Maio 2018 vol. 4 num. 3 - Colóquio Internacional de Design 2017

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Porto Maravilha: mobiliário urbano e espaço público em evidência

Porto Maravilha: urban furniture and public space in evidence

Jesus, Karine Dias de; Giese, Juliana Varejão; Colchete Filho, Antonio Ferreira;

Artigo Completo:

A cidade configura-se como palco de inúmeras transformações que podem ser percebidas em diversas escalas. As transformações pelas quais passam os espaços públicos são de grande importância no contexto da cidade, por estarem diretamente relacionadas com a convivência dos indivíduos neles inseridos. A partir da década de 1990, o design urbano brasileiro incorporou em seus projetos teorias norteadoras da qualidade do espaço público urbano para os cidadãos que visam promover a humanização dos espaços públicos em escala proporcional aos indivíduos, levando em conta que a relação entre o espaço e o cidadão se dá através de diversos elementos urbanos, entre eles o mobiliário urbano. O objetivo deste artigo é evidenciar os aspectos conceituais que envolvem o mobiliário urbano e seu papel no espaço público contemporâneo, estimulando a discussão teóricoconceitual que cerca o tema. Tendo como delimitação de estudo a requalificação das áreas da Praça Mauá e da Orla Conde, inseridas no Projeto Porto Maravilha na zona portuária do Rio de Janeiro-RJ, decorrente dos Jogos Olímpicos de 2016, a pesquisa pautou-se em revisão bibliográfica dos conceitos relacionados ao mobiliário urbano e na importância desses elementos na concepção de um projeto de requalificação de áreas urbanas. O levantamento dos aspectos que estimulam as possibilidades teóricas e conceituais fundamentou a análise do mobiliário urbano planejado para a região. Conclui-se que mesmo com o efeito positivo do projeto de intervenção realizado para a área, que tem se configurado como um novo marco espacial da cidade, o projeto do mobiliário urbano e as questões afetas a estes ainda necessitam de uma discussão mais ampla que o mobiliário urbano possa ser melhor adequado à população e ao espaço público que se insere.

Artigo Completo:

Cities are configured as the scenario of numerous transformations that can be perceived in different scales. The transformations that the public spaces pass through are of great importance in the context of the city, because they are directly revated to the coexistence of the individuals inserted in them. Since the 1990s, Brazilian urban design has incorporated in its projects theories guiding the quality of the urban public space for citizens that aim to promote the humanization of public spaces on a scale proportional to individuals, taking into account that the relationship between space and citizens is given through several urban elements, as the urban furniture. The objective of this article is to highlight the conceptual aspects that surround the urban furniture and its role in the contemporary public space, stimulating the theoretical-conceptual discussion that surrounds the theme. Based on the redevelopment of the areas of Mauá Square and Orla Conde, as part of the Porto Maravilha Project in the port area of Rio de Janeiro-RJ, as a result of the 2016 Olympic Games, the study was based on a bibliographical review of the related concepts of urban furniture and in the importance of these elements in the conception of a requalification project of urban areas. The data collection of the aspects that stimulate the theoretical and conceptual possibilities substantiated the analysis of the urban furniture planned for the region. It is concluded hat even with the positive effect of the intervention project carried out for the area, which has been configured as a new spatial landmark of the city, the urban furniture project and the issues related to it still require a wider discussion so that the urban furniture may be better suited to the population and to the public space in which it is inserted.

Palavras-chave: mobiliário urbano; espaço público; Porto Maravilha; Rio de Janeiro,

Palavras-chave: street furniture; public space; Porto Maravilha; Rio de Janeiro,

DOI: 10.5151/cid2017-60

Referências bibliográficas
  • [1] ABREU, Maurício. A evolução urbana do Rio de Janeiro. 2ª ed. Rio de Janeiro: IPLANRIO/ZAHAR, 1988
  • [2] AGACHE, Alfred. Cidade do Rio de Janeiro: Extensão-Remodelação-Embellezamento. Paris: Foyer Brésilien, 1930. Disponível em:. Acesso em 10 abr. 2017. ANTAQ, 2008
  • [3] AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS. Porto do Rio de Janeiro. Brasil, 2008. 3f.
  • [4] ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 9283: mobiliário urbano. Rio de Janeiro, 1986.
  • [5] CARMONA, Matthew; HEATH, Tim; OC, Taner; TIESDELL, Steve. Publicspaces, urbanspaces: thedimensionsofurban design. Grã-Bretanha: Editora Elsevier, 2003.
  • [6] CDURP – Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro. Plantas técnicas. 2017. Acervo do Núcleo de Pesquisa Ágora – Universidade Federal de Juiz de Fora.
  • [7] CEZAR, Paulo Bastos; CASTRO, Ana Rosa Viveiros de. (Org.). A Praça Mauá na memória do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: João Fortes Engenharia/Editora ExLibris, 1989.
  • [8] COLCHETE FILHO, Antonio F. Estudo sobre o mobiliário urbano no Rio de Janeiro: a experiência do projeto Rio Cidade – Leblon e Vila Isabel. In: Anais do V ENEPEA, Rio de Janeiro: FAU/UFRJ, jun. 2000, p. 1-6.
  • [9] COSTA, Naira Rafaele Andrade da. Projeto Porto Maravilha: a importância para o desenvolvimento turístico e socioculturalda zona portuária do Rio de Janeiro. 2011. 117f. Trabalho de Conclusão de Curso (Obtenção do Grau de Bacharel em Turismo) - Universidade Federal Fluminense, Niterói.
  • [10] CREUS, Maria Quintana. Espacios, muebles y elementos urbanos. In: SERRA, Josef Maria. Elementos urbanos: mobiliário e microarquitetura. Barcelona: Gustavo Gili, 1996.
  • [11] DEL RIO, Vicente. Voltando as origens: a revitalização de áreas portuárias nos centros urbanos. Arquitextos, São Paulo, ano 02, n. 015.06, Vitruvius, ago. 2001. Disponível em: . Acesso em: 19de junho2017.
  • [12] FORTUNA, Vania. Megaeventos no Rio de Janeiro: estratégia discursiva para um consenso de cidade global. In: Anais do XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Rio de Janeiro, set.2015, p. 1-13.
  • [13] GEHL, Jan. Cities for people. Washington: Island Press, 2010.
  • [14] INSTITUTO PEREIRA PASSOS. Um passeio pelo tempo. Rio de Janeiro: Instituto Pereira Passos, 2002. Disponível em: . Acesso em 12 abr. 2017.
  • [15] JOHN, Naiana Maura. Avaliação estática do mobiliário urbano e do uso de abrigos de ônibus por cadeirantes. 2012. 210f. Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano e Regional) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.
  • [16] JOHN, Naiana Maura; REIS, Antônio Tarcísio da Luz. Mobiliário urbano: estética e uso dos espaços. In: Simpósio Brasileiro de Qualidade do Projeto no Ambiente Construído, São Carlos: Universidade de São Paulo, nov. 2009, p. 114-125.
  • [17] MASCARENHAS, Gilmar. Rio de Janeiro 2016: a cidade em movimento. Revista USP, São Paulo, n. 108, jan/fev/mar 2016, p. 49-56.
  • [18] MONTENEGRO, Glielson Nepomuceno. A produção do mobiliário urbano em espaços públicos: o desenho do mobiliário urbano nos projetos de reordenamento das orlas do Rio Grande do Norte. 2005. 192f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.
  • [19] MONTENEGRO, Glielson Nepomuceno; ELALI, Gleice Azambuja; GOMES, Luiz Antônio Vidal de Negreiros. Design urbano: o mobiliário citadino oferecendo meios para o ambiente ser compartilhado. In:Cadernos de Pós-Graduação em arquitetura e urbanismo, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 138-155, 2011.
  • [20] MORONI, Janaína da Silva. Aplicação do Design Gráfico para o desenvolvimento de mobiliário urbano. 2008. 196f. Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano e Regional) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.
  • [21] MOTTA, Marly Silva da. Rio de Janeiro: de cidade-capital a Estado da Guanabara. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2001.
  • [22] MOURTHÉ, Claudia. Mobiliário Urbano. Rio de Janeiro: 2AB Editora, 1998.
  • [23] MUNIZ, Águeda. Intervenções urbanas em espaços de desvalia: transformar para valorizar. 2012. 474f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.
  • [24] RIO DE JANEIRO. Prefeitura Municipal.A cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: IPLANRIO, 1993.
  • [25] RIO DE JANEIRO. Prefeitura Municipal. Instituto Brasileiro de Administração Municipal. Manual para a Implantação de Mobiliário Urbano na Cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: IBAM/CPU, PCRJ/SMU, 1996.
  • [26] RIO DE JANEIRO. Lei n. 101, de 23 de novembro de 2009. Modifica o Plano Diretor, autoriza o Poder Executivo a instituir a Operação Urbana Consorciada da Região do Porto do Rio e dá outras providências
  • [27] RIO DE JANEIRO. Prefeitura Municipal. Operação Urbana Porto Maravilha.Rio de Janeiro: CDURP, s.d.
  • [28] SÁNCHEZ, Fernanda; GUTERMAN, Bruna; LAIBER, Paula. Disputas simbólicas na cidade maravilhosa: atores, instrumentos e gramáticas territoriais. In: Anais do XVI ENANPUR, Belo Horizonte: 2015, p. 1-15.
  • [29] VARGAS, HelianaComin; CASTILHO, Ana Luisa Howard de. Intervenções em centros urbanos: objetivos, estratégias e resultados. In: ______. (Org.). Intervenções em Centros Urbanos: objetivos, estratégias e resultados. Barueri, SP: Manole, 2009.
  • [30] WAN, Pak Hong. Street furniture design principlesandimplementations: case studiesofstreetfurniture design in denselypopulatedoldurbanareas. 2007. 351f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Escola de Design, Universidade Politécnica de Hong Kong, China.
Como citar:

Jesus, Karine Dias de; Giese, Juliana Varejão; Colchete Filho, Antonio Ferreira; "Porto Maravilha: mobiliário urbano e espaço público em evidência", p. 689-701 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, ISBN: cid2017
DOI 10.5151/cid2017-60

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações