Pôster - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

PERFIL DA SEPSE PEDIÁTRICA EM UM HOSPITAL PRIVADO DE SÃO PAULO

PERFIL DA SEPSE PEDIÁTRICA EM UM HOSPITAL PRIVADO DE SÃO PAULO

Bertrand, Regina Ruivo ; Brites, Deborah De Campos Rosa; Cesar, Regina Grigolli ;

Pôster:

Justificativa

Sepse acomete mais de 4% dos pacientes pediátricos hospitalizados, com mortalidade de 4% a 50% dependendo da gravidade, fatores de risco e localização geográfica. Reconhecimento rápido e terapêutica precoce, aqui citados como "pacote de 1ª hora", melhoram o prognóstico. 

Objetivo(s)

Descrever o perfil da sepse em pacientes internados no Sabará Hospital Infantil.

Método(s)

Análise retrospectiva de registros em banco de dados eletrônico de sepse sobre idade, gênero, local onde foi diagnosticada sepse em seus diferentes graus (sepse, sepse grave, choque séptico), adesão ao "pacote de 1ª hora" e desfecho (alta; transferência; óbito) de pacientes internados com suspeita de sepse no período de jan/2018 a set/2020. CAAE: 36404620.4.3002.5567 

Resultado(s)

Totalizando 626 pacientes, lactentes (54,3%), pré-escolares (31,9%), escolares (11,5%) e adolescentes (2,2%), 54,2% do sexo masculino, foram diagnosticados com alguma forma de sepse, 75,2% na emergência, 80,4% demandando cuidados intensivos por sepse grave/sepse com disfunção (67,9%) ou choque séptico (12,5%). A adesão ao "pacote completo de 1ª hora" foi de 63,1%. Óbito ocorreu em 18 (2,9%) casos de sepse grave ou choque séptico, 10 entre os que aderiram ao pacote de 1ª hora.

Conclusão(ões)

Os casos se concentraram em lactentes e pré-escolares do sexo masculino. Protocolos de sepse geralmente foram abertos na unidade de emergência, com baixa taxa de adesão. A taxa de óbitos (2,9%) foi abaixo da expectativa conforme a literatura e pode estar inflacionada na medida que casos de cuidados paliativos não puderam ser excluídos com base no banco de dados disponível.

Pôster:

Justificativa

Sepse acomete mais de 4% dos pacientes pediátricos hospitalizados, com mortalidade de 4% a 50% dependendo da gravidade, fatores de risco e localização geográfica. Reconhecimento rápido e terapêutica precoce, aqui citados como "pacote de 1ª hora", melhoram o prognóstico. 

Objetivo(s)

Descrever o perfil da sepse em pacientes internados no Sabará Hospital Infantil.

Método(s)

Análise retrospectiva de registros em banco de dados eletrônico de sepse sobre idade, gênero, local onde foi diagnosticada sepse em seus diferentes graus (sepse, sepse grave, choque séptico), adesão ao "pacote de 1ª hora" e desfecho (alta; transferência; óbito) de pacientes internados com suspeita de sepse no período de jan/2018 a set/2020. CAAE: 36404620.4.3002.5567 

Resultado(s)

Totalizando 626 pacientes, lactentes (54,3%), pré-escolares (31,9%), escolares (11,5%) e adolescentes (2,2%), 54,2% do sexo masculino, foram diagnosticados com alguma forma de sepse, 75,2% na emergência, 80,4% demandando cuidados intensivos por sepse grave/sepse com disfunção (67,9%) ou choque séptico (12,5%). A adesão ao "pacote completo de 1ª hora" foi de 63,1%. Óbito ocorreu em 18 (2,9%) casos de sepse grave ou choque séptico, 10 entre os que aderiram ao pacote de 1ª hora.

Conclusão(ões)

Os casos se concentraram em lactentes e pré-escolares do sexo masculino. Protocolos de sepse geralmente foram abertos na unidade de emergência, com baixa taxa de adesão. A taxa de óbitos (2,9%) foi abaixo da expectativa conforme a literatura e pode estar inflacionada na medida que casos de cuidados paliativos não puderam ser excluídos com base no banco de dados disponível.

Palavras-chave: -,

Palavras-chave: -,

DOI: 10.5151/sabara2020-33

Referências bibliográficas
  • [1] -
Como citar:

Bertrand, Regina Ruivo ; Brites, Deborah De Campos Rosa; Cesar, Regina Grigolli ; "PERFIL DA SEPSE PEDIÁTRICA EM UM HOSPITAL PRIVADO DE SÃO PAULO", p. 33 . In: Anais do 5º Congresso Internacional Sabará de Saúde Infantil. São Paulo: Blucher, 2020.
ISSN 2357-7282, DOI 10.5151/sabara2020-33

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações