Artigo - Open Access.

Idioma principal

Políticas de apoio à internacionalização de empresas para a indústria farmacêutica brasileira

Perin, Fernanda Steiner; Paranhos, Julia;

Artigo:

A internacionalização contribui para o aumentoda competitividade e das capacidades produtivas e inovativas das empresas,sobretudo para uma indústria intensiva em tecnologia e baseada em ciência, comoa farmacêutica. O objetivo do trabalho é identificar e analisar as políticas deapoio à internacionalização de empresas farmacêuticas brasileiras de capitalnacional, por meio de uma metodologia de estudo de múltiplos casos com pesquisade campo. Identificou-se que as políticas brasileiras de apoio àinternacionalização de empresas farmacêuticas são falhas nos quesitosregulatório e financeiro e, relativamente satisfatória no não-financeiro.Discute-se algumas sugestões de agenda para a promoção da internacionalizaçãodas empresas farmacêuticas nacionais.

Artigo:

Palavras-chave: indústria farmacêutica; internacionalização; políticas públicas,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/enei2018-69

Referências bibliográficas
  • [1] ACIOLY, L.; SCHATZMANN, S. Políticas de promoção e apoio à internacionalização de empresas. In: Camex et al. Internacionalização de empresas brasileiras. Brasília: 2009, p. 44-56. ALCARAZ, J.; ZAMILPA, J. Latin American governments in the promotion of outward FDI. In: OECD. Transnational Corporations, v. 24, n. 2, p. 91-108, 2017. ALEM, A. C.; CAVALCANTI, C. E. O BNDES e o apoio à internacionalização das empresas brasileiras: algumas reflexões. In: ALMEIDA, A. (Org.). Internacionalização de empresas brasileiras: Perspectivas e riscos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007, p. 258-282. ALEM, A. C.; MADEIRA, R. Internacionalização e competitividade: a importância da criação de empresas multinacionais brasileiras. In: ALEM, A. C.; GIAMBIAGI, F. (Org.). O BNDES em um Brasil em transição. Rio de Janeiro: BNDES, 2010, p. 39-58. ARBIX G.; NEGRI, J. A.; SALERNO, M. O impacto da internacionalização com foco na inovação tecnológica sobre as exportações das firmas brasileiras. Revista de Ciências Sociais. Rio de Janeiro, n. 48, p. 395-442, 2005. BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL – BNDES. Relatório de Operações de Internacionalização. Tabulação especial. Disponibilizado em mar. 2014. BONELLI, R.; VEIGA, P. M; BRITO, A. F. As políticas industrial e de comércio exterior no Brasil: rumos e indefinições. Texto para discussão IPEA, n. 527, p. 1-72, 1997. BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP).Disponível no: . Acesso em: mar. 2016. BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Ciência, Tecnologia e Complexo Industrial. Disponível em: . Acesso em: 22 jan.2018. BRASIL. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR – MDIC. Secretaria de Comércio Exterior, Sistema AliceWeb. Disponível no: . Acesso em jan. 2017. CATERMOL, F. O BNDES e o apoio às exportações. In: ALEM, A. C.; GIAMBIAGI, F. (Org.). OBNDES em um Brasil em transição. Rio de Janeiro: BNDES, 2010, p. 162-176. CHANG, H. J. Kicking away the ladder: development strategy in historical perspective. London: Anthen Press, 2002. CHO, J. Foreign Direct Investment: determinants, trends in flows and promotion policies. Investment promotion and enterprise development. Bulletin for Asia and the Pacific. p. 99-112, 2003. DUNNING, J. Comment on Dragon multinationals: New players in 21st century globalisation. Asia Pacific Journal of Management, n. 23, p. 139-141, 2006. DUNNING, J. et al. Explaining the new wave of outward FDI from developing countries: The Case of Taiwan and Korea. 22nd Annual EIBA Conference Proceedings. Institute of International Business, Stockholm, 1997. DUNNING, J.; KIM, C.; PARK, D. Old wine in new bottles: a comparison of emerging-market TNCs today and develop-country TNCs thirty years ago. In: SAUVANT, K. (ed.). The rise of transnational corporations from emerging markets: threat or opportunity? Cheltenham (RU): Edward Elgar Publishing Limited, p.158-180, 2008. DUNNING, J.; NARULA, R. Foreign direct investment and governments: Catalysts for economic restructuring. London, Routledge, 1996. DUYSTERS, G.; HAGEDOORN, J. International Technological Collaboration: implications for Newly Industrializing Economies. In: KIM, L.; NELSON, R. Technology, Learning, and Innovation: experiences of Newly Industrializing Economies. Cambridge University Press, chapter 7, p. 193-215, 2000. EDQUIST, C.; JOHNSON, B. Institutions and Organizations in Systems of Innovation. In: EDQUIST, C. (Ed.). Systems of Innovation: Technologies, Institutions and Organizations. London, New York: Routledge, cap. 2, p. 41-63, 2006. FINCHELSTEIN, D. The role of the State in the internationalization of Latin American firms. Journal of World Business, v. 52, n. 4, p. 578-590, 2017. HAGEDOORN, J.; DUYSTERS, G. External sources of innovative capabilities: the Preference for strategic alliances or mergers and acquisitions. Journal of Management Studies, n. 39, v. 2, p. 167-188, 2002. HASENCLEVER, L. et al. O Instituto de Patentes Pipeline e o Acesso a Medicamentos: Aspectos Econômicos e Jurídicos Deletérios à Economia da Saúde. Revista de Direito Sanitário, São Paulo, v. 11, n. 2, p. 164-188, jul./out. 2010. HASENCLEVER et al. Uma análise das políticas industriais e tecnológicas entre 2003-2014 e suas implicações para o Complexo Industrial da Saúde. In: HASENCLEVER et al. Desafios de Operação e Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde. Rio de Janeiro: E-papers, cap.3, p. 99-126, 2016. HYPERMARCAS. Relações com Investidores. Formulário de Referência 2017 – Hypermarcas S.A, 2017. JAYANTHI, B.; SIVAKUMAR, S.; HALDAR, A. Cross-border Acquisitions and Host Country Determinants: Evidence from Indian Pharmaceutical Companies. Global Business Review, v. 17,n. 3, p. 684-699, 2016. JOHANSON, J.; VAHLNE, J. The Internationalization Process of the Firm – A model of Knowledge Development and Increasing Foreign Market Commitments. Journal of International Business Studies, v. 8, n. 1, p. 23-32, 1977. JOHANSON, J.; VAHLNE, J. The mechanism of internationalization. International Marketing Review, v. 7, n. 4, 1990. KALE, D. Internationalisation strategies of Indian pharmaceutical firms. Milton Keynes, UK:ESRC Innogen Centre Development Policy and Practice, 2007. LIPSEY, R. The location and characteristics of U.S. affiliates in Asia. Cambridge, MA: National Bureau of Economic Research (NBER), Working Paper, n. 6876, jan. 1999. LUO, Y.; XUE, Q.; HAN, B. How emerging markets governments promote outward FDI: experience from China. Journal of World Business, v. 45, n. 1, p. 68-79, 2010. MARCONI; M. A.; LAKATOS; E. M. Fundamentos de metodologia científica. 7ª Ed. São Paulo: Editora Atlas, 2016. MILES, M. B.; HUBERMAN, A. M. Qualitative data analysis. London: Sage Publication, 1994. NARULA, R.; HAGEDOORN, J. Innovating through strategic alliances: moving towards international partnerships and contractual agreements. Technovation, n. 19, p. 283-294, 1999. PALMEIRA FILHO et al. O desafio do financiamento à inovação farmacêutica no Brasil: a experiência do BNDES Profarma. Revista do BNDES, Rio de Janeiro, n. 37, p. 69-90, 2012. PARANHOS, J. Interação entre Empresas e Instituições de Ciência e Tecnologia no Sistema Farmacêutico de Inovação Brasileiro: estrutura, conteúdo e dinâmica. 2010. 327 f. Tese (Doutorado) – Curso de Economia, Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010. PATTON, M. Q. Qualitative evaluation methods. Beverly Hills: Sage, 1990. PEREZ, C. A Vision for Latin America: A resource-based strategy for technological dynamism and social inclusion. Working Paper Series, Globelics, n. 4, 2008. PERIN, F. S. Trajetórias de desenvolvimento distintas: estudo sobre o padrão do Investimento Direto no Exterior do Brasil e da Coreia do Sul. 313 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Economia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis (SC), 2014. PERIN, F. S.; PARANHOS, J. A inserção internacional das empresas farmacêuticas nacionais. In: Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação – ENEI, 2, 2017, Rio de Janeiro (RJ). Anais (on-line). Disponível em https://www.proceedings.blucher.com.br/article-list/enei2017-292/list/development#articles>. Acesso em abr. 2018. PRADHAN, J. P. The determinants of outward foreign direct investment: A firm level analysis of Indian manufacturing. Oxford Development Studies, v. 32, n. 4, 2004. RAMAMURTI, R.; SINGH, J. Emerging Multionationals in Emerging Markets. NY: Cambridge University Press, 2009. RICUPERO, R.; BARRETO, F. A importância do investimento direto estrangeiro do Brasil no exterior para o desenvolvimento socioeconômico do país. In: ALMEIDA, A. (org.). Internacionalização de empresas brasileiras: perspectivas e riscos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. SANTOS, L. Políticas Públicas e Internacionalização de Empresas Brasileiras. Revista Soc. &Nat., v. 27, n. 1, p. 37-52, jan/abr 2015. SANTOS, F. M. The coevolution of firms and their knowledge environment: Insights from the pharmaceutical industry. Technological Forecasting & Social Change, n. 70, p. 687-715, 2003. SENNES, R.; MENDES, R. Políticas públicas e multinacionais brasileiras. In: A ascensão das multinacionais brasileiras: O grande salto de pesos-pesados regionais a verdadeiras multinacionais. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. STRÜCKER, A.; CYTRYNOWICZ, M. Origens e trajetórias da indústria farmacêutica no Brasil. São Paulo: Narrativa Um, 2007. URRACA-RUIZ, A.; PARANHOS, J. O desenvolvimento de competências tecnológicas no setor farmacêutico pós-TRIPS: diferenças entre Brasil, Índia e China. In: Encontro Nacional de Economia, 40., 2012, Porto de Galinhas (PE). Anais... . ANPEC, 2012. p. 1-16. YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2014.
Como citar:

Perin, Fernanda Steiner; Paranhos, Julia; "Políticas de apoio à internacionalização de empresas para a indústria farmacêutica brasileira", p. 1255-1273 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/enei2018-69

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações