Maio 2018 vol. 4 num. 3 - Colóquio Internacional de Design 2017

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

O papel do design no cenário da economia criativa

The role of design in the creative economy scenario

Guimarães, Juliana; Silva, Sérgio Antônio;

Artigo Completo:

O presente trabalho procura entender o que é economia criativa, investigar o papel do design nessa economia e exemplificar a importância deste por meio de um caso real selecionado para esta discussão. Historicamente, entre os séculos XVIII e XIX, a Europa vivenciou uma série de mudanças em suas produções por meio de um novo sistema de fabricação que possibilitou a redução dos custos e elevou a quantidade de produtos ofertados no mercado. Com esse aumento vertiginoso na produção de bens, a ideologia de consumo começou a ser construída, distanciando as pessoas da percepção de utilidade e valor intangível dos produtos que elas consumiam. É nesse momento que começa a se diferenciar na cadeia produtiva aquele que projetava o produto e aquele que o executava, e assim, o design começa a se firmar no período industrial. Atualmente, o cenário é de crescente inovação tecnológica, onde se observa o abandono do conceito de atividade projetual focada apenas nas coisas e produtos. Assim, o pensamento do design inserido na sociedade e discutindo os aspectos humanos e sociais da atividade projetual tem sido cada vez mais colocado em evidência. Outro fator a ser considerado nos dias que correm é a ascensão de uma classe criativa e o empoderamento do sujeito criativo. O conceito de economia criativa surgiu em 1997 com foco no modo de capitalização da criatividade e do conhecimento, interceptando as mudanças advindas da revolução digital e, também, pensando no desenvolvimento sustentável. Este conceito tem sido cada vez mais explorado ao redor do mundo aliado aos aspectos que cercam o design. Dessa forma, a partir do pensamento desta economia buscou-se investigar qual é o papel do design nesse contexto através de um caso específico selecionado previamente para esta discussão. A metodologia utilizada foi uma revisão de literatura seguindo os passos da leitura de conhecimento, seletiva, crítica e interpretativa para a construção do texto final. Constatou-se que o design é multifacetado, e seu papel na economia criativa é dialogar com todas as etapas do processo produtivo, integrando criatividade, inovação e conhecimento ao processo.

Artigo Completo:

The present work seeks to understand what a creative economyis, to investigate the role of design in this economy and to exemplify its importance through a real case selected for this discussion. Historically, between the eighteenth and nineteenth centuries, Europe experienced a series of changes in its production through a new manufacturing system that made it possible to reduce costs and increase the quantity of products offered in the market. With this vertiginous increase in the production of goods, the ideology of consumption began to be constructed, distancing people from the perception of utility and intangible value of the products they consumed. From that moment it was separated the one that projected the product and the one that produced it, and thus, the design begins to be established in the industrial period. Currently, we have a technological innovationscenario, where one observes the abandonment of the concept of project activity focused only on things and products. Thus, design thinking inserted in society and discussing the human and social aspects of design activity has been increasingly highlighted. Another factor to be considered in these days is the rise of a creative class and the empowerment of the creative subject. The concept of creative economy emerged in 1997 with a focus on the capitalization of creativity and knowledge, intercepting the changes arising from the digital revolution and also thinking about sustainable development. This concept has been increasingly explored around the world coupled with the aspects surrounding design. Thus, from the thought of this economy we sought to investigate the role of design in this context through a specific case previously selected for this discussion. The methodology used was a literature review following the steps of the reading of knowledge, selective, critical and interpretive for the construction of the final text. It has been found that design is multifaceted, and its role in the creative economy is to dialogue with all stages of the production process, integrating creativity, innovation and knowledge into the process.

Palavras-chave: Criatividade; Design; Economia criativa; Inovação,

Palavras-chave: Creativity; Design; Creative economy; Innovation,

DOI: 10.5151/cid2017-56

Referências bibliográficas
  • [1] CARDOSO, Rafael. Uma introdução à História do Design. São Paulo: EdigardBlucher, 2000.
  • [2] CASTRO, Mariana. Como a Webcitizen está usando a tecnologia para reinventar o exercício da cidadania no país. São Paulo: Draft, 2014. Disponível em: . Acesso em 31 de jan. de 2017.
  • [3] IZÍDIO, Luiz. O Design no ideário das “Cidades Criativas”. Disponível em: < http://uninomade.net/wpcontent/files_mf/1463585415LCO%20design%20no%20ide%C3%A1rio%20das%20cidades%20criativas%20-%20%20Luiz%20Lagares%20Izidio.pdf.>. Acesso em 31 de jan. de 2017.
  • [4] KRIPPENDORFF, Klaus. Design centrado no ser humano: uma necessidade cultural. Estudos em Design. Rio de Janeiro, v.8, n.3. setembro de 2000. Disponível em: < periodicos.anhembi.br/arquivos/Hemeroteca/Periodicos_MO/...Design/107170.pdf >. Acesso em: 28 de jan. de 2017
  • [5] MACHADO, Ricardo. A economia criativa e o design: uma análise do desenvolvimento e das potencialidades deste na cadeia produtiva da economia brasileira. Trabalho de Conclusão de Curso. Porto alegre: 2014. Disponível em: < http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/116252. >. Acesso em 29 de jan. de 2017.
  • [6] MADEIRA, Mariana. Economia criativa: Implicações e desafios para a política externa brasileira. Brasília: Fundação Alexandre Gusmão, 2014. Disponível em: < http://funag.gov.br/loja/index.php?route=product/product&product_id=559. >. Acesso em: 28 de jan. de 2017
  • [7] MARINHO, Eliana. Economia Criativa. In: Economia Criativa do Rio de Janeiro e as MPE. Rio de Janeiro: Sebrae, 2012. Disponível em: Acesso em 27 de jan. de 201
  • [8] NEWBIGIN, John. Economia criativa: um guia introdutório. Reino Unido: British Council, 2010. Disponível em: < http://creativeconomy.britishcouncil.org/media/uploads/files/Intro_guide_-_Portuguese.pdf. >. Acesso em 28 de jan. de 2017.
  • [9] REIS, Ana Carla; DEHEINZELIN, Lala. Cadernos de Economia Criativa: Economia Criativa e Desenvolvimento Local. Espírito Santo: Sebrae, 2008. Disponível em: . Acesso em: 30 de jan. de2017.
  • [10] ROHENKOHL, Raquel. Criatividade e Design: uma análise da habilidade criativa no processo projetual. Unoesc & Ciência. Joaçaba, v. 3, n. junho/julho de 2012. Disponível em: . Acesso em: 29 de jan. de 2017.
  • [11] SEBRAE. Empreendedorismo criativo: talento, inspiração ou transpiração? Mato Grosso do Sul: 2015. Disponível em: . Acesso em 31 de jan. de 2017.
  • [12] ______. O Design no Contexto da Economia Criativa. Brasília: Sebrae, 2015. Disponível em: . Acesso em: 30 de jan. de 2017.
  • [13] SPERB, Daniel. Sobre a inteligência criativa. Disponível em: < http://www.sucesurs.org.br/wpcontent/uploads/SOBRE-INTELIG%C3%8ANCIA-CRIATIVA.pdf. >. Acesso em 28 de jan. de 2017.
Como citar:

Guimarães, Juliana; Silva, Sérgio Antônio; "O papel do design no cenário da economia criativa", p. 646-655 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, ISBN: cid2017
DOI 10.5151/cid2017-56

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações