Maio 2018 vol. 4 num. 3 - Colóquio Internacional de Design 2017

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Por um design de vivências

For a design of experiencing

Bedore, Renato; Beccari, Marcos;

Artigo Completo:

Este artigo apresenta um breve estudo exploratório com o objetivo de indicar algumas bases relacionais entre o conceito de vivência e o campo do design. Em outros termos, nosso intuito é fornecer subsídios a um design de vivências. O estudo nos permitiu apontar as bases para o pensamento de um novo nicho do design, o design de vivências. Para tal, de início apontamos as definições do termo vivência, a partir de estudo desenvolvido sobre o pensamento do filósofo Friedrich Nietzsche, e a comparamos com a noção de experiência, passando por conceitos que somados geraram o entendimento da mesmo como sendo: um tipo de experiência de natureza estética, singular e intensamente afetiva, que se concretiza por conveniência. Em seguida, com base em uma breve análise de alguns modelos visuais desenvolvidos por outros autores apontamos para os mecanismos que formam uma vivência. E por fim refletimos esses conceitos em uma possível práxis de um design de vivências.

Artigo Completo:

This article presents a brief exploratory study with the purpose of indicating some relational bases between the concept of experiencing and the field of design. In other words, our intention is to provide support for a design of experiencing. The study allowed us to lay the groundwork for thinking about a new niche of design, the design of experiencing. To that end, we first set out the definitions of the term experiencing, based on a study developed on the philosopher Friedrich Nietzsche's thinking, and compare it with the notion of experience, passing through concepts that added to the understanding of the same as being: a type of Experience of aesthetic nature, singular and intensely affective, that is concretized by convenience. Then, based on a brief analysis of some visual models developed by other authors we point to the mechanisms that form an experience. And finally we reflect these concepts in a possible praxis of a design of experiencing.

Palavras-chave: vivência; estética; experiência; design de serviços,

Palavras-chave: experiencing; aesthetic; experience; service design,

DOI: 10.5151/cid2017-59

Referências bibliográficas
  • [1] ALMEIDA, R. O mundo, os homens e suas obras: filosofia trágica e pedagogia da escolha. Tese de livre docência pela Universidade de São Paulo, 2015.
  • [2] BECCARI, M. Articulações Simbólicas: uma nova filosofia do design. Teresópolis, RJ: 2AB, 2016.
  • [3] FERNANDES, M. Consciência, vivência e vida: um percurso fenomenológico. Revista da Abordagem Gestáltica, v. 16, n. 1, p. 29-41, 2010.
  • [4] LINDSTRÖM, J. Meeting room design based on experience production and the creative process: a conceptual development of meeting rooms for the meeting industry. 2009.
  • [5] LÖBACH, Bernd. Design industrial. São Paulo: Edgard Blücher, 2001.
  • [6] MILECK, L. Modelo teórico-prático de co-criação para vivências: um estudo exploratório do design para vivencias. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Paraná, Programa de Pósgraduação em Design, Curitiba, Brasil,201
  • [7] MORENTE, M. ; BENGOECHEA, J. Fundamentos de filosofia. Mestre Jou, 1970.
  • [8] NIETZSCHE, F. Aurora. (Trad. Paulo César de Souza). São Paulo: Companhia das Letras, 2004.
  • [9] PERNIOLA, M. A estética do século XX. Lisboa: Editorial Estampa, 1998.
  • [10] TONETTO, L.; COSTA, F. Design Emocional: conceitos, abordagens e perspectivas de pesquisa. Strategic Design Research Journal, 2011, 4.3: 132-140.
  • [11] VIESENTEINER, J. O conceito de vivência (Erlebnis) em Nietzsche: gênese, significado e recepção. Kriterion: Revista de Filosofia, v. 54, n. 127, p. 141-155, 2013.
Como citar:

Bedore, Renato; Beccari, Marcos; "Por um design de vivências", p. 678-688 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, ISBN: cid2017
DOI 10.5151/cid2017-59

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações