Maio 2018 vol. 4 num. 3 - Colóquio Internacional de Design 2017

Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

Marginalidade e design: origens e desdobramentos do Punk

Marginality and design: Origins and developments of Punk

Silva, Daniel Maciel Costa da;

Artigo Completo:

O presente artigo apresenta uma revisão histórica do início do movimento punk, anos 1970, como manifestação típica de movimentos contra culturais. São apresentadas suas principais origens e influências, o desenvolvimento de alguns de seus códigos e convenções simbólicas e alguns de seus desdobramentos musicais e comportamentais mais evidentes e relevantes para o contexto da atualidade. Utilizando para a análise argumentos e conceitos da teoria de design, é possível concluir que a observação minuciosa das culturas marginais, seus valores e desejos em busca de novas referências estéticas e de comportamento pode ser uma ferramenta poderosa para destacar insights úteis na elaboração de novos projetos de design.

Artigo Completo:

This article presents a historical review of the beginning of the 1970s punk movement as a typical manifestation of anti-cultural movements. It presents the main origins and influences of punk and also the development of some of its codes and symbolic conventions, and some of its musical and behavioral developments are related to the current context. Using arguments and concepts from design theory, one can conclude that careful observation of marginal cultures, their values and desires, in search of new aesthetic and behavioral references can be a powerful tool to highlight useful insights in the design of new projects.

Palavras-chave: punk; design; contracultura,

Palavras-chave: punk; design; contra cultura,

DOI: 10.5151/cid2017-45

Referências bibliográficas
  • [1] BAUMAN, Zigmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 200
  • [2] BAUMAN, Zigmut. O mal estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro : Zahar, 1998.
  • [3] BONSIEPE, Gui. Design, Cultura e Sociedade. São Paulo: Blucher, 2011.
  • [4] BONSIEPE, Gui. Do material ao digital. São Paulo: Blucher, 2015.
  • [5] CARDOSO, Rafael. Design, cultura material e o fetichismo dos objetos. Arcos, Volume 1, 1998.
  • [6] DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de janeiro: Contraponto, 1997.
  • [7] DOHMANN, Marcus. A experiência material: cultura do objeto. In: DOHMANN, Marcus (Org.) A experiência Material: a cultura do objeto. Rio de Janeiro: Rio Books, 2013.
  • [8] FLUSSER, Villem. O mundo codificado: por uma filosofia do design e da comunicação: Cosac Naify, 2007.
  • [9] GOBÉ, Marc; Brandjam, o design emocional na comunicação das marcas. Rocco, 2014.
  • [10] GOFFMAN, Ken; JOY, Dan. Contracultura através dos tempos: do mito de Prometeu à cultura digital. Tradução Alexandre Martins. Rio de Janeiro : Ediouro, 2007.
  • [11] HOME, Stewart. Assalto à Cultura. Conrad, 1999.
  • [12] LEVY, Pierre; A inteligência coletiva. São Paulo: Edições Loyola, 1999. 217p.
  • [13] LIPOVETSKY, Gilles; SERROY, Jean. A estetização do mundo: Viver na era do capitalismo artista. Tradução Eduardo Brandão. São Paulo : Companhia das Letras, 2015.
  • [14] McNEIL, Legs; McCAIN, Gillan. Mate-me por favor. L&PM Pocket, 2004.
Como citar:

Silva, Daniel Maciel Costa da; "Marginalidade e design: origens e desdobramentos do Punk", p. 512-523 . In: . São Paulo: Blucher, 2018.
ISSN 2318-6968, ISBN: cid2017
DOI 10.5151/cid2017-45

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações