Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

PANORAMA DE INOVAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS FARMOQUÍMICAS E FARMACÊUTICAS, ENTRE 2006 E 2014

BARROS, Mariana de Camargo;

Artigo Completo:

Este artigo tem como objetivo analisar o panorama de inovação das empresas brasileiras do setor farmoquímico e farmacêutico, no período de 2006 a 2014. Esta análise é de extrema relevância para o país, uma vez que a defasagem tecnológica do setor, além de ser um problema para a competitividade e o desenvolvimento econômico nacional, corrobora para agravar os problemas de saúde pública que vivenciamos. A metodologia utilizada foi a análise exploratória e descritiva de dados secundários gerados a partir das três últimas edições da Pintec – Pesquisa de Inovação (IBGE): 2008, 2011 e 2014. Foram analisadas as seguintes variáveis: (1) tipo de inovação, (2) grau de inovação, (3) dispêndios em atividades inovativas e de P&D, (4) número de pessoas ocupadas em P&D, (5) cooperação para inovar e (6) fontes de financiamento para inovação. Os resultados observados apontam que apesar do incremento em valores absolutos dos investimentos e dos recursos humanos empregados em P&D, a taxa de inovação do setor diminuiu. Vale ressaltar que o período analisado foi marcado pela crise econômica de 2008 e a estagnação da economia nos anos subsequentes, fatores que podem ter contribuído para a redução dos esforços inovativos.

Artigo Completo:

This article aims to analyze the innovation landscape of the Brazilian pharmaceutical and pharmacochemical industries, from 2006 to 2014. This analysis is extremely relevant for the country, since the technological gap of the sector, besides being a problem for competitiveness and national economic development, corroborates to aggravate the public health problems we are experiencing. The methodology used was the exploratory and descriptive analysis of secondary data generated from the last three editions of Pintec - Pesquisa de Inovação / IBGE: 2008, 2011 and 2014. The following variables were analyzed: (1) type of innovation, (2) degree of innovation, (3) expenditures on innovative and R&D activities, (4) number of people engaged in R&D, (5) innovation in cooperation and (6) sources of funding. The observed results indicate that despite the increase in the absolute values of investments and human resources employed in R&D activities, the innovation rate of the sector has decreased. It should be noted that the period analyzed was marked by the economic crisis of 2008 and the economy stagnation in subsequent years, factors that may have contributed to the reduction of the innovative efforts.

Palavras-chave: inovação, P&D, setor farmoquímico e farmacêutico, Brasil,

Palavras-chave: innovation, R&D, pharmaceutical and pharmacochemical sector, Brazil,

DOI: 10.5151/enei2017-36

Referências bibliográficas
  • [1] ANVISA – AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Glossário de definições legais. 2013. Disponível em: Acesso em: 07 de junho de 2017.
  • [2] AVELAR, A.P; BITTENCOURT, P. Política de Inovação: Instrumentos e Avaliação, em Rapini, MS; Silva, L.; Albuquerquer, E.M. (org). ECONOMIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO. Fundamentos teóricos e a economia global. 1.ed. Curitiba: Editora Prismas, Cap. 15, p. 596, 2017.
  • [3] BARREIRO, E. J.; FRAGA, C. A. M. A questão da inovação em fármacos no brasil: proposta de criação do programa nacional de fármacos (PRONFAR). 2005. Quim. Nova, Vol. 28, Suplemento, S56-S63, 2005.
  • [4] BASTOS, V. D. Inovação Farmacêutica: Padrão Setorial e Perspectivas para o Caso Brasileiro. 2005. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 22, p. 271-296, set. 2005.
  • [5] CALIXTO, J. B.; SIQUEIRA JUNIOR, J. M. Desenvolvimento de medicamentos no Brasil: desafios. 2008. Gazeta Médica da Bahia, v. 78, n. 1, p. 98-106. Disponível em: . Acesso em: 25 de março de 2017.
  • [6] CAPANEMA, L.X.L.; PALMEIRA FILHO, P.L. Indústria farmacêutica brasileira: reflexões sobre estrutura e potencial de investimentos. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, p. 165-206, 2007.
  • [7] COHEN, W. e LEVINTHAL, D. Innovation and learning: the two faces of R&D. The Economic Journal, v. 99, pp. 569-596, Sep. 1989.
  • [8] EFPIA – EUROPEAN FEDERATION OF PHARMACEUTICAL INDUSTRIES AND ASSOCIATION. The Pharmaceutical Industry in Figures. Key Data, 2016.
  • [9] IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa de inovação tecnológica: 2008. IBGE, Coordenação de Indústria. Rio de Janeiro. 2010. Disponível em: Acesso em: 25 de janeiro de 2017.
  • [10] IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa de inovação: 2011. IBGE, Coordenação de Indústria. Rio de Janeiro. 2013. Disponível em: Acesso em: 25 de janeiro de 2017.
  • [11] IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa de inovação: 2014. IBGE, Coordenação de Indústria. Rio de Janeiro. 2016. Disponível em: < http://www.pintec.ibge.gov.br/downloads/PUBLICACAO/PUBLICA%C3%87%C3%83O%20PINTEC%202014.pdf> Acesso em: 25 de janeiro de 2017.
  • [12] INTERFARMA – ASSOCIAÇÃO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA DE PESQUISA. Balanço das Políticas Industriais para o Setor Farmacêutico. Interdoc Volume III. São Paulo, junho 20
  • [13] JANNUZZI, Anna Haydée Lanzillotti. Proteção patentária de medicamentos no Brasil: avaliação dos depósitos de patente de invenção sob a vigência da nova lei de propriedade industrial. 2007. Dissertação (Mestrado em Tecnologia). Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow de Fonseca, 2007.
  • [14] OCDE – ORGANIZAÇÃO DE COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICOS. Oslo Manual - Guidelines for Collection and interpreting innovation 3rd Editions. OECD Publications Paris. 2005.
  • [15] PALMEIRA FILHO, P.L; PAN, S.S.K. Cadeia Farmacêutica no Brasil: avaliação preliminar e perspectivas. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 18, p 3-22. 2003.
  • [16] PARANHOS, J.; HASENCLEVER, L. Alteração no padrão de esforços de inovação das grandes empresas farmacêuticas no Brasil, 2008-2011. I Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação (ENEI). 20
  • [17] Portal BNDES, Inovação. Disponível em: . Acesso em: 01 de abril de 20
  • [18] Portal CNPQ, RHAE. Disponível em: . Acesso em: 10 de abril de 2017.
  • [19] Portal da Indústria, Conheça o Inova. Disponível em: < http://www.portaldaindustria.com.br/inovatalentos/conheca-o-inova/>. Acesso em: 10 de abril de 2017.
  • [20] Portal Finep, Apoio e Financiamento. Disponível em: . Acesso em: 01 de abril de 2017.
  • [21] SANTORO, F. M. Innovación y sendero evolutivo em la indústria farmacêutica: los casos de Argentina y España. Caderno de Gestão Tecnológica, n. 48. São Paulo: CYTED-PGT/USP. 2000.
  • [22] VIEIRA, V.M. da M. & OHAYON, P. Inovação em fármacos e medicamentos: estado-da-arte no Brasil e políticas de P&D. 2006. Disponível em: . Acesso em: 04 de março de 2017.
Como citar:

BARROS, Mariana de Camargo; "PANORAMA DE INOVAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS FARMOQUÍMICAS E FARMACÊUTICAS, ENTRE 2006 E 2014", p. 643-658 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/enei2017-36

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações