Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

PRÊMIOS DE RECONHECIMENTO COMO INSTRUMENTO DE PROMOÇÃO À INOVAÇÃO NAS EMPRESAS BRASILEIRAS

SOUZA, Sandro Celso de; PENNA, Caetano Christophe Rosado;

Artigo Completo:

Este artigo se propõe a analisar a concessão de prêmios de reconhecimento como instrumento de política pública para promover a inovação nas empresas brasileiras. A literatura identifica dois tipos de prêmio de inovação: os de “reconhecimento”, que premiam empresas que se destacam por suas inovações já desenvolvidas; e os de “indução”, que premiam empresas que desenvolvem a inovação-foco que o prêmio pretende incentivar. Com relação a prêmios de reconhecimento, a literatura nos mostra os benefícios observados para os vencedores, porém nada diz sobre os efeitos gerados aos participantes. Assim, buscou-se investigar como estes podem beneficiar todas as empresas concorrentes, utilizando uma abordagem neo-schumpeteriana e as teorias de aprendizado organizacional para investigar a hipótese de que prêmios de reconhecimento promovem aprendizagem por meio da interação entre os agentes econômicos participantes do prêmio com o patrocinador. Para isso realizou-se uma pesquisa qualitativa em um conjunto de empresas brasileiras que participaram do Prêmio Finep de Inovação entre os anos de 2010 e 2014. Resultados preliminares indicam que a participação das empresas no Prêmio Finep geraram aprendizado e inovações foram introduzidas por elas por conta desta interação. Foi possível também identificar, a partir das entrevistas, a existência de dois tipos de prêmios de reconhecimento, que nomeamos de "estáticos" e "dinâmicos".

Artigo Completo:

This paper proposes to analyze the granting of recognition prizes as an instrument of public policy to promote innovation in Brazilian companies. The literature identifies two types of innovation awards: Recognition prizes, which reward companies that stand out for their innovations already developed; And Inducement Prize, which reward companies that develop the innovation-focus that the prize intends to encourage. Regarding recognition awards, the literature shows us the benefits observed for the winners, but does not say anything about the effects generated for the participants. Thus, we sought to investigate how these can benefit all competing firms by using a neo-Schumpeterian approach and organizational learning theories to investigate the hypothesis that recognition awards promote learning through the interaction between the economic agents participating in the award with the sponsor. For this, a qualitative research was carried out in a group of Brazilian companies that participated in the Finep Innovation Award between the years of 2010 and 2014. Preliminary results indicate that the companies' participation in the Finep Award generated learning for companies, where innovations were introduced by them because of this interaction. It was also possible to identify, from the interviews, the existence of two types of recognition awards, which we call "static" and "dynamic".

Palavras-chave: Prêmio, Inovação, Indução, Reconhecimento, Políticas Públicas, Finep,

Palavras-chave: Inducement, Prize, Recognition, Innovation, Policy, Finep,

DOI: 10.5151/enei2017-52

Referências bibliográficas
  • [1] BALLANTYNE, Perrie. Challenge Prizes – a Practice Guide. Nesta. Disponível em http://www.nesta.org.uk/sites/default/files/challengeprizes-design-practice-guide.pdf. 2014
  • [2] BRUNT, Liam; LERNER, Josh; NICHOLAS, Tom. Inducement prizes and innovation. The Journal of Industrial Economics, v. 60, n. 4, p. 657-696, 201
  • [3] CAPPELLE, Mônica Carvalho Alves; MELO, Marlene Catarina de Oliveira Lopes; GONÇALVES, Carlos Alberto. Análise de conteúdo e análise de discurso nas ciências sociais. Organizações Rurais & Agroindustriais, v. 5, n. 1, 2011.
  • [4] CASSIOLATO, José Eduardo; LASTRES, Helena Maria Martins. Sistemas de inovação e desenvolvimento: as implicações de política. São Paulo em perspectiva, v. 19, n. 1, p. 34-45, 2005.
  • [5] FINEP. Prêmio FINEP de Inovação, disponível em . Acesso em 25 de Janeiro de 2016.
  • [6] FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. In: Introdução à pesquisa qualitativa. Artmed, 2009.
  • [7] FREEMAN, Christopher. The ‘National System of Innovation’in historical perspective. Cambridge Journal of economics, v. 19, n. 1, p. 5-24, 1995.
  • [8] GIL, António Carlos-Como Elaborar Projetos. "de Pesquisa. 4. ª Edição." Publicações Atlas (2007).
  • [9] LUNDVALL, B. A. (ed) National Systems of Innovation: towards a theory of innovation and interactive learning. Anthem Press, 1992.
  • [10] ________. Innovation as an interactive process: from user-producer interaction to the national system of innovation. In: DOSI, G. et al (orgs.), Technical Change and Economic Theory. Londres: Pinter Publishers, 1988.
  • [11] MALERBA, F. Learning by firms and incremental technical change. The economic journal, v. 102, n. 413, p. 845-859, 1992.
  • [12] MARCONI, M. e LAKATOS, M. Metodologia do Trabalho Científico: procedimentos
  • [13] básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 7ª ed.São Paulo : Atlas, 2009.
  • [14] MAZZUCATO, M. & PENNA, C. The Brazilian Innovation System: A Mission-Oriented Policy Proposal. Brasília: CGEE. 2016.
  • [15] MCKINSEY & COMPANY. And the winner is: Capturing the power of philanthropic prizes. 2009. Disponível em http://www.mckinsey.com/clientservice/Social_Sector/our_practices/Philanthropy/Knowledge_highlights/And_the_winner_is.aspx. Último acesso em 26 de agosto de 2016.
  • [16] OCDE. Manual de Oslo. Diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. 3ª. Ed. Brasília, OCDE, Finep, 2005.
  • [17] ROSINO, A. (2006) “O Prêmio Finep de Inovação Tecnológica”. Niteroi, Rio de Janeiro.
  • [18] SCHUMPETER, J. “Capitalismo, Socialismo, Democracia”. Zahar, Rio de Janeiro.
  • [19] TATSCH, Ana Lúcia. "Conhecimento, Aprendizagem, Inovação e Proximidade Espacial: o caso do arranjo de máquinas e implementos agrícolas no Rio Grande do Sul." Revista Brasileira de Inovação 7.1 jan/jun (2009): 63-100.
  • [20] VON HIPPEL, E. The sources of Innovation. New York: Oxford University Press. 1988.
  • [21] YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.
  • [22] ZIENTS, J. D. Memorandum for the heads of executive departments and agencies: Guidance on the use of challenges and prizes to promote open government. March, v. 8, p. 2010, 2010.
Como citar:

SOUZA, Sandro Celso de; PENNA, Caetano Christophe Rosado; "PRÊMIOS DE RECONHECIMENTO COMO INSTRUMENTO DE PROMOÇÃO À INOVAÇÃO NAS EMPRESAS BRASILEIRAS", p. 951-967 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/enei2017-52

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações