Artigo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Política econômica e empresários da grande indústria: o IEDI durante os governos do PT

Economic policy and the big industrial entrepreneurs: the IEDI during the PT governments

Micussi, Pedro;

Artigo:

A presente comunicação tem como objetivo apresentar e discutir as percepções de uma parcela do grande empresário industrial nacional a respeito das políticas macroeconômicas e industriais executadas no Brasil entre 2003 e 2016, período que coincide exatamente com os governos federais do Partido dos Trabalhadores (PT). Para isso, tomamos como objeto as opiniões e avaliações dos empresários ligados ao Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (IEDI) no período em questão. A pesquisa está baseada em análise documental de entrevistas e artigos de opinião de empresários do instituto publicados na imprensa entre 2003 e 2016 e em entrevistas realizadas pelo pesquisador com o presidente, ex-presidentes e outros empresários membros do conselho do instituto.

Artigo:

This communication aims to present and discuss the perceptions of a fraction of the brazilian industrial entrepreneurs regarding the macroeconomic and industrial policies implemented in Brazil between 2003 and 2016, a period that exactly coincides with the federal governments of the Workers' Party (PT). For this, we took as object the opinions and evaluations of the entrepreneurs linked to the Institute of Studies for the Industrial Development (IEDI) in the period in question. The research is based on documentary analysis of interviews and opinion articles by the institute's businessmen published in the press between 2003 and 2016 and on interviews conducted by the researcher with the president, former presidents and other businessmen who are members of the institute's board.

Palavras-chave: Desenvolvimento econômico; Empresários; Política macroeconômica; Política industrial; Partido dos Trabalhadores,

Palavras-chave: Economic Development. Entrepeneurs; Macroeconomic policy; Industrial policy; Workers Party,

DOI: 10.5151/vi-enei-884

Referências bibliográficas
  • [1] ANDREONI, A.; TREGENNA, F. Escaping the middle-income technology trap: A comparative analysis of industrial policies in China, Brazil and South Africa. Structural Change and Economic Dynamics, v. 54, 2020, p. 324–340.
  • [2] ANDREONI, A.; TREGENNA, F. Stuck in the middle: Premature desindustrialisation and industrial policy. Center for Competition Regulation and Economic Development (CCRED), n. 11, 2018
  • [3] CASTILLO, M.; MARTINS, A. Premature deindustrialization in Latin America. ECLAC - Production Development Series, n. 205, jun. 2016
  • [4] CIMOLI, M.; CORREA, N. Trade Openess and Technological Gaps in Latin America: a Low Growth Trap. Laboratory of Economics and Management (LEM), 2002.
  • [5] COUTINHO, L. A especialização regressiva: um balanço do desempenho industrial pós-estabilização. In: VELOSO, J. P. DOS R. (Ed.). Brasil: desafios de um país em transformação. Rio de Janeiro: José Olympio, 1997. p. 82–10
  • [6] DOSI, G.; RICCIO, F.; VIRGILITO, M. Varieties of deindustrialization and patterns of diversification: why microchips are not potato chips. Structural Change and Economic Dynamics, Elsevier, vol. 57, 2021, p. 182-202.
  • [7] FERREIRA, J. D.; SCHNEIDER, M. B. As cadeias globais de valor e a inserção da indústria brasileira. Revista Tecnologia e Sociedade. Curitiba, v.11, n. 21, 2015.
  • [8] HARAGUCHI, N. Patterns of structural change and manufacturing development. In: WEISS, J.; TRIBE, M. (Ed.). Routledge Handbook of Industry and Development. Abingdon: New York: Routledge, 2016, p. 38–64.
  • [9] HAUSMANN, R. et al. What you export matters. Journal of Economic Growth, v.12, 2007, p.1-25.
  • [10] HERMIDA, C. Padrão de especialização comercial e crescimento econômico: uma análise sobre o Brasil no contexto da fragmentação da produção e das cadeias globais de valor. Tese (Doutorado em Economia), Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, 2016.
  • [11] HIRATUKA, C.; SARTI, F. Transformações na estrutura produtiva global, desindustrialização e desenvolvimento industrial no Brasil: uma contribuição para o debate. Campinas: Instituto de Economia / Unicamp, jun. 2015. (Texto para Discussão, n. 255).
  • [12] KALDOR, N. A Model of Economic Growth. Economic Journal, v. 67, 1957.
  • [13] KALDOR, N. Economic growth and the Verdoorn law: a comment of Mr. Rowthorn’s article. The Economic Journal. v. 85, 1975, p. 891-896.
  • [14] KALDOR, N. Strategic factors in economic development. New York. Cornell University, 1967
  • [15] LAMONICA, M. T.; FEIJO, C. A. Crescimento e industrialização no Brasil: uma interpretação à luz das propostas de Kaldor. Revista Economia Política, São Paulo, v. 31, n. 1, 2011, p. 118-138.
  • [16] LIBANIO, G.; MORO, S. Manufacturing industry and economic growth in Latin America: A Kaldorian Approach. Foz do Iguaçu: Anais do XXXVII Encontro Nacional de Economia da ANPEC. 2009.
  • [17] MAGACHO, G. R. Growth and Stagnation in Developing Economies: a Structural Approach. Teste (Doutorado em Filosofia) – University of Cambridge, 2015.
  • [18] MAIA, B. A. A. Há desindustrialização no Brasil? Um estudo da abordagem clássica e de análises alternativas entre 1998 e 2014. Economia e Sociedade, Campinas, v. 29, n. 2, 2020, p. 549-579.
  • [19] MARCATO, M. B.; ULTREMARE, F. O. Produção industrial e vazamento de demanda para o exterior: uma análise da economia brasileira. Economia e Sociedade, v. 27, n. 2, 2018.
  • [20] MARCATO, M. Integração comercial em uma estrutura de produção verticalmente fragmentada: teoria, métricas e efeitos. Tese (Doutorado em Economia) – Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas, 2018.
  • [21] MARCATO, M.; BALTAR, C; SARTI, F. International competitiveness in a vertically fragmented production structure: empirical challenges and evidence. Economics Bulletin, AccessEcon, vol. 39(2), p. 876-893, 2019.
  • [22] MARCATO, M. B.; BALTAR, C. T. Upgrading econômico: conceitos e medidas. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, v. 19, p. 1-25, 2020.
  • [23] MARCONI, N.; ROCHA, M. Insumos importados e evolução do setor manufatureiro no Brasil. Brasília: IPEA, 2012. (Texto para Discussão, n. 1780).
  • [24] MARCONI, N., REIS, C. F. de B., ARAÚJO, E. C. Manufacturing and economic development: The actuality of Kaldor’s first and second laws. Structural Change and Economic Dynamics, v. 37, p. 75-89, 2016.
  • [25] MONTANHA, R. A. Análise comparativa das mudanças no coeficiente de importação: Brasil, China e Principais Blocos Econômicos no período 1995 – 2014. Tese (Doutorado em Economia) – Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.
  • [26] MORCEIRO, P. C. Desindustrialização na economia brasileira no período 2000-2011: abordagens e indicadores. Dissertação (Mestrado em Economia) –Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras, Campus de Araraquara, Araraquara, 2012.
  • [27] MORCEIRO, P. C.; GUILHOTO, J. J. M. Desindustrialização setorial e estagnação de longo prazo da manufatura brasileira. São Paulo: Department of Economics, FEA-USP, 2019. (Working Paper Series, n. 2019-01).
  • [28] MORCEIRO, P. C.; GUILHOTO, J. J. M. Adensamento produtivo e esgarçamento do tecido industrial brasileiro. Economia e Sociedade, Campinas, v. 29, n. 3, p. 835-860, 2020.
  • [29] NASSIF, A. Há evidências de desindustrialização no Brasil?. Revista Economia Política, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 72-96, 2008.
  • [30] NASSIF, A. et al. Mudança estrutural e crescimento da produtividade no Brasil: onde estamos?. Revista de Economia Política, v. 40, n. 2, p. 243-263, 2020.
  • [31] OECD. Guide to OECD’s Trade in Value Added Indicators 2021 Edition. Paris: OECD Publications, 2021.
  • [32] OREIRO, J. L.; FEIJÓ, C. Desindustrialização: conceituação, causa, efeitos e o caso brasileiro. Revista de Economia Política, 2010.
  • [33] PACCOLA, M. A. Política econômica e trajetória da indústria no Brasil: Das origens à crise atual. Teste (Mestrado em Ciências Sociais) Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, São Paulo, 2014.
  • [34] PALMA, J. G. Deindustrialisation, premature deindustrialisation, and the Dutch disease. In: Blume, L.E; S.N. Durlauf (eds.), The New Palgrave: A Dictionary of Economics, 2nd edition, Basingstoke: Palgrave Macmillan, pp. 401‐410, 2008.
  • [35] PASSONI, PATIEENE. Deindustrialization and Regressive Specialization in the Brazilian economy between 2000 and 2014: a critical assessment based on the input-output analysis. Tese (Doutorado em Economia) Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.
  • [36] PERES, S. C.; ARAÚJO, E; ARAÚJO, E.; PUNZO, L. Uma investigação sobre determinantes da desindustrialização: teorias e evidências para os países desenvolvidos e em desenvolvimento (1970-2015). In: Anais do Encontro Internacional da Associação Keynesiana Brasileira “Desafios para a Economia Brasileira: uma perspectiva keynesiana”, Porto Alegre (RS), Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2018.
  • [37] REIS, C.F.B.; ALMEIDA, J. S. G. A inserção do Brasil nas cadeias globais de valor comparativamente aos BRIICS. Campinas: Instituto de Economia, UNICAMP, 2014 (Textos para discussão).
  • [38] ROCHA, I. L. Manufacturing as Driver of Economic Growth. PSL Quarterly Review v. 71 n. 285, jun. 2018.
  • [39] RODRIK, D. (2013), “Unconditional Convergence in Manufacturing,” Quarterly Journal of Economics, 128 (1), p. 165‐204, 2013.
  • [40] RODRIK, D. Premature deindustrialization. Journal of Economic Growth, v. 21, n.1, p. 1-33, 2016.
  • [41] ROWTHORN, R.; RAMASWAMY, R. Growth, trade, and deindustrialization. IMF Staff Papers 46(1). Washington, DC: International Monetary Fund, 1999.
  • [42] ROWTHORN, R.; RAMASWAMY, R. Deindustrialisation: causes and implications. International Monetary Fund (IMF), 1997. (IMF Working Paper n° 97/42)
  • [43] SAMPAIO, D. P. Economia brasileira no início do século XXI: desaceleração, crise e desindustrialização (2000-2017). Semestre Econômico, v. 22, n. 50, p. 107-128, 2019.
  • [44] SILVA, M. E. L. Dinâmica da Indústria Brasileira no período 2002-2017: Uma estimação da Lei Kaldor-Verdoorn. Dissertação (Mestrado em Economia) –Universidade Federal do Rio Grande, 2018.
  • [45] SINGH, A. Manufacturing and de-industrialization. In: EATWELL, J. et al. (org.), The New Palgrave: a dictionary of economics. London: Mac-millan, 1987. v.3.
  • [46] SOUZA, I. E. L.; VERISSIMO, M. P. Produção e emprego industrial nos estados brasileiros: evidências de desindustrialização. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 29, n. 1, p. 75-101, 2019
  • [47] SU, D.; YAO, Y. Manufacturing as the key engine of economic growth for middle-income economies. Journal of the Asia Pacific Economy, v.22, n. 1, p. 47-70, 2017.
  • [48] TORRACCA, J.F Coevolução das Estruturas de Produção e Comércio Exterior da Indústria Brasileira: Convergência ou Desarticulação? Tese (Doutorado em Economia) – Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2017.
  • [49] TREGENNA, F. A new theoretical analysis of deindustrialization. Cambridge Journal of Economics, v.38, n. 6, p. 1373-1390, 2014.
  • [50] TREGENNA, F. Characterising deindustrialisation: an analysis of changes in manufacturing employment and output internationally. Cambridge Journal of Economics, v.33, p.433-66, 2008
  • [51] TREGENNA, F. Deindustrialization and premature deindustrialization. In: Handbook of Alternative Theories of Economic Development, Edward Elgar Publishing, 2016, p. 710-728.
  • [52] VERGNHANINI, R. O debate sobre a mudança estrutural da economia brasileira nos anos 2000. Dissertação (Mestrado em Economia) –Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2013
  • [53] WEISS, J.; JALILIAN, H. 2016. Manufacturing as an Engine of Growth. In: J.Weiss and M. Tribe (org.), Routledge Handbook of Industry and Development. New York: Routledge, p. 26-37.
Como citar:

Micussi, Pedro; "Política econômica e empresários da grande indústria: o IEDI durante os governos do PT", p. 1220-1241 . In: Anais do VI Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação (ENEI): “Indústria e pesquisa para Inovação: novos desafios ao desenvolvimento sustentável”. São Paulo: Blucher, 2022.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/vi-enei-884

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações