Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

MODELO DE PARCERIA ICT E EMPRESAS PARA DESENVOLVIMENTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA: ESTUDO DE CASO DO IPT EM PROJETO COM FINANCIAMENTO DA EMBRAPII

Fabri, Gabrielle Branco; Motta, Flávia Gutierrez;

Artigo Completo:

Inovação é fator essencial para a competitividade de empresas. Esta tendência tem empurrado as empresas a buscar conhecimentos e informações externas. Desenvolver parceiras em conjunto com ICTs tem sido caminho para empresas que investem em inovação. A Embrapii busca estimular o investimento das empresas em P,D&I em parceria com ICTs e foco em introduzir inovações no mercado. Esse artigo analisa esse novo contexto nas parcerias entre ICT-empresa. Explorou-se um estudo de caso específico dentro da atuação do IPT no projeto piloto realizada pelo MCTi para testar e modelar a implementação da Embrapii. O objetivo do artigo consistiu em descrever o modelo conceitual de TT no âmbito ICT-Empresa a partir do modelo de eficácia contingente de transferência de tecnologia de Bozeman (2000). A pesquisa pautou-se na questão: “o projeto realizado pela parceria ICT-Empresa cumpre com o objetivo de realizar TT?”. O estudo de caso mostrou a eficiência do modelo de Bozeman. A Embrapii se mostrou flexível, não tendo editais pontuais, e as empresas conseguem realizar P&D dentro da estratégia traçada. Em relação ao impacto no mercado e desenvolvimento econômico, a avaliação dos resultados gerados apresentou limitações visto que o projeto não chegou ao resultado esperado principalmente por causa do prazo determinado.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Interação universidade-empresa, transferência de tecnologia, parcerias público-privadas,

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/cbgdp2017-097

Referências bibliográficas
  • [1] ABREU, I. et al. Parques tecnológicos: panorama brasileiro e o desafio de seu financiamento. BNDS, Revista do BNDES, p. 99-154, 2016.
  • [2] ANPROTEC, Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos de Tecnologias Avançadas, & SEBRAE. Glossário dinâmico de termos na área de Tecnópolis, Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas, 1–124, 200
  • [3] BELDERBOS R, CARREE M, LOKSHIN B. Complementarity in R&D cooperation strategies. Review of Industrial Organization, 2006.
  • [4] BOZEMAN, B., Technology transfer and public policy: a review of research and theory. Research Policy. 29. 627–655, 2000.
  • [5] CHERUBI NETO, R. As Práticas e Ferramentas da Gestão do Conhecimento Auxiliam na Gestão da Interação Universidade-Empresa? Fundamentando e Apresentando a Hipótese. Encontro Nacional de Pós-Graduação em Administração - ANPAD, Salvador, BA, 2006.
  • [6] CHESBROUGH, H. W. “Open Innovation: the new imperative for creating and profiting from technology”. Boston, MA: Harvard Business School Press, 2003.
  • [7] CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010
  • [8] COOMBS, R., HARVEY, M. and TETHER, B. S. Analysing distributed processes of provision and innovation. Industrial & Corporate Change, 12(6), 1125-1155, 2003.
  • [9] dos REIS, D. R. Gestão da inovação tecnológica. Manole, 2004.
  • [10] DOSI, G. Sources, procedures and microeconomic effects of innovation. Journal of Economic Literature, 26(3), 11201171, 1988.
  • [11] ENGEROFF, R.; BALESTRIN, A. Inovação fechada versus inovação aberta: um estudo decaso da indústria de cutelaria. In: Simpósio de gestão da inovação tecnológica, XXV, Brasília, p. 1-16., 2008.
  • [12] ETZKOWITZ, H., LEYDESDORFF, L.. The Triple Helix: University - Industry - Government Relations: A Laboratory for Knowledge-Based Economic Development. EASST Review 14, 14 – 19, 1995.
  • [13] ETZKOWITZ, H. Reconstrução criativa: hélice tripla e inovação regional. Rio de Janeiro: Inteligência Empresarial/CRIE/COPPE/UFRJ, n. 23, 2005.
  • [14] POWELL, W. W., KOPUT, K. W. and SMITH-DOERR, L. Interorganizational collaboration and the locus of innovation: Networks of learning in biotechnology. Administrative Science Quarterly, 41(1), 116, 1996.
  • [15] PORTO, G. S., et al. Rede de interações universidade-empresa no Brasil: uma análise de redes sociais. Revista de Economia 37.4, 2011.
  • [16] KLINE, S. J. Innovation is not a linear process. Research Management, 28(4), 36-45, 1985.
  • [17] LINK, A. N., SIEGEL, D. S., BOZEMAN, B. An empirical analysis of the propensity of academics to engage in informal university technology transfer. Industrial and Corporate Change, 16(4), 641–655, 2007.
  • [18] LUNDVALL, B.-Å. Innovation as an interactive process: From user-producer interaction to the national system of innovation. In G. Dosi, C. F., G. Silverberg and L. Soete (ed.), Technical change and economic theory. London/New York: Pinter Publishers, 1988.
  • [19] MACULAN, A.-M.; MERINO, J. C. A. Como avaliar a transferência do conhecimento na interação universidade-empresa. Simpósio de Gestão da inovação Tecnológica. São Paulo, 1998.
  • [20] MARCHIORI, M. P.; COLENCI Jr, A. Transferência de tecnologia Universidade- Empresa - A busca por mecanismos de integração efetiva. XVIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 1998.
  • [21] RIBEIRO, P. V. V. Inovação tecnológica e transferência de tecnologia. Brasília, DF, 2001.
  • [22] ROMERO, F. University-Industry Relations and Technological Convergence. PICMET ’07 -2007 Portland International Conference on Management of Engineering & Technology, 233–240, 2007.
  • [23] SABATER J, “Manual de trasferencia de tecnología y conocimiento,” pp. 1– 124, 2010.
  • [24] SALUNKE S, Weerawardena J, McColl-Kennedy JR. Towards a model of dynamic capabilities in innovation-based competitive strategy: Insights from project-oriented service firms. Industrial Marketing Management. 2011.
  • [25] SANTOS, M. E.; SOLLEIRO, J. L., & LAHORGUE, M. A. Boas Práticas de Gestão em Escritórios de Transferência de Tecnologia. IN: SIMPÓSIO DE GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, Curitiba, PR, 2004.
  • [26] von HIPPEL, E. The sources of innovation. New York: Oxford University Press, 1987.
  • [27] WANG, M. Exploring potential R&D collaborators with complementary technologies: The case of biosensors. Technological Forecasting & Social Change, 2012.
  • [28] ZALTMAN, G.; DUNCAN, R.; HOLBEK, J. Innovations and organizations. John Wiley & Sons, 1973.
Como citar:

Fabri, Gabrielle Branco; Motta, Flávia Gutierrez; "MODELO DE PARCERIA ICT E EMPRESAS PARA DESENVOLVIMENTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA: ESTUDO DE CASO DO IPT EM PROJETO COM FINANCIAMENTO DA EMBRAPII", p. 924-933 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/cbgdp2017-097

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações