Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

O PAPEL DAS POLÍTICAS PÚBLICAS ‘START-UP BRASIL’ E ‘INOVATIVA BRASIL’ NO DESENVOLVIMENTO DE STARTUPS BRASILEIRAS

THE ROLE OF PUBLIC POLICIES ‘START-UP BRASIL’ AND ‘INOVATIVA BRASIL’ IN THE DEVELOPMENT OF BRAZILIAN STARTUPS

GRINGS, Lenise Gessí; RUFFONI, Janaína;

Artigo Completo:

O objetivo do presente estudo é identificar o papel das políticas públicas Start-Up Brasil e Inovativa Brasil para o desenvolvimento de startups brasileiras. Entende-se como relevante compreender a emergência de empresas inovadoras em um país com um sistema nacional de inovação ainda considerado imaturo. Para tanto, foi realizada uma pesquisa exploratória e descritiva e adotado o método de coleta de dados primários com especialistas. Para a coleta de dados foram realizadas entrevistas semiestruturadas, sendo que os entrevistados foram identificados através do método ‘snowball sampling’. Para análise dos dados, os conteúdos foram organizados em tópicos: o papel das políticas públicas no desenvolvimento de startups; resultado destas políticas no curto e longo prazo; lacunas existentes; e, por fim, algumas referências de ações normativas públicas internacionais. Identificou-se a relevância das políticas públicas analisadas para o desenvolvimento de startups, sendo que o papel desempenhado por elas se destacou em três aspectos: aporte de recursos; contribuição para a formação e fortalecimento de um ecossistema empreendedor; e oportunidades para que as startups se tornem empresas com atuação global. Entretanto, a pesquisa também apontou lacunas em questões institucionais e outras específicas relativas ao ecossistema de startups.

Artigo Completo:

The study aims to identify the role of public policies Start-Up Brasil and Inovativa Brasil for the development of brazilian startups. It is understood as relevant to understand the emergence of innovative companies in a country with a still considered immature national system of innovation. For that, an exploratory and descriptive research was carried out and the method of collecting primary data with specialists was adopted. For this data collection, semi-structured interviews were conducted, and the interviewees were identified through the snowball sampling method. To analyze the data, the contents were organized in topics: the role of public policies in the development of startups; result of this policies in the short and long term; gaps in public policies; and, finally, some references of international public regulatory actions. It was identified the relevance of public policies analyzed for the development of startups, and the role played by them stood out in three aspects: resource contribution; contribution to the formation and strengthening of an entrepreneurial ecosystem and opportunities for startups to become global companies. However, the research also pointed to gaps in institutional and other specific issues related to the startups ecosystem.

Palavras-chave: Startup, Política pública, Inovação, Start-Up Brasil, Inovativa Brasil,

Palavras-chave: Startup, Public policies, Innovation, Start-Up Brasil, Inovativa Brasil,

DOI: 10.5151/enei2017-46

Referências bibliográficas
  • [1] AGENCIA DE DESENVOLVIMENTO PAULISTA (DESENVOLVE SP). São Paulo inova. São Paulo, [2016?]. Disponível em: . Acesso em: 8 nov. 2016.
  • [2] ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DESTARTUPS (ABSTARTUPS). Startup base: ranking estados. [S.l.], 2016. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2017.
  • [3] BAUMGARTEN, Maíra. Conhecimento e sustentabilidade: políticas de ciência, tecnologia e inovação no Brasil contemporâneo. Porto Alegre: Editora da UFRGS: Sulina, 2008.
  • [4] BIERNACKI, P.; WALDORF, D. Snowball sampling: problems and techniques of chain referral sampling. Sociological Methods & Research, Thousand Oaks, CA, v. 10, n. 2, 1981.
  • [5] BRASIL. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Secretaria de Política de Informática (SEPIN). Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Chamada CNPq/MCTI/SEPIN no 12/2014: programa Start-Up Brasil. Brasília, DF, 2014a. Disponível em: . Acesso em: 8 nov. 2016.
  • [6] BRASIL. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Start-up Brasil: Programa Nacional de Aceleração de Startups. [2016?]. Disponível em: Acesso em: 08 nov. 201
  • [7] COHEN, S. ‘What do accelerators do? Insights from Incubators and Angels’. Innovations: Technology, Governance, Globalization, [S.l.], v. 8, n. 3/4, p. 19–25, 2013.
  • [8] GOODMAN, Leo A. Snowball sampling. The Annals of Mathematical Statistics. V. 32. n. 1, p. 148-170, 1961.
  • [9] INOVATIVA BRASIL. Regulamento da 5º edição do programa InovAtiva Brasil. Brasília, DF, 6 set. 2016a. Disponível em: . Acesso em: 8 nov. 2016.
  • [10] INOVATIVA BRASIL. InovAtiva Brasil cresce 136% e seleciona 300 startups para o 1º Ciclo de Aceleração de 2016. Brasília, DF, abr. 2016b. Disponível em: . Acesso em: 17 abr. 2016.
  • [11] LIBRELON, Diego. Políticas Públicas de fomento à ciência, tecnologia e inovação direcionadas para startups brasileiras de base tecnológica. 2014. 71f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Tecnologias da Informação e Comunicação). Universidade Federal de Santa Catarina, Araranguá, 2014.
  • [12] RIES, Eric. A startup enxuta: como os empreendedores atuais utilizam a inovação contínua para criar empresas extremamente bem-sucedidas. São Paulo: Lua de Papel, 20
  • [13] RIO DE JANEIRO. Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia. Startup Rio. Disponível em: . [2016?]. Acesso em: 29 mar. 2016.
  • [14] SALERNO, M.S.; KUBOTA, L.C. Estado e inovação. (Cap.1). In: NEGRI, J.A; KUBOTA, L.C. (orgs.). Políticas de Incentivo à Inovação Tecnológica. Brasília, DF: IPEA, 2008.
  • [15] SEBRAE/MG – SERVIÇO DE APOIO AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE MINAS GERAIS. Startup Sebrae Minas. Belo Horizonte, [2016?]. Disponível em: Acesso em 29 mar. 2016.
  • [16] SEBRAE/RS – SERVIÇO DE APOIO AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO RIO GRANDE DO SUL. Startup RS. [2016?]. Disponível em: . Acesso: 29 mar. 20
  • [17] SEED - STARTUPS AND ENTREPRENEURSHIP ECOSYSTEM DEVELOPMENT. DISPONÍVEL em: . Acesso em: 13 mar. 2016.
  • [18] SOFTEX - TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO BRASILEIRA. Disponível em: Acesso em: 29 mar. 2016.
  • [19] TELLES, André; MATTOS, Carlos. O empreendedor viável: uma mentoria para empresas na era da cultura startup. Rio de Janeiro: LeYa, 2013.
  • [20] VIOTTI, E. Brasil: de política de C&T para política de inovação? Evolução e desafios das políticas brasileiras de ciência, tecnologia e inovação. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL: Avaliação de políticas de ciência, tecnologia e inovação. Diálogo entre experiências internacionais e brasileiras. Brasília, DF: Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), 2008.
Como citar:

GRINGS, Lenise Gessí; RUFFONI, Janaína; "O PAPEL DAS POLÍTICAS PÚBLICAS ‘START-UP BRASIL’ E ‘INOVATIVA BRASIL’ NO DESENVOLVIMENTO DE STARTUPS BRASILEIRAS", p. 830-849 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2357-7592, DOI 10.5151/enei2017-46

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações