Artigo completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

O Recife da Cidade: representações de uma paisagem fundacional em artefatos gráficos do acervo cartográfico do Museu da Cidade do Recife

The ‘recife’ (reef) of the city: representations of a founding landscape in graphic artefacts from the cartographic collection at the Museum of the City of Recife

Rodrigues, Josivan; Coutinho, Solange;

Artigo completo:

Este artigo investiga as representações gráficas do acidente geográfico que dá nome à cidade do Recife, Pernambuco/Brasil, presentes no acervo do Museu da Cidade do Recife - MCR. O vocábulo arrecife, sinônimo para recife, tem sua origem etimológica no termo árabe “ár-racif”, que significa calçada sobre as águas, caminho, cais, molhe. O ancoradouro natural definido pelos arrecifes converte o "Recife dos Navios" em uma nova centralidade a partir das atividades portuárias, trazendo o desenvolvimento para o minúsculo povoado que se tornaria capital da província no século XIX. Considerando a paisagem dos arrecifes enquanto elemento fundacional da cidade (Gonçalves et al., 2017), no que pesa sua importância para o estabelecimento e desenvolvimento da urbe, buscou-se entender os aspectos materiais e simbólicos desta estrutura híbrida, formada pela natureza e modelada pela ação humana, para analisar suas representações visuais no corpus documental Cartografia, composto por artefatos gráficos que mostram a evolução da cidade, do fazer cartográfico e da produção gráfica, ao passo em que apresentam as mudanças na feição do acidente geográfico e em suas representações. A análise se deteve em maior profundidade no subconjunto de Mapas e Cartas, a partir de quatro espécimes representativos de plantas da cidade, produzidas entre os séculos XVII e XX.

Artigo completo:

This paper investigates graphic representations of the geographical accident that has given its name to the city of Recife, in Pernambuco, Brazil, found in the collection of the Museum of the City of Recife - MCR. The Portuguese - word arrecife, meaning ‘reef’, originates from the Arabic term “ár-racif”, which signifies paved on the water, a pathway, a pier, a jetty. The natural anchorage defined by the reefs converted the “Recife of Ships” into a new centrality because of its port activities, thereby bringing development to the tiny settlement, which was to become the provincial capital in the nineteenth century. By considering this landscape of reefs as the founding element of the city (Gonçalves et al., 2017), in what is deemed important for the establishment and development of the city, we have sought to understand the material and symbolic aspects of this hybrid structure, formed by nature and modelled by human action, so as to analyse their visual representations in the corpus of cartographic documentation, composed of graphic artefacts that show the evolution of the city, from the cartographic and graphic production, to presenting the changes resulting from the geographical accident and its representations. The focus of the analysis was aimed towards a subset of maps and charts, from four representative specimens of the city plans, produced between the seventeenth and twentieth centuries.

Palavras-chave: representações visuais, artefatos gráficos, imagem do Recife, paisagem, cartografia,

Palavras-chave: visual representations; graphic artefacts; image of Recife; landscape; cartography,

DOI: 10.5151/9cidi-congic-5.0190

Referências bibliográficas
  • [1] Barreto, A. M. F., Assis, H. M. B., Bezerra, F. H. R., & Suguio, K. (2010). Arrecifes, a Calçada do Mar de Recife, PE - Importante registro holocênico de nível relativo do mar acima do atual. In: Winge, M.; Schobbenhaus, C.; Souza, D. R. G.; Fernandes, A. C. S.; Berbert-Born, M.; Sallun, Filho, W.; & Queiroz, E. T. (Eds.) Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. Publicado na Internet em 27/10/2010 no endereço http://www.unb.br/ig/sigep/sitio040/sitio040.pdf
  • [2] Branner, J. C. (1904). The stone reefs of Brazil their geological and geographical relations with a chapter on the coral reefs. Museum of Comparative Zoology, Bull., Harvard College, Cambridge, v.44 (geol.ser.n.7).
  • [3] Castro, J. de. (1959, [2013]). Um ensaio de geografia urbana: a cidade do Recife (edição alusiva aos 40 anos de falecimento do autor). Recife: Editora Massangana.
  • [4] Da Silva, V. P. (2007). Paisagem: concepções, aspectos morfológicos e significados. Sociedade & Natureza, 19(1), junho, 2007, pp. 199-215: [Data de consulta: 12 de fevereiro de 2019] Disponível em: ISSN 0103-1570
  • [5] Fonseca, H. (2009). Pernambucânia: o que há nos nomes das nossas cidades. Recife: Cepe Editora, 2a Ed.
  • [6] Gonçalves, F. C., Cardoso, F., Mendes, L., Carneiro, A. R., & Veras, L. M. (2017). Onde o mar se arrebenta nasce uma paisagem: Recife, a Calçada do Mar. Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Arquitetura E Urbanismo Da FAUUSP. São Paulo, 24(43), pp. 144-160. Disponível em:
  • [7] Maior, M. S., & Silva, L. D. (1992). O Recife: quatro séculos de sua paisagem. Recife: Editora Massangana.
  • [8] Meneses, U. T. B. de. (2002). A paisagem como fato cultural. In: YÁZIGI, Eduardo (Org.). Turismo e paisagem. São Paulo: Editora Contexto, pp. 29-64.
Como citar:

Rodrigues, Josivan; Coutinho, Solange; "O Recife da Cidade: representações de uma paisagem fundacional em artefatos gráficos do acervo cartográfico do Museu da Cidade do Recife", p. 2265-2280 . In: Anais do 9º CIDI | Congresso Internacional de Design da Informação, edição 2019 e do 9º CONGIC | Congresso Nacional de Iniciação Científica em Design da Informação. São Paulo: Blucher, 2019.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/9cidi-congic-5.0190

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações