reis A.; Ruffoni, Janaina; Tatsch, Ana Lúcia; "Redes de interação no sistema regional de saúde de Minas Gerais", p. 1023-1042 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/enei2018-57

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações