Pôster - Open Access.

Idioma principal | Segundo idioma

MANEJO FAMILIAR DA DOENÇA CRÔNICA NA ADOLESCÊNCIA: ESTUDO DE CASO QUALITATIVO NO CONTEXTO DO TRANSPLANTE RENAL

MANEJO FAMILIAR DA DOENÇA CRÔNICA NA ADOLESCÊNCIA: ESTUDO DE CASO QUALITATIVO NO CONTEXTO DO TRANSPLANTE RENAL

Mendes-Castillo, Ana Márcia Chiaradia ; Martins, Natália Del Ry;

Pôster:

Justificativa

O Family Management StyleFramework (FMSF) é um modelo de avaliação familiar que permite conhecer comouma família define a doença crônica, quais comportamentos adota para manejar asituação, e como percebe as consequências da doença na vida familiar. A suautilização na prática clínica nacional ainda é tímida.

Objetivo(s)

Conhecer a experiência demanejo familiar de uma adolescente nefropata transplantada, à luz do FMSF.

Método(s)

Estudo de casoqualitativo. A família participante foi de uma adolescente de 13 anos,transplantada há quatro meses. Os dados foram coletados por meio de entrevistase registros do prontuário. A análise ocorreu por meio das etapas de redução,exibição e verificação, seguidos pela triangulação dos dados. Estudo aprovadopelo comitê de ética, sob o parecer número 3.561.714.

Resultado(s)

A família define aadolescente como igual às outras na mesma idade, mas tem dificuldades emenxergá-la como apta ao autocuidado. Diante disso, adota comportamentos rígidosde manejo, e a mãe se mostra confiante nos cuidados, porém cautelosa eprotetora. A família vislumbra o futuro com otimismo, por não terem mais asrestrições da hemodiálise, porém teme a perda do enxerto quando a adolescenteassumir o autocuidado na idade adulta. A utilização do modelo possibilitoudesenhar intervenções, voltadas ao preparo familiar e da adolescente para oprocesso de transição.

Conclusão(ões)

A adolescência possuidemandas particulares que precisam ser consideradas no planejamento de cuidadona doença crônica, e a utilização deste modelo na prática clínica é encorajada,pois instrumentaliza para o planejamento de intervenções específicas.

Pôster:

Justificativa

O Family Management StyleFramework (FMSF) é um modelo de avaliação familiar que permite conhecer comouma família define a doença crônica, quais comportamentos adota para manejar asituação, e como percebe as consequências da doença na vida familiar. A suautilização na prática clínica nacional ainda é tímida.

Objetivo(s)

Conhecer a experiência demanejo familiar de uma adolescente nefropata transplantada, à luz do FMSF.

Método(s)

Estudo de casoqualitativo. A família participante foi de uma adolescente de 13 anos,transplantada há quatro meses. Os dados foram coletados por meio de entrevistase registros do prontuário. A análise ocorreu por meio das etapas de redução,exibição e verificação, seguidos pela triangulação dos dados. Estudo aprovadopelo comitê de ética, sob o parecer número 3.561.714.

Resultado(s)

A família define aadolescente como igual às outras na mesma idade, mas tem dificuldades emenxergá-la como apta ao autocuidado. Diante disso, adota comportamentos rígidosde manejo, e a mãe se mostra confiante nos cuidados, porém cautelosa eprotetora. A família vislumbra o futuro com otimismo, por não terem mais asrestrições da hemodiálise, porém teme a perda do enxerto quando a adolescenteassumir o autocuidado na idade adulta. A utilização do modelo possibilitoudesenhar intervenções, voltadas ao preparo familiar e da adolescente para oprocesso de transição.

Conclusão(ões)

A adolescência possuidemandas particulares que precisam ser consideradas no planejamento de cuidadona doença crônica, e a utilização deste modelo na prática clínica é encorajada,pois instrumentaliza para o planejamento de intervenções específicas.

Palavras-chave: -,

Palavras-chave: -,

DOI: 10.5151/sabara2020-32

Referências bibliográficas
  • [1] -
Como citar:

Mendes-Castillo, Ana Márcia Chiaradia ; Martins, Natália Del Ry; "MANEJO FAMILIAR DA DOENÇA CRÔNICA NA ADOLESCÊNCIA: ESTUDO DE CASO QUALITATIVO NO CONTEXTO DO TRANSPLANTE RENAL", p. 32 . In: Anais do 5º Congresso Internacional Sabará de Saúde Infantil. São Paulo: Blucher, 2020.
ISSN 2357-7282, DOI 10.5151/sabara2020-32

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações