Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

O designer como formador de identidades: relações entre experiência do usuário e geração de sentido no campo do design

The designer as identity builder: the relationship between user experience and generating meaning in the design field

Sande, Axel;

Artigo Completo:

O presente artigo investiga a atuação do designer como formador de identidades, bem como a eficácia comunicacional de sistemas de informação, através da análise dos conceitos de experiência do usuário e de geração de sentido. Os conhecimentos e competências do designer, como formador de identidades, são validados tanto pela interação social dos dispositivos projetados quanto pela análise dos resultados manifestos dos projetos, o que evidencia a relevância do processo de síntese para a avaliação metodológica no campo do design. Para defender este argumento, o artigo baseia-se em instrumentos conceituais sobre experiência do usuário, linguagem visual e síntese projetual, além de fazer a contextualização histórica dos processos de marcação para fins indicativos.

Artigo Completo:

This paper investigates the role of the designer as identity builder as well as the communication effectiveness of information systems linked to the concepts of user experience and the generation of meaning. As identity builder, the designer’s knowledge and skills are validated by the social interaction of the designed devices added to the analysis of the manifest results of the projects, explaining the relevance of the synthesis process for the methodological evaluation in the design field. To defend this argument, the article is based on conceptual tools on the user experience, visual language and project synthesis, beyond the historical context of marking procedures for indicative purposes.

Palavras-chave: Design de identidades, experiência do usuário, comunicação visual, síntese projetual, Identity design,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/designpro-CIDI2015-cidi_119

Referências bibliográficas
  • [1] ALEXANDER, Christopher. 1973. Notes on the synthesis of form. Harvard University Press: Cambridge, MA, USA. 7th printing.
  • [2] BARTHES, Roland. 1981. Camera Lucida: Reflections on photography. New York: Hill and Wang.
  • [3] __________. 2001. Mitologias. 11ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.
  • [4] BENJAMIN, Walter.1992. A obra de arte na era da sua reprodutibilidade técnica In: Sobre arte, técnica, linguagem e política, Lisboa: Relógio d’Água.
  • [5] CHAVES, Norberto. 2006. La imagen corporativa. Barcelona: Gustavo Gili.
  • [6] COSTA, Joan. 1995. Imagen global: evolucion del diseño de identidade. Barcelona: Ceac.
  • [7] CROSS, Nigel. 1982. Designerly Ways of Knowing In: Design Studies: Vol 3 nº 4 October.
  • [8] DOWDY, Clare. 2001. Beyond logos: New definitions of corporate identity. England: Rotovision Book.
  • [9] FINDELI, Alain. 2001. Rethinking Design Education for the 21st Century: Theoretical, Methodological, and Ethical Discussion In: MIT Design Issues, vol 17, nº 1, Winter, p. 5-17.
  • [10] FLUSSER, Vilém. 2007. O mundo codificado. Por uma filosofia do design e da
  • [11] comunicação. Org. Rafael Cardoso. São Paulo: Cosac Naify.
  • [12] __________. 2015. A arte: o belo e o agradável In: Artefilosofia: Antologias de textos estéticos / Org: Iannini, Garcia e Freitas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, p. 42-46.
  • [13] FORTY, Adrian. 2007. Objetos de desejo – design e sociedade desde 1750. São Paulo: Cosac Naify.
  • [14] FRASCARA, Jorge. Communication design: principles, methods, and practice. New York: Allworth Press, 2004.
  • [15] __________. Diseño Gráfico para la gente. Comunicaciones de masa y cambio social; Buenos Aires: Ediciones Infinito, 2000.
  • [16] JONAS, W. “Design as problem solving? or: here the solution - what was the problem”. In: Design Studies. London: Butterworth Heinemann, v.14, n.2, april 1993, p.157-170
  • [17] KOLKO, Jon. 2011. Exposing the Magic of Design: A Practitioner''s Guide to the Methods and Theory of Synthesis. New York: Oxford University Press.
  • [18] KRIPPENDORFF, Klaus. 2006. The semantic turn: a new foundation for design. Florida: Taylor Andamp; Francis Group.
  • [19] KRIPPENDORFF, Klaus e Seppo Väkevä.1989. The Language of Objects. In: Blueprint Vol. 52.
  • [20] LESSA, Washington Dias. 2013. Objetivos, desenvolvimento e síntese do projeto de design: a consciência do método. In: Estudo e prática de metodologia em design nos cursos de pós-graduação. Rio de Janeiro: Novas Ideias. p.18-54.
  • [21] __________. 2009. Linguagem da forma/linguagem visual no âmbito do ensino do design: balizamentos teóricos In: Arcos Design 5. Dezembro, p. 18-24.
Como citar:

Sande, Axel; "O designer como formador de identidades: relações entre experiência do usuário e geração de sentido no campo do design", p. 155-163 . In: . In: C. G. Spinillo; L. M. Fadel; V. T. Souto; T. B. P. Silva & R. J. Camara (Eds). Anais do 7º Congresso Internacional de Design da Informação/Proceedings of the 7th Information Design International Conference | CIDI 2015 [Blucher Design Proceedings, num.2, vol.2]. São Paulo: Blucher, 2015.
ISSN 2318-6968, ISBN: 978-85-8039-122-0
DOI 10.5151/designpro-CIDI2015-cidi_119

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações