Dezembro 2020 vol. 8 num. 5 - Colóquio Internacional de Design 2020

Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Processos, produtos e pessoas: o papel social dodesign e as relações de trabalho na indústria 4.0sob a ótica dos serviços prestados por aplicativo

Processes, products and people: the social role of design and labor relations inindustry 4.0 from the perspective of services provided by application

Oliveira, Raphael Jordão de; Silva, Camila Assis Peres; Moribondo, Juscelino de Farias;

Artigo completo:

O presente artigo traz uma análise crítica acerca do impacto da indústria 4.0 sobre os processosindustriais, sobre as pessoas em suas relações de trabalho e o consequente impacto no design deprodutos. Para tanto, utilizamos como metodologia uma revisão da modificação histórica das relaçõesde trabalho e os impactos da revolução industrial na formação do campo do design. Somado a issorealizamos levantamento da legislação vigente e iniciativas governamentais, bem como análise dostermos de serviço das principais empresas de aplicativos. Uma vez que o design de produtos é tantoresultado como agente transformador destas relações de trabalho, não há como discorrer sobredesign social e, portanto, sustentável é discorrer sobre os direitos humanos do trabalho. Trazemos,portanto, essa discussão argumentando a importância de uma relação de trabalho sustentável.Concluímos a discussão apresentando o desafio da sustentabilidade diante das novas tecnologiasintroduzidas pela indústria 4.0.

Artigo completo:

This paper provides a critical analysis of the impact of industry 4.0 on industrial processes, on peoplein their work relationships and the consequent impact on product design. For that, we used asmethodology a revision of the historical modification of work relations and the impacts of theindustrial revolution in the formation of the design field. In addition to this, we carried out a survey ofcurrent legislation and government initiatives, as well as an analysis of the terms of service of themain application companies. Since product design is both a result and a transformative agent of theselabor relations, there is no way to talk about social design and, therefore, sustainable is to talk abouthuman rights at work. Therefore, we bring this discussion by arguing the importance of a sustainableworking relationship. We concluded the discussion by presenting the challenge of sustainability in theface of new technologies introduced by industry 4.0.

Palavras-chave: Indústria; Sustentabilidade; Leis de Trabalho; Design,

Palavras-chave: Industry; Sustainability; Labor laws; Design,

DOI: 10.5151/cid2020-105

Referências bibliográficas
  • [1] 99 TAXI. Termos de Uso Motorista. Disponível em: https://99app.com/legal/termos/motorista/.Acesso em 25 set. 2019.
  • [2] ACATECH, National Academy of Science and Engineering. Recommendations for implementing the strategic initiative INDUSTRIE 4.0. 2013. Disponível em: https://www.acatech.de/wpcontent/uploads/2018/03/Final_report__Industrie_4.0_accessible.pdf. Acesso em 29 nov. 2019.
  • [3] BANSAL, P. The Corporate Challenges of Sustainable Development. Academy of Management Executive, v. 16, n. 2, p. 122-131, 2002. http://dx.doi.org/10.5465/ AME.2002.7173572
  • [4] BANSAL, P.; BOGNER, W. Deciding on ISO 14001: economics, institutions, and context. Long Range Planning, v. 35, n. 3, p. 269-290, 2002. http://dx.doi. org/10.1016/S0024-6301(02)00046-8
  • [5] BAUMAN, Z. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 1997.
  • [6] BAUMAN, Z. 44 cartas do mundo líquido moderno. Edição eletrônica de 2011. Rio de Janeiro: Editora Zahar. ISBN: 978-85-378-0770-5.
  • [7] BRASIL. LEI Nº 13.467, DE 13 DE JULHO DE 201 Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l1346htm. Acesso em 29 ago. 2019.
  • [8] BRASIL. DECRETO-LEI Nº 5.452, DE 1º DE MAIO DE 1943. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del5452.htm. Acesso em 29 ago. 2019.
  • [9] BRASIL. Microempreendedor individual. LEI COMPLEMENTAR Nº 128, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LCP/Lcp128.htm Acesso em 18 set. 201
  • [10] CARDOSO, Rafael. Uma Introdução à História do Design. São Paulo: Editora Edgard Blucher, 2008.
  • [11] CONTINO, Joana; CIPINIUK, Alberto. Indústria 4.0: organização do trabalho e indústria da moda, p. 4825-4838. In: Anais do 13º Congresso Pesquisa e Desenvolvimento em Design (2018). São Paulo: Blucher, 2019. ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/ped2018-6.1_ACO_04
  • [12] CELASCHI, F.; DI LUCCHIO, L; IMBESI, L. Design e phigital production:progettare nell’era dell’industria 4.0. MD Journal. 2017. ISSN 2531-9477 [online], ISBN 978-88-85885-00-4 [print]
  • [13] DESIGN Disruptors. Direção de Matt D'Avella. Co-direção: Jennifer Fineran. Nova Iorque: InVision, 2016. 1 vídeo (63 min.), son., color. Disponível em: https://www.designdisruptors.com/. Acesso em: 15 jul. 2020.
  • [14] DESTAK. Disponível em https://www.destakjornal.com.br/seu-valor/empresas---negocios/detalhe/motoristas-de-uber-protestam-em-frente-a-bolsa-de-valores. Acesso em 27 de set. 2019
  • [15] DRISCOLL, C.; CROMBIE, A. Stakeholder Legitimacy Management and the Qualified Good Neighbor: the case of Nova Nada and JDI. Business and Society, v. 40, n. 4, p. 442-471, 2001. http://dx.doi. org/10.1177/000765030104000405.
  • [16] EXAME. Carreira: você S/A. Disponível em: https://exame.abril.com.br/carreira/o-lado-sombrio-dotrabalho-para-aplicativos-e-como-e-pior-para-mulheres/. Acesso em: 19 set. 2019.
  • [17] GOBBELS, M.; JAN, J. AA1000 and SA8000 Compared: A Systemic Comparison of Contemporary Accounability Standards. Managerial Auditing Journal, v. 18, n. 1, p. 54-58, 2003. http://dx.doi. org/10.1108/02686900310454246
  • [18] IFOOD. Termos de serviço. Disponível em: https://www.ifood.com.br/termos. Acesso em 25 set. 2019.
  • [19] LEE, N. The 411: Feature Phones Vs. Smartphones. Cnet.com, 2010. Disponível em: https://www.cnet.com/news/the-411-feature-phones-vs-smartphones/. Acesso em: 29 ago. 20
  • [20] LEMOS, A. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2013.
  • [21] LEMOS, A. Cidade e mobilidade. Telefones celulares, funções pós-massivas e territórios informacionais. Revista Matrizes Nº. 1 Outubro, 2007.
  • [22] LEMOS, A. Mídia Locativa e Territórios Informacionais. In ARANTES, P; SANTAELLA, L. (org.) Estéticas Tecnológicas. São Paulo: Ed. PUC/SP, 2007.
  • [23] LIMA, E. C.; MARTINS, B.Design Social, o herói de mil faces, como condição para atuação contemporânea. In: BRAGA, M. da C. (org.) O papel social do design gráfico. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2011.p.115-136.
  • [24] MARX, K. Crítica da economia política: Livro I: o processo de produção do capital. São Paulo: Editora Boitempo, 2013. ISBN 978-85-7559-321-9.
  • [25] MEGGS, Philip B.; PURVIS, Alston W. História do Design Gráfico. São Paulo: Cosac e Naify, 2009.
  • [26] NAÇÕES Unidas. 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Disponível em: https://nacoesunidas.org/conheca-os-novos-17-objetivos-de-desenvolvimento-sustentavel-daonu/amp/ Acesso em 19 set. 2019.
  • [27] NAÇÕES Unidas. Declaração Universal dos Direitos do Homem. Disponível em: https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2018/10/DUDH.pdf. Acesso em 24 set. 2019.
  • [28] NORONHA, E. G. Informal, ilegal, injusto: percepções do mercado de trabalho no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 18, n. 53. Outubro 2003 Portal do Empreendedor. Disponível em: http://www.portaldoempreendedor.gov.br/. Acesso em 19 set. 2019.
  • [29] PRAKASH, A. A new institutionalist perspective on ISO 14000 and responsible care. Business Strategy and the Environment, v. 8, n. 5, p. 322-335, 1999. http://dx.doi.org/10.1002/(SICI)1099- 0836(199911/12)8:63.0.CO;2-H
  • [30] PRAKASH, A. Why do firms adopt ‘beyond compliance’ environmental policies? Business Strategy and the Environment, v. 10, n. 5, p. 286-299, 2001. http:// dx.doi.org/10.1002/bse.305
  • [31] PREECE, J.; ROGERS, Y.; SHARP, H.. Design de interação: além da interação homemcomputador. Porto Alegre: Bookman, 2013. Edição Kindle.
  • [32] SOUZA, P. L. P. Notas para uma história do design. Teresópolis: Grupob 2AB, 2013. Kindle Edition.
  • [33] UBER. Termos de uso. Disponível em: https://www.uber.com/pt-BR/legal/terms/br/. Acesso em 19 set. 2019.
  • [34] UOL. Disponível em https://www.uol.com.br/tilt/noticias/redacao/2018/03/03/quase-um-terco-dosmotoristas-do-uber-estao-perdendo-dinheiro-diz-estudo.htm. Acesso em 27 set. 2019
  • [35] VAN MARREWIJK, M. Concepts and Definitions of CSR and Corporate Sustainability: Between Agency and Communion. Journal of Business Ethics, v. 44, p. 95-105, 2003. http://dx.doi. org/10.1023/A:1023331212247
  • [36] VEJA SÃO PAULO. Disponível em https://vejasp.abril.com.br/cidades/uber-teste-motorista-um-mes/. Acesso em 27 set. 2019
  • [37] WILKES, A. (ed.) Design: the definitive visual history. London: Dorling Kindersley Limited, 2015.
  • [38] WORLD Economic Forum, “The Future of Jobs...”, January 2016, p. 15. Disponível em: http://www3.weforum.org/docs/WEF_Future_of_Jobs.pdf. Acesso em 19 set. 2019.
Como citar:

Oliveira, Raphael Jordão de; Silva, Camila Assis Peres; Moribondo, Juscelino de Farias; "Processos, produtos e pessoas: o papel social dodesign e as relações de trabalho na indústria 4.0sob a ótica dos serviços prestados por aplicativo", p. 1401-1413 . In: Anais do Colóquio Internacional de Design 2020. São Paulo: Blucher, 2020.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/cid2020-105

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações