Artigo completo - Open Access.

Idioma principal

PARTICIPAÇÃO DOS PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO NAS CADEIAS GLOBAIS DE VALOR E DEPENDÊNCIA TECNOLÓGICA – UMA ANÁLISE EMPÍRICA DE COMÉRCIO E DE RENDA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL

Corrêa, Ludmila Macedo; Pinto, Eduardo Costa; Castilho, Marta dos Reis;

Artigo completo:

Este artigo visa analisar se a participação dos países em desenvolvimento nas Cadeias Globais de Valor (CGV) foi acompanhada de maior dependência tecnológica via renda de pagamento pelo uso de propriedade tecnológica, e se existem padrões de especialização nas cadeias específicos em que isso seja amenizado. A análise foi feita com 41 países entre 1995 e 2011, utilizando-se cinco indicadores que captaram características inerentes ao processo. Diante da quantidade de informação, utilizou-se a técnica de clusters, permitindo identificar que independente do padrão de especialização, a maior participação dos países nas cadeias foi acompanhada de maior dependência tecnológica dos países em desenvolvimento em relação aos países desenvolvidos. Esse resultado converge com a discussão referente à propagação das CGV simultaneamente à consolidação de uma institucionalidade internacional de proteção a propriedade intelectual, que ao ampliar as posições monopolistas das grandes corporações, sediadas geralmente nos países desenvolvidos, acentua as assimetrias tecnológicas existentes entre os países.

Artigo completo:

Palavras-chave: Cadeias Globais de Valor, upgrading, pagamento pelo uso de propriedade intelectual, análise de cluster,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/iv-enei-2019-2.2-056

Referências bibliográficas
  • [1] AGUIAR de MEDEIROS, C., & TREBAT, N.(2017). Inequality and Income Distribution in Global Value Chains. Journal of Economic Issues,51(2), 401–408.
  • [2] BALDWIN, R (2012). Global Supply Chains: Why they Emerged, Why they Matters, and Where They Are Going. Fung Global Institute, Working Paper 2012-01.
  • [3] BANGA, R (2013). Measuring value in global value chains.Unit of Economic Cooperation and Integration amongst Developing Countries (ECIDC) – UNCTAD Background paper n. RVC-8.
  • [4] CARLOTTO, M. C.; PINTO, J. P. G. (2015). A divisão internacional do trabalho no século XXI: um estudo sobre o peso da propriedade intelectual na relação EUA –América Latina. Carta Internacional, v.10, p. 94-113.
  • [5] CORRÊA, L. M. (2016). Trajetórias dos países em desenvolvimento nas cadeias globais de valor: upgrading, estágio produtivo e mudança estrutural. Tese (doutorado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Economia, 2016.
  • [6] CORRÊA, L. M.; PINTO, E. C.; CASTILHO (2019), M.R. Mapeamento dos padrões de atuação dos países nas Cadeias Globais de Valor e os ganhos em termos de mudança estrutural. Econ. soc., Campinas, v. 28, n. 1, p. 89-122, abr.2019.
  • [7] DURAND, C; MILBERG, W. (2018) Intellectual Monopoly in Global Value Chains. Working Papers 1807, New School for Social Research, Department of Economics. https://ideas.repec.org/p/new/wpaper/180html
  • [8] ERNEST, D. and L. KIM, “Global production networks, knowledge diffusion and local capability formation”, Research Policy, 34, 1417-1429, 2002.
  • [9] HUMPHREY, J., SCHMITZ, H. How does insertion in global value chains affect upgrading in industrial clusters?, Regional Studies, 36:1017–1027, 2002.
  • [10] JOHNSON, R. e D. WICHERN (2007).Applied Multivariate Statistical Analysis.Editora Pearson, New Jersey, 2007.
  • [11] JOHNSON, R. C., & NOGUERA, G. (2012). Accounting for intermediates: production sharing and trade in value added. Journal of international Economics, 86(2):224–236.
  • [12] KOOPMAN, R.; WANG, Z.; WEI, S. How much of Chinese export is really made in China? Assessing domestic value-added when processing trade is pervasive. Washington: NBER, Mar. 2008. (Working Paper, n. 14.109).
  • [13] KUPFER, D. & HASENCLEVER, L.(2002). Economia Industrial. Editora Campus.
  • [14] MEMEDOVIC, O. e L. IAPADRE. “Structural Change in the World Economy: Main Features and Change”, UNIDO, Research and Statistics Branch, Working Paper no. 24/2009.
  • [15] MILBERG, W. e D. WINKLER. Outsourcing Economics: global value chains in capitalist development. New York. Cambridge University Press, 2013.
  • [16] MIRANDA,P.C. A internacionalização das atividades tecnológicas e inserção dos países em desenvolvimento: uma análise baseada em dados de patentes.Tese de Doutorado- UNICAMP, 2014.
  • [17] PAGANOS, U.(2014). The crisis of intellectual monopoly capitalism. Cambridge Journal of Economics, 38(6),1409–1429.
  • [18] PINTO, E. C., FIANE, R. e CORRÊA, L. M. Dimensões da abordagem da Cadeia Global de Valor: Upgrading, Governança, Políticas Governamentais e Propriedade Intelectual. Brasília: IPEA, 2015. Texto para Discussão, no. 2155.
  • [19] SARTI, F. e C. HIRATUKA, (Coords.). Perspectivas do investimento na indústria. Rio de Janeiro: Synergia:UFRJ,Instituto de Economia;Campinas: UNICAMP, Instituto de Economia, 2010.
  • [20] SMICHOWSKI, B., DURAND, C., KNAUSS, S.(2018). Participation in global value chains and varieties of development patterns.
  • [21] STURGEON, T. & G. GEREFFI (2009), Measuring Success in the Global Economy: International Trade, Industrial Upgrading, and Business Function Outsourcing in Global Value Chains, Transitional Corporations, Vol. 18, no. 2, pp. 1-36.
  • [22] STURGEON, T.& O. MEMEDOVIC. Mapping Global Value Chains: Intermediate Goods Trade and Structural Change in the World Economy. Development Policy and Strategic Research Branch Working Paper 05/2010. Vienna: UNIDO.
  • [23] TAGLIONI, D. & WINKLER, D.(2016) Making Global Value Chains Work for Development. Washington D.C.: The World Bank
  • [24] UNCTAD (2013) – WIR13. World Investment Report 2013: Global Value Chains: Investiment and Trade for development. New York and Geneva: United Nations.
  • [25] UNIDO, 2013. Industrial Development Report 2013: Sustaining Employment Growth: The Role of Manufacturing and Structural Change. Viena
Como citar:

Corrêa, Ludmila Macedo; Pinto, Eduardo Costa; Castilho, Marta dos Reis; "PARTICIPAÇÃO DOS PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO NAS CADEIAS GLOBAIS DE VALOR E DEPENDÊNCIA TECNOLÓGICA – UMA ANÁLISE EMPÍRICA DE COMÉRCIO E DE RENDA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL", p. 430-450 . In: Anais do IV Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/iv-enei-2019-2.2-056

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações