Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

MEMÓRIAS QUASE PÓSTUMAS DE MACHADO DE ASSIS (2014), DE ÁLVARO CARDOSO GOMES: A BIOGRAFIA ROMANCEADA DE MACHADO DE ASSIS COMO FERRAMENTA DE FORMAÇÃO DE LEITORES LITERÁRIOS NO ENSINO BÁSICO

GRANDE, Camila Arcarde;

Artigo Completo:

Dentre os mecanismos intertextuais presentes no romance juvenil Memórias quase póstumas de Machado de Assis, de Álvaro Cardoso Gomes, publicado em 2014, o estudo – para além da análise dos elementos narrativos da biografia romanceada de Machado de Assis –, toma como recorte de pesquisa os paratextos enquanto marca identitária da Coleção Meu amigo escritor, idealizada e organizada por Gomes para a Editora FTD. O objetivo da pesquisa é compreender em que medida tanto os paratextos (introdução, apresentação, notas marginais, fotobiografia, ficha técnica de leitura, indicação de sites para consulta), como as personagens-interlocutores responsáveis pela condução hermenêutica da obra machadiana (Machado, Carolina, Padre Siqueira e Hermenegildo), contribuem para a iniciação à leitura da obra de Machado de Assis do alunado do Ensino Fundamental (Anos Finais). Para alcançar tais propósitos, o presente trabalho será dividido em cinco capítulos. No primeiro capítulo, denominado “Relações dialógicas”, procuraremos apontar reflexões a respeito do diálogo e seus conceitos-chave, tais como: camada de discursos, signos, experiências e interpretações dos indivíduos, enunciados, dialogismo, linguagem e vozes sociais. Para tanto, utilizaremos a fundamentação teórica acerca das relações dialógicas de Mikhail Bakhtin e os seus principais estudiosos, como Beth Brait e Carlos Alberto Faraco. No segundo capítulo, intitulado “Conceitos de intertextualidade”, buscaremos a fundamentação teórica de Linda Hutcheon e Júlia Kristeva, duas autoras renomadas que discutem a noção de texto e intertexto, apontando que todo texto se constrói a partir da transformação de outro texto, instalando-se assim a intertextualidade. Desta maneira, o universo discursivo dos livros se dá por meio dos cruzamentos de superfícies textuais, no qual o leitor dialoga com outras leituras. No terceiro capítulo, denominado “Fortuna crítica acerca de Machado de Assis”, apontaremos as principais contribuições críticas acerca da obra do autor. Para isso, utilizaremos a fundamentação teórica de Alfredo Bosi, Antonio Candido, Afrânio Coutinho, entre outros. Machado de Assis possui inúmeras obras, lidas e relidas, que desafiam os críticos e leitores em geral. No quarto capítulo, intitulado “Análise da intertextualidade presente em Memórias quase póstumas de Machado de Assis (2014), de Álvaro Cardoso Gomes”, faremos um estudo pormenorizado de cada parte do livro, discorrendo sobre a intertextualidade com outras obras presentes nos dez capítulos. O objeto de estudo retrata fatos reais e ficcionais da vida do autor, isto é, há uma mistura de ficção amparada na realidade e uma sólida bibliografia de apoio. Assim, apontaremos aspectos relevantes a respeito da carreira do escritor, as obras produzidas por ele e o contexto histórico da época. Finalmente, no quinto capítulo, intitulado “Fotocronologia da vida e da obra de Machado de Assis”, apresentaremos fotos e ilustrações correspondentes à vida do escritor mediante ao momento histórico vivenciado no Brasil. Por fim, espera-se como resultado do presente trabalho a sugestão de um instrumental teórico-metodológico que contribua com a formação inicial e continuada do professor de Língua Portuguesa no que diz respeito à formação de leitores literários críticos no Ensino Básico – sobretudo por meio da compreensão dos diversos processos de construção dialógica presentes em uma biografia romanceada de um autor consagrado da literatura brasileira –, construindo pontes que aproximem o leitor adolescente em formação com a obra canônica de Machado de Assis.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Memórias; Intertextualidade; Formação de leitores,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/edupro-clafpl2016-012

Referências bibliográficas
  • [1] ASSIS, Machado de. Memórias póstumas de Brás Cubas. São Paulo: Moderna, 1984.
  • [2] _________________. Obra completa. Organizado por Afrânio Coutinho. Volume III. Rio de Janeiro: Nova Aguilar S.A., 1997.
  • [3] BARRETO FILHO, José. Introdução a Machado de Assis. 2ª ed. Rio de Janeiro: Agir, 1980.
  • [4] BRAIT, Beth. Bakhtin: conceitos-chave / Beth Brait (org.). São Paulo: Contexto, 2005.
  • [5] ___________. Bakhtin: outros conceitos-chave / Beth Brait (org.). São Paulo: Contexto, 2006.
  • [6] BOSI, Alfredo. Brás Cubas em três versões: estudos machadianos. São Paulo: Companhia das Letras, 200
  • [7] ____________. História concisa da literatura brasileira. 43ª ed. São Paulo: Cultrix, 2006.
  • [8] CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira: momentos decisivos. 2ª ed. Volume I. São Paulo: Martins, 1963.
  • [9] ________________. Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária. 2ª ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1967.
  • [10] COUTINHO, Afrânio. A Filosofia de Machado de Assis e outros ensaios. Rio de Janeiro: São José, 1959.
  • [11] _________________. Introdução à Literatura no Brasil. 2ª ed. Rio de Janeiro: São José, 1964.
  • [12] FARACO, Carlos Alberto. Linguagem e diálogo: as ideias linguísticas do Círculo de Bakhtin. Curitiba: Criar Edições, 2003.
  • [13] GOMES, Álvaro Cardoso. Memórias quase póstumas de Machado de Assis. 1ª ed. São Paulo: FTD, 2014.
  • [14] HUTCHEON, Linda. Uma teoria da adaptação. Tradução André Cechinel. Editora UFSC, 2012.
  • [15] KRISTEVA, Júlia. Introdução à Semanálise. São Paulo: Perspectiva S.A., 1974.
  • [16] ROMERO, Sílvio. Machado de Assis: estudo comparativo de literatura brasileira. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1992. ALÓS, Anselmo Peres. Texto literário, texto cultural, intertextualidade. Revista Virtual de Estudos da Linguagem – ReVEL. V. 4, n. 6, março de 2006.
  • [17] CAVALCANTE, Sandra Maria Silva. O Fenômeno da intertextualidade e uma perspectiva cognitiva. Belo Horizonte: UFMG, 2009.
  • [18] FRASSON, Regina Mafalda Denardin. A intertextualidade como recurso de argumentação. Santa Maria: UFSM, 1992.
  • [19] SILVA, Marcio Renato Pinheiro. Leitura, texto, intertextualidade, paródia. São José do Rio Preto - SP: Universidade Estadual Paulista, 2003.
  • [20] Filme Memórias póstumas de Brás Cubas baseado na obra de Machado de Assis: https://www.youtube.com/watch?v=gFJzq_AtOu4 - Acesso em 03/06/2016.
  • [21] Academia Brasileira de Letras http://www.academia.org.br/ - Acesso em 06/06/2016.
  • [22] Machado de Assis http://www.machadodeassis.org.br/ - Acesso em 08/06/2016.
Como citar:

GRANDE, Camila Arcarde; "MEMÓRIAS QUASE PÓSTUMAS DE MACHADO DE ASSIS (2014), DE ÁLVARO CARDOSO GOMES: A BIOGRAFIA ROMANCEADA DE MACHADO DE ASSIS COMO FERRAMENTA DE FORMAÇÃO DE LEITORES LITERÁRIOS NO ENSINO BÁSICO", p. 149-163 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2318-695X, DOI 10.5151/edupro-clafpl2016-012

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações