Artigo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

O Plano Inova Empresa foi uma Missão? Uma análise de conteúdo sobre a visão dos policemakers

Was the Inova Empresa Plan a Mission? A Content Analysis about policemakers vision

Lucena, Rodrigo Milano de;

Artigo:

O objetivo deste trabalho é analisar o Plano Inova Empresa no âmbito de políticas orientadas à missão. Para isso, foi utilizada a análise de conteúdo sob as transcrições de entrevistas semiestruturadas realizadas com coordenadores do Plano. Os resultados obtidos apresentaram que mesmo o Plano Inova Empresa sendo considerado um grande esforço de política industrial e de inovação brasileiro, com formas pioneiras organização para a liberação de recursos através de análise de Planos de Negócio, os editais não foram construídos sob objetivos de missões que poderiam transformar a economia brasileira e nem tiveram o objetivo de mudar a estrutura econômica, tornando-se apenas mais um esforço de política industrial sistêmico não se enquadrando perfeitamente no arcabouço de Política Orientada a Missão.

Artigo:

The aim of this work is to analyze the Inova Empresa Plan within the scope of mission-oriented policies. For this, content analysis was used under the transcripts of semi-structured interviews carried out with the Plan's coordinators. The results obtained have showed that even the Inova Empresa Plan being considered a great effort of industrial policy and Brazilian innovation, with pioneering ways of organizing for the release of resources through the analysis of Business Plans, the public notices were not built under mission objectives that could transform the Brazilian economy and did not even have the objective of changing the economic structure, becoming just another systemic industrial policy effort that does not fit perfectly into the Mission Oriented Policy framework.

Palavras-chave: Plano Inova Empresa; Política Industrial; Políticas Orientadas à Missão,

Palavras-chave: Inova Empresa Plan; Industrial Policy; Mission Oriented Policies,

DOI: 10.5151/vi-enei-844

Referências bibliográficas
  • [1] ALBAREDA, Alexandra P. Avaliação da economicidade e vantajosidade da política pública das parcerias para o desenvolvimento produtivo. 2020. Dissertação (Mestrado em Planejamento e Governança Pública) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2020.
  • [2] ALBAREDA, Alexandra P.; TORRES, Ricardo L. O fortalecimento do segmento de base química e biotecnológica do Complexo Industrial da Saúde por meio das Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo. Economia Ensaios, Uberlândia, v. 33, n. esp., p. 74-93, 2019.
  • [3] ALBUQUERQUE, Eduardo da Motta e. Sistema nacional de inovação no Brasil: uma análise introdutória a partir de dados disponíveis sobre a ciência e a tecnologia. Revista de Economia Política, vol. 16, nº 3, julho-setembro/1996. Disponível em: https://centrodeeconomiapolitica.org/repojs/index.php/journal/article/view/1211. Acesso em: 18/02/2022.
  • [4] ALMEIDA, Águida Cristina Santos Análise dos efeitos das parcerias para o desenvolvimento produtivo nos laboratórios farmacêuticos oficiais. 2018. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Economia, Programa de Pós-Graduação em Economia da Indústria e da Tecnologia, 2018.
  • [5] ARAGÃO, Erika Santos; FUNCIA, Francisco Rózsa. Austeridade fiscal e seus efeitos no Complexo Econômico-Industrial da Saúde no contexto da pandemia da COVID-19. Cadernos de Saúde Pública, nº 9, 2021. Disponível em: http://cadernos.ensp.fiocruz.br/csp/artigo/1500/austeridade-fiscal-e-seus-efeitos-no-complexo-economico-industrial-da-saude-no-contexto-da-pandemia-da-covid-19. Acesso em: 25/01/2022.
  • [6] BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Supremo Tribunal Federal, Secretaria de Documentação, 1988.
  • [7] BRASIL. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8080.htm. Acesso em: 17/02/2022.
  • [8] Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 3.916, de 30 de outubro de 199 Política nacional de medicamentos. Ministério da Saúde. Brasília, 199
  • [9] BRASIL. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Diretrizes de Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior. Brasília, 2003. Disponível em: http://www.anped11.uerj.br/diretrizes.pdf. Acesso em: 17/02/2022.
  • [10] Brasil. Ministério da Saúde. Fundação Oswaldo Cruz. Programa Farmácia Popular do Brasil: manual básico. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2005. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/PROGRAMA_FARMACIA_POPULAR.pdf. Acesso em: 08/04/2022.
  • [11] BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 837, de 18 de abril de 2012. Define as diretrizes e os critérios para o estabelecimento das parcerias para o desenvolvimento produtivo (PDP). Brasília, 2012a. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt0837_18_04_2012.html. Acesso em: 15/02/2022.
  • [12] BRASIL. Ministério da saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2012b. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf. Acesso em: 03/04/2022.
  • [13] BRASIL. Secretaria Geral. Decreto nº 10.246, de 18 de fevereiro de 2020. Institui o Programa Brasil Mais e dispõe sobre o Comitê de Orientação Estratégica do Programa Brasil Mais. Brasília, 2020. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/decreto-n-10.246-de-18-de-fevereiro-de-2020-244044484. Acesso em 26/02/2022.
  • [14] CEPAL. Las restricciones a la exportación de productos médicos dificultan los esfuerzos por contener la enfermedad por coronavirus (COVID-19) en América Latina y el Caribe. Informes COVID-19. 2020.
  • [15]
  • [16] COSTA, Laís Silveira; GADELHA, Carlos Augusto Grabois; MALDONADO, José. A perspectiva territorial da inovação em saúde: a necessidade de um novo enfoque. Rev Saúde Pública 2012;46(Supl):59-67. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rsp/a/NdXXfy7t7PZnkX5kpXCMN6q/?lang=pt. Acesso em: 06/02/2022.
  • [17]
  • [18] DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS (DIEESE). Considerações sobre o Plano Brasil Maior. Agosto/2011. Disponível em: https://www.dieese.org.br/notatecnica/2011/notaTec102PlanoBrasilMaior.pdf. Acesso em: 17/02/2022
  • [19] GADELHA, Carlos Augusto Grabois. O complexo industrial da saúde e a necessidade de um enfoque dinâmico na economia da saúde. Revista Ciência e Saúde Coletiva, v. 8 n. 2, p. 521-535, 2003. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232003000200015. Acesso em: 18/03/20
  • [20] GADELHA, C. A. G.; BRAGA, P. S. C. Saúde e inovação: dinâmica econômica e Estado de Bem-Estar Social no Brasil. Cadernos Saúde Pública, Rio de Janeiro, 32 Sup 2:e00150115, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v32s2/pt_1678-4464-csp-32-s2-e00150115.pdf. Acesso em: 15/02/2022.
  • [21] GADELHA, C. A. G.; TEMPORÃO, J. G. Desenvolvimento, Inovação e Saúde: a perspectiva teórica e política do Complexo Econômico-Industrial da Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 23(6):1891-1902, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v23n6/1413-8123-csc-23-06-1891.pdf. Acesso em: 26/03/2019.
  • [22] GADELHA, C. A. G. O complexo econômico-industrial da saúde 4.0: por uma visão integrada do desenvolvimento econômico, social e ambiental. Cadernos do Desenvolvimento. Rio de Janeiro, vol. 16, n. 28, jan.-abr., 2021.
  • [23] GADELHA, C. A. G.; KAMIA, F. D.; MOREIRA, J. D. D.; MONTENEGRO, K. B. M.; SAFATLE, L. P.; NASCIMENTO, M. A. C. Dinâmica global, impasses do SUS e o CEIS como saída estruturante da crise. Cadernos do Desenvolvimento. Rio de Janeiro, vol. 16, n. 28, jan.-abr., 2021.
  • [24] INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Conta-satélite de saúde 2010-2017. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/saude/9056-conta-satelite-de-saude.html?=&t=resultados. Acesso em 04/04/2022.
  • [25]
  • [26] INSTITUTO DE ESTUDOS PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL (IEDI). A política de desenvolvimento produtivo. Maio/2008. Disponível em: https://www.iedi.org.br/admin_ori/pdf/20080529_pdp.pdf. Acesso em: 17/02/2022.
  • [27] INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). Políticas de apoio à inovação tecnológica no Brasil: avanços recentes, limitações e propostas de ações / organizadores: Lenita Maria Turchi, José Mauro de Morais. – Brasília, 2017.
  • [28] LEÃO, Rafael; GIESTEIRA, Luis Felipe. Políticas de desenvolvimento produtivo, tecnológico e de inovação: a perspectiva da segurança nacional. In: Radar: tecnologia, produção e comércio exterior. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Diretoria de Estudos e Políticas Setoriais de Inovação e Infraestrutura (Diset). N. 1 (abr. 2019). Brasília: Ipea, 2019.
  • [29] MACHADO, Felipe Augusto. Avaliação da implementação das políticas industriais do século XXI (PITCE, PDP e PBM) por meio da atuação do BNDES sob a ótica da complexidade econômica. Brasília: IPEA, 2019. Dissertação (mestrado em Políticas Públicas e Desenvolvimento).
  • [30] MATOS, Guilherme Paraol de; TEIXEIRA, Clarissa Stefani. Uma análise sobre o sistema nacional de inovação do Brasil. Revista Eletrônica do Alto Vale do Itajaí – REAVI, v.08, nº 13, p. 073-083, dez 2019.
  • [31] MAZZUCATO, Mariana; PENNA, Caetano. The Brazilian Innovation System: A Mission-Oriented Policy Proposal. Sumário Executivo. Avaliação de Programas em CT&I. Apoio ao Programa Nacional de Ciência (Plataformas de conhecimento). Brasília, DF: Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, 2016.
  • [32] MAZZUCATO, M.; ROY, V. Rethinking value in health innovation: from mystifications towards prescriptions. Journal of Economic Policy Reform, 22:2, 101-119. 2018a. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/17487870.2018.1509712. Acesso em: 06/02/2022.
  • [33] MAZZUCATO, M. Mission-oriented innovation policies: challenges and opportunities. Industrial and Corporate Change, Volume 27, Issue 5, 2018b. Disponível em: https://academic.oup.com/icc/article/27/5/803/5127692. Acesso em: 06/02/2022.
  • [34] MAZZUCATO, Mariana. A esquerda ficou preguiçosa. Deve se concentrar na criação de riqueza. Entrevista. El País. Maio/2021. Disponível em: https://brasil.elpais.com/internacional/2021-05-16/mariana-mazzucato-a-esquerda-ficou-preguicosa-deve-se-concentrar-na-criacao-de-riqueza.html. Acesso em: 22/02/2022.
  • [35] METTEN, Antoine; COSTA, Laís Silveira; GADELHA, Carlos Augusto Grabois; MALDONADO, Jose. A introdução do complexo econômico industrial da saúde na agenda de desenvolvimento: uma análise a partir do modelo de fluxos múltiplos de Kingdon. Rev. Adm. Pública — Rio de Janeiro 49(4):915-936, jul./ago. 2015.
  • [36] MOREIRA, Mario. As Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) no setor da saúde: o poder de compra do estado como política de indução à inovação e a capacitação tecnológica da Fiocruz no campo das biotecnologias. 20/04/2018. 178 f. Doutorado em Políticas Públicas. Tese [Doutorado]. Universidade Federal do Paraná. Paraná, 2018.
  • [37] NICOLAU, José Antônio; PARANHOS, Julia. Notas sobre o conceito de inovação. Textos de Economia, v.9, n.1, p.23-37, jan./jun. 2006, Florianópolis.
  • [38] OCDE. Oslo Manual 2018: Guidelines for Collecting, Reporting and Using Data on Innovation. 4th Edition, The Measurement of Scientific, Technological and Innovation Activities, OECD. Disponível em: https://www.ovtt.org/wp-content/uploads/2020/05/Manual_Oslo_2018.pdf. Acesso em: 15/02/2022.
  • [39] ORRICO, Gustavo Orge. Implantação de políticas industriais no Brasil e construção de um sistema nacional de inovação: uma avaliação da política de desenvolvimento produtivo. Salvador, 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Economia).
  • [40] PARANHOS, Julia; PERIN, Fernanda Steiner. The COVID-19 pandemic and the call for innovation policies in the health sector. UNIDO, 2021.
  • [41] PARANHOS, Julia; MENEZES, Henrique; TORRES, Ricardo; HASENCLEVER, Lia. Avaliação dos impactos da exclusividade sobre dados de testes de registro de medicamentos sobre a inovação e o sistema de saúde brasileiro. Disponível em: https://www.gov.br/pt-br/propriedade-intelectual/publicacoes/copy_of_estudos. Acesso em: 15/02/2022.
  • [42]
  • [43] PIACENTE, Fabrício José; DIAS, Wagner de Almeida. Sistema nacional de inovação: marcos institucional e regulatório brasileiro. VIII Workshop de Pós-Graduação e Pesquisa do Centro Paula Souza: Sistemas produtivos: da inovação à sustentabilidade. São Paulo, 2013. Disponível em: http://www.pos.cps.sp.gov.br/files/artigo/file/535/de41ca266eb483df33d56b320c28670b.pdf. Acesso em 01/03/2022.
  • [44]
  • [45] PIMENTEL, Vitor Paiva. Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo de medicamentos sob a ótica das compras públicas para inovação: 2009-2017. 17/08/2018. Dissertação (Mestrado em políticas públicas, estratégias e desenvolvimento). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.
  • [46] RAUEN, Cristiane Vianna; TUCHI, Lenita |Maria. Apoio à inovação por institutos públicos de pesquisa: limites e possibilidades legais da interação ICT-empresa. In: Políticas de apoio à inovação tecnológica no Brasil: avanços recentes, limitações e propostas de ações. Organizadores: Lenita Maria Turchi, José Mauro de Morais. Brasília: Ipea, 2017
  • [47] REZENDE, Kellen Santos. As parcerias para o desenvolvimento produtivo e estímulo à inovação em instituições farmacêuticas públicas e privadas. 01/02/2013. 176 f. Dissertação. (Mestrado Profissional em Saúde Pública). Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2013.
  • [48] RIBEIRO, Luisa Alem. Inova Saúde - uma análise à luz da perspectiva de políticas orientadas por missões. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Ciências Econômicas, Porto Alegre, 2021.
  • [49] SANTOS, Adriana B. A.; FAZION, Cíntia B.; MEROE, Guiliano P. S. Inovação: Um estudo sobre a evolução do conceito de Schumpeter. Cadernos de Administração. vol. 05, n. 01, 2011. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/caadm/article/view/9014. Acesso em: 10/02/2022.
  • [50] SARTI, Fernando; HIRATUKA, Celio; FONSECA, Camila. A crise sanitária da Covid-19 e a vulnerabilidade produtiva e tecnológica do Complexo Econômico-Industrial da Saúde no Brasil no contexto da financeirização. Cadernos do Desenvolvimento, vol. 16, n. 28, jan-abr, Rio de Janeiro: 2021. Disponível em: http://www.cadernosdodesenvolvimento.org.br/ojs-2.4.8/index.php/cdes/article/view/554. Acesso em: 06/02/2022.
  • [51] SCHONS, Décio Luís; PRADO FILHO, Hildo Vieira; GALDINO, Juraci Ferreira. Política Nacional de Inovação: uma questão de crescimento econômico, desenvolvimento e soberania nacional. Coleção Meira Mattos, v. 14, n. 49, Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: http://ebrevistas.eb.mil.br/RMM/article/view/3063/2679. Acesso em: 01/03/2022.
  • [52]
  • [53] SOARES, C. S.; CORONEL, D. A.; MARION FILHO, P. J. A recente política industrial brasileira: da “Política de Desenvolvimento Produtivo” ao “Plano Brasil Maior”. Revista Perspectivas Contemporâneas. v. 8, n. 1. Disponível em: https://revista2.grupointegrado.br/revista/index.php/perspectivascontemporaneas/article/view/1309. Acesso em: 26/02/2022.
  • [54] TORRES, Ricardo Lobato. A política de desenvolvimento da indústria farmacêutica brasileira de 2003 a 2014. p. 74-83. In: Anais do 1º Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação, v.3, n.4, São Paulo: Blucher, 2016.
Como citar:

Lucena, Rodrigo Milano de; "O Plano Inova Empresa foi uma Missão? Uma análise de conteúdo sobre a visão dos policemakers", p. 1322-1340 . In: Anais do VI Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação (ENEI): “Indústria e pesquisa para Inovação: novos desafios ao desenvolvimento sustentável”. São Paulo: Blucher, 2022.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/vi-enei-844

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações