Artigo Completo - Open Access.

Idioma principal

LITERATURA EM JOGO: ENSINO DE LEITURA POR MEIO DO RPG

ZAMARIAM, Franciela;

Artigo Completo:

Este trabalho se inscreve na área de ensino da leitura literária e, fundamentado na ideia do “leitor real”, de autores como Jouve e Barthes, tem como objetivo discutir uma alternativa metodológica para o tratamento da literatura em sala de aula, uma vez que este tipo de leitura, entre os estudantes, está longe de ser o ideal, em número e em qualidade. O tema encontra justificativa em uma pesquisa anterior (ZAMARIAM, 2008), realizada com estudantes de escolas públicas estaduais, quando eles confirmaram que as leituras impostas e as provas sobre os livros os faziam rechaçar o texto literário, pois tais atividades os levavam a memorizar informações quanto ao enredo e às personagens, em vez de refletir sobre eles e fruí-los. Como sugestão, os entrevistados afirmaram que as leituras poderiam ser feitas de modo mais dinâmico e envolvente, durante a aula. Dessa forma chegamos à adaptação de obras de literatura para o RPG (jogo de interpretação de papéis), o qual pode proporcionar uma leitura interativa, compartilhada e significativa, sob a orientação do professor, facilitando o acesso a essa linguagem específica, ao mesmo tempo em que reconstrói a afetividade entre leitor e texto. Ademais, verificamos que esse jogo é uma ferramenta transdisciplinar, que leva o aluno a, de fato, vivenciar o enredo da obra. Assim, neste artigo, discutiremos a pesquisa de Mestrado em Estudos da Linguagem (UEL), em andamento, que está sendo realizada com alunos do Ensino Médio da Rede Pública de Educação, sobre o uso do RPG como alternativa metodológica no ensino da leitura literária, cujos resultados se mostraram muito positivos, tanto no quesito motivação, quanto na formação do estudante como leitor maduro. Com isso, pretendemos uma aproximação entre as teorias desenvolvidas na academia e a prática docente na Educação Básica, visando a melhorias no processo de ensino e aprendizagem da leitura nas aulas de Língua Portuguesa.

Artigo Completo:

Palavras-chave: Ensino de Leitura, Literatura, RPG,

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/edupro-clafpl2016-025

Referências bibliográficas
  • [1] ALMEIDA, P. N. Educação lúdica: técnicas e jogos pedagógicos. São Paulo: Loyola, 1998.
  • [2] ANDRÉ, Marli Elisa; LUDKE, Menga. Pesquisa em educação: Abordagens Qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.
  • [3] BARTHES, R. O prazer do texto. ed. São Paulo: Perspectiva, 2002.
  • [4] CALVINO, Ítalo. Por que ler os clássicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.
  • [5] CÂNDIDO, Antônio. A literatura e a formação do homem. In: Remate de males. Número Especial Antonio Candido. Campinas: Departamento de Teoria Literária IEL Unicamp, 1999.
  • [6] CORRÊA, Francisco Tupy Gomes. Videogame como linguagem audiovisual: compreensão e aplicação em um estudo de caso - super street fighter. 2013. 121 fls. Dissertação (Mestrado em Meios e Processos Audiovisuais) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.
  • [7] CRUZ, Bruna Souza. Clássicos da literatura brasileira viram jogos virtuais. UOL: São Paulo. 17 maio 2013. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2014.
  • [8] CUPERTINO. Edson Ribeiro. Vamos jogar RPG? Diálogos com a literatura, o leitor e a autoria. 200 Dissertação (Mestrado em Literatura) - Universidade de São Paulo, São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2014.
  • [9] DESAFIOS DA EDUCAÇÃO. Jogos são tendência inovadora na educação. 09 jun. 2014. Disponível em: Acesso em: 28 set. 2014.
  • [10] FAIRCHILD, Thomas Massao. O discurso de escolarização do RPG. 2004. Dissertação (Mestrado) - Universidade de São Paulo, São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2014.
  • [11] HUIZINGA, J. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. Perspectiva: São Paulo, 1999.
  • [12] JOUVE, Vincent. A leitura. São Paulo: Editora da UNESP, 2002.
  • [13] LEMOS, André. CIBERCULTURA: Alguns pontos para compreender a nossa época. In:
  • [14] LEMOS, André; CUNHA, Paulo (orgs). Olhares sobre a Cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2003. p. 11-23.
  • [15] MAFRA, Núbio Delanne F. Leituras à revelia da escola. Londrina: Eduel, 2003.
  • [16] MOTA, Sônia Rodrigues. Role Playing Game e a Pedagogia da Imaginação o Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.
  • [17] PAVÃO, Andréa. A Aventura da Leitura e da Escrita entre Mestres de Role Playing Games (RPG). UFPA, 1999. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2014.
  • [18] PRADO, Marysia M. Rodrigues do. Des-cobrindo o Lúdico. Dissertação (Mestrado em Educação), FE/UNICAMP, 1991. Disponível em: . Acesso em: 17 set. 2014.
  • [19] PEREIRA, Farley Eduardo Lamines. No limite da ficção: comparações entre literatura e RPG – Role Playing Games. 2007. Dissertação (Mestrado em Estudos Literários) - Universidade Federal de Minas Gerais, São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 17 set. 2014.
  • [20] PRIETTO, Thiago Goulart. Literatura e os jogos de RPG: Trajetória de apropriações e intertextos. Revista Translatio, Porto Alegre, n. 6. 2013. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2014.
  • [21] SANTOS, Santa Marli Pires dos. Brinquedoteca: o lúdico em diferentes contextos. Petrópolis: Vozes, 1997.
  • [22] SOUZA, Ana Paula. Videogames já não servem apenas para diversão. Agência USP de Notícias, 28 fev. 2014. Disponível em: . Acesso em: 19 set. 2014.
  • [23] SCHMIT, Wagner Luiz. RPG e Educação: Alguns apontamentos teóricos. 2008. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual de Londrina, Londrina. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2014.
  • [24] VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1991.
  • [25] WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações filosóficas. Tradução de José Carlos Bruni. São Paulo: Nova Cultural (Col. Os Pensadores), 2000.
  • [26] ZAMARIAM, Franciela S. A Relação do Adolescente com a Literatura na Era da Cultura Digital: Um Estudo sobre a Leitura em Escolas Estaduais de Londrina. 2008. Monografia (Especialização em Metodologia da Ação Docente) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2008.
Como citar:

ZAMARIAM, Franciela; "LITERATURA EM JOGO: ENSINO DE LEITURA POR MEIO DO RPG", p. 302-316 . In: . São Paulo: Blucher, 2017.
ISSN 2318-695X, DOI 10.5151/edupro-clafpl2016-025

últimos 30 dias | último ano | desde a publicação


downloads


visualizações


indexações